Inspirado na avó diabética, aluno da BA cria produto de látex de mangabeira que ajuda a cicatrizar feridas

A avó de João Pedro de Oliveira, 19 anos, desenvolveu feridas na perna por causa da diabetes. Ela morreu há 5 anos, mas deixou no coração do neto a inspiração de criar um produto que ajude na cicatrização para pessoas que passam pelo mesmo problema.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nascido em Crisópolis (BA) e aluno do Instituto Federal da Bahia, João criou o Cicatribio, produto que ajuda na cicatrização de feridas, causadas principalmente por leishmaniose e diabetes.

Ao conversar com amigos da sua cidade natal, João descobriu que o látex da planta do pé de mangaba era muito utilizado para o tratamento de problemas estomacais. Para isso, é necessário cortar o caule da planta para recolher a substância.

árvore mangabeira
João notou que, ao fazer um corte no caule, a planta rapidamente estancava o látex, cicatrizando-o – Foto: arquivo pessoal

“Foi aí que formulei a hipótese: será que o látex de mangaba pode ser usado para auxiliar na cicatrização de ferimentos e ajudar a minha avó a ser curada destas enfermidades?”, explica João.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dito e feito! Para criar seu novo produto, João usou o látex da mangabeira, árvore típica da região Nordeste. Agora, o projeto está em análise para o registro da patente pelo INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

Além disso, o adolescente também foi premiado por um edital do MEC, o ‘Empreendedor Inovador’, que irá proporcionar uma ajuda financeira de R$ 200.000 mil para a conclusão da pesquisa.

“Com este investimento podemos fazer mais análises e, assim, disponibilizar no mercado o mais rápido possível”, diz João.

João em pesquisa para criar seu produto natural
Foto: arquivo pessoal

O produto já passou pela fase I (in vitro) e os resultados foram surpreendentes. Agora, a partir do segundo semestre de 2021, eles irão encarar a fase II (testes em camundongos), na Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus.
O orientador do projeto foi o professor Saulo Capim, que incentivou e auxiliou o aluno desde o início.
“Quando chegarmos ao fim das fases e estivermos com os produtos formulados e disponíveis no mercado, poderemos auxiliar a população com uma problemática que atinge milhares de pessoas no mundo, concluiu Capim”
Quer conhecer mais uma história inspiradora? Dá o play!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM










Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,813,545SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Universidades criam disciplina sobre felicidade e até curso de graduação sobre o tema

A Felicidade não é só um estado de espírito, ela pode ser também objeto de estudo. Vários pesquisadores têm estudado sobre esse sentimento, que...

Menino abre brechó para vender as próprias roupas e ajudar sua mãe no RJ

O pequeno Davi Santos, 11 anos, decidiu abrir um brechó para ajudar sua família a superar a difícil fase econômica que tem passado. O...

Projeto oferece cursos entre refugiados residentes no país e brasileiros

Ultimamente, as notícias sobre refugiados estão em alta. Ainda bem. Pois é uma realidade no mundo todo, mas que até então não ganhava a...

Brasileira cria canal com tutoriais de maquiagem para mulheres surdas

Ela criou um canal no YouTube onde dá dicas de maquiagem para mulheres surdas.

Menina de 6 anos cria lista de lugares que deseja ver antes de ficar cega

Apesar da doença, Molly está sempre com um sorriso no rosto.

Instagram

Inspirado na avó diabética, aluno da BA cria produto de látex de mangabeira que ajuda a cicatrizar feridas 2