Intérprete de libras acompanha parto de mulher surda em MG e reforça a importância da acessibilidade

O parto é o momento mais importante na vida de qualquer mulher, por isso, é essencial que ela se sinta segura e acolhida, não somente pelos familiares, mas sobretudo pela equipe de profissionais. Em Minas Gerais, foi uma intérprete de libras que também ofereceu todo o auxílio emocional que Kelly Cristina Vasconcelos Martins Moreira precisava. Surda, foi graças à intérprete Jocilane Moreira Santos Fideles que ela conseguiu se comunicar com a equipe médica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O parto aconteceu no  dia 16 de fevereiro e entrou para a história do Hospital e Maternidade Vital Brazil, em Timóteo, Vale do Aço. Emocionante, o hospital confirmou que este foi o primeiro parto de uma gestante deficiente auditiva já realizado em suas dependências.

parto surda interprete libras 1
Foto: divulgação FSFX

Jocilane, de 50 anos, é amiga de Kelly e acompanhou o nascimento do pequeno Nicolas do início ao fim. “Eu a acompanhei desde o preparo, no quarto, até a entrada na sala de parto. Fiquei ao lado dela o tempo todo. Ela me olhava e dava um sorriso, me vendo sentada ao lado da maca”, disse emocionada.

Kelly teve gestação de risco e recebeu um cuidado especial do hospital. Segundo a obstetra Vanessa Yuri Nakaoka, responsável pelo parto, a mãe apresentava baixa produção de líquido amniótico, uma condição chamada oligohidrâmnio. Por causa disso, o desenvolvimento do feto poderia ser prejudicado; felizmente, Nicolas nasceu saudável pesando 3 quilos e meio e medindo 48 centímetros 🙏

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

parto surda interprete libras 2
Foto: Jocilane Fideles

“Me senti muito tranquila e acolhida durante todo o tempo na maternidade. Foi tudo ótimo”, disse Kelly. Já o superintendente do Hospital e Maternidade Vital Brazil, Bruno Nunes Ribeiro, afirma ter ficado orgulhoso de sua equipe pelo atendimento humanizado exemplar que prestou à família.

Convencido da importância da comunicação com sua esposa, Marcos Vinicios Moreira também decidiu fazer um curso de intérprete de Libras para poder se comunicar melhor com Kelly no cotidiano.

É uma questão de acessibilidade

É difícil de imaginar todas as dificuldades que um deficiente auditivo precisa enfrentar em seu dia a dia. Mas elas não são poucas e, em momentos marcantes, como em um parto, isso fica ainda mais evidente. Jocilane explica que um tratamento especial é importantíssimo para toda a comunidade surda, que tem direito, por lei, à acessibilidade em todos os procedimentos hospitalares.

“É um direito de todos aqueles que possuem a deficiência auditiva, mas que nem sempre é assegurado. E deve ser estendido, não apenas aos partos, como também a todos os procedimentos hospitalares”, afirma.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,857,801SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem coloca casa à venda para continuar a dar aulas de tênis a crianças carentes em PE

Este projeto busca formar atletas éticos e com valores que possibilitem ao jovens crescerem longe das ofertas das ruas e da criminalidade.

Cliente liga para banco para reclamar, mas é tão bem atendida, que elogia a atendente!

"Resolvi ligar no mesmo SAC e registrar um elogio para ela. Disse que ela foi solícita e disposta a resolver meu problema e que gostei muito do atendimento dela", relatou a cliente.

Pesquisador da USP desenvolve drone que ajuda a combater desmatamentos e queimadas

Um drone capaz de voar sozinho no meio de árvores e desviar de obstáculos tem DNA brasileiro! Pesando apenas 3 quilos e medindo 70 centímetros,...

Starbucks inaugura loja operada por pessoas entre 60 e 65 anos

Inclusão social e renda adicional, com dias extras de folga e um turno de trabalho de seis horas e meia.

Para não perder tratamento, autista que viveu 15 anos acorrentado recebe apoio com vaquinha

O jovem André Padilha, 30 anos, viveu 15 anos acorrentado em sua casa, em Fernandópolis (SP). Com autismo severo, o jovem começou a se...

Instagram