Itália e Espanha reduzem número de infectados e de vítimas fatais do coronavírus

As medidas de isolamento social impostas pelos governos da Itália e da Espanha no combate ao novo coronavírus têm surtido efeito após dias de números preocupantes.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na Itália, o número de pacientes em unidades de terapia intensiva (UTIs) caiu pela primeira vez em semanas. Além disso, houve uma redução de 25% no índice de vítimas fatais no último sábado (4) em comparação com o dia anterior.

Na Espanha, o número de mortos em decorrência do Covid-19 registrou queda pelo segundo dia consecutivo e há uma expectativa de redução considerável nesta semana.

redução número infectados e vítimas coronavírus itália espanha
Foto: SIC Notícias/Reprodução

Curva de crescimento do Covid-19 em declínio na Itália

Essa tendência de queda nos números está se tornando realidade graças à adoção de medidas mais rígidas de isolamento no mês passado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“São boas notícias, mas não devemos baixar a guarda”, disse o chefe da Defesa Civil italiana, Angelo Borrelli.

Já Silvio Brusaferro, presidente do Conselho Superior de Saúde (CSS), foi enfático: “Os números de hoje são bons, mas o perigo não passou, não escapamos ainda”.

De acordo com a autoridade de saúde, a redução do número de vítimas e de novos infectados indica que a “curva começou sua queda“, finalmente.

Canal Coronavírus: veja boas notícias, vagas home-office e como ajudar pequenos negócios clicando aqui.

“Se estes dados se confirmarem, teremos que pensar na fase 2, ou seja, no plano para reativar a Itália, que contempla a retomada de parte da atividade produtiva da terceira maior economia europeia. É um período de convívio com o vírus, por isso é importante manter as medidas que fizeram a curva cair”, afirmou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No fim de semana, o primeiro-ministro da Itália Giuseppe Conte disse que “desde o início da pandemia, a Itália colocou a saúde pública no topo das prioridades“, o que tem contribuído para melhorar os números.

“Nossas escolhas políticas foram baseadas em evidências científicas. Neste momento, não sei dizer quando o bloqueio terminará. Estamos seguindo as instruções do comitê científico, mas a Itália foi a primeira nação a enfrentar a emergência. Nossa resposta pode não ter sido perfeita, mas fizemos o nosso melhor, com base em nosso conhecimento.”

Participe do nosso canal no Telegram e receba todas as matérias e novidades do Razões, clique aqui.

Enquanto isso, na Espanha…

No último sábado (4), o primeiro-ministro Pedro Sánchez anunciou que vai estender o período de quarentena até 26 de abril para acelerar o declínio da chamada ‘curva de crescimento’ da pandemia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Os dados da semana e hoje confirmam a desaceleração das infecções. Confirmam que o confinamento está funcionando”, disse o ministro da Saúde, Salvador Illa.

Entre domingo (5) e segunda (6), cerca de um milhão de kits de testes chegaram no país para auxiliar na “triagem rápida” de hospitais e asilos.

O diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa, Hans Kluge, tuitou sobre a Espanha: “Otimismo cuidadoso como resultado de medidas ousadas, abordagens inovadoras e decisões corajosas“.

Fonte: R7

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,835,148SeguidoresSeguir
24,725SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Padeiros doam 4 mil pães para cinco hospitais de SP todos os dias

A produção tem início as 5h da manhã para que as 11h os representantes dos hospitais já possam buscá-los bem quentinhos!

Ex-analista de logística encontra na agricultura sustentável uma nova paixão profissional

Falta de identificação com o emprego, carga horária puxada, desgaste físico e mental. Escapar desse ciclo, cada vez mais comum nos dias de hoje,...

Mais de 200 cães são salvos de eutanásia no maior transporte aéreo já registrado

O maior transporte aéreo de animais em uma mesma viagem.

Instagram

Itália e Espanha reduzem número de infectados e de vítimas fatais do coronavírus 3