Já pensou em fazer parte do acervo de um museu?

Sim, isso é possível no Museu da Pessoa de São Paulo. Registre sua história de vida e faça parte do acervo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Há 25 anos e com mais de 17 mil histórias registradas, o Museu da Pessoa coleta memórias de pessoas anônimas. O museu tem como objetivo valorizar a diversidade cultural e a história de cada pessoa como patrimônio da humanidade e desta forma contribuir para a construção de uma cultura de paz.

O museu está localizado em Pinheiros na grande São Paulo, mas você pode, através da internet, incluir suas memórias no acervo do Museu da Pessoa, que irá registrá-la e preservá-la. A singularidade de cada ser humano é muito valorizada.

Todas as quintas-feiras o museu grava em seu estúdio relatos de qualquer pessoa que queira registrar sua historia de vida pessoalmente, com auxílio dos colaboradores. Há espera de dois a três meses para conseguir agendamento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Através do site também é possível ser curador e selecionar suas histórias favoritas. Para montar seu acervo, é só escolher um tema e você pode reunir histórias de amor, casamentos, vídeos sobre futebol, indígenas, empresários, imigrantes, enfim, simplesmente qualquer assunto que mais lhe agrade.

O Museu da Pessoa está passando por um processo de digitalização do acervo, hoje com 50% do processo concluído. Rosana Miziara, coordenadora do museu, conta que trata-se de um procedimento caro mas de extrema importância transformar os CDs, mini-DV, cassetes e VHS em tecnologia atual.

Com centenas de projetos realizados, mais de 70 livros publicados e diversas exposições, o Museu da Pessoa inspirou a construção de três outros museus fora do Brasil – em Portugal, Canadá e Estados Unidos.

O Sesc da Vila Mariana realiza até o dia 17 de dezembro a exposição “Quem sou Eu?” em comemoração ao 25º aniversário do Museu da Pessoa , a entrada é gratuita.

Desde 2006 o museu realiza divulgação da metodologia com professores da rede pública e expedições pelo Brasil, registrando saberes e fazeres de comunidades em extinção,como por exemplos, as que estão próximas a barragens. Mais de 100 organizações já foram formadas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Que tal entrar no site e se cadastrar para ser o próximo a deixar suas memórias registradas para as futuras gerações?

Para saber mais acesse: Museu da Pessoa e SESC São Paulo

Fotos: acervo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,565,291SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem perde tudo em enchente de SP e comove repórter ao pedir ajuda

Uma matéria sobre as enchentes de SP rendeu muita emoção. O repórter Rafael Ihara entrevistou o Luiz, que teve a sua casa inundada pelas...

Jovem que vende água em sinal se emociona ao ganhar sapatos novos e isopor

O jovem é catador de latinhas e com dinheiro que ganha, compra água e vende no sinal vestido de garçom.

Irmãos filipinos criam lâmpada que precisam apenas de água salgada para funcionar

Além do mais, como as Filipinas são cercadas por água salgada, há uma fonte quase ilimitada de energia para manter as lâmpadas iluminadas ao longo da sua vida útil, prevista em seis meses.

Neto dá videogame para avó sem imaginar que ela ficaria viciada

O que os netos costumam dar de presente para as suas avós? Coisas de vó? Sim, na maioria das vezes. Mas não foi o...

Série emocionante mostra momento em que família conhece sua filha adotiva

A fotógrafa Kristen Prosser, de Minesota, nos Estados Unidos, sempre quis fazer uma série de fotos dos primeiros momentos de um bebê adotivo com sua nova...

Instagram