Jovem paraibano cria jogo de tabuleiro sobre a história da capoeira

Um projeto do designer paraibano Wagner Porto Alexandrino da Silva visa nos fazer aprender a história da capoeira por meio de um jogo de tabuleiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O jogo em questão debate a representatividade negra de maneira intuitiva e lúdica com os jovens do ensino fundamental 2 (11-14 anos) em escolas públicas de Campina Grande, na Paraíba.

Wagner conta que tudo começou no início do ano de 2018, quando estava envolvido com o trabalho de conclusão do curso de design na UFCG – Universidade Federal de Campina Grande.

Com o TCC, se interessou pela ideia de criar algo concreto que envolvesse um projeto sobre representatividade negra. A partir daí mergulhou em pesquisas relacionadas ao universo da capoeira – e desse contato com a historicidade da arte marcial e toda a subcultura que a cercava, inicio a produção do jogo de tabuleiro.

Jovem paraibano cria jogo de tabuleiro sobre a história da capoeira
Foto: Reprodução / Facebook

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Pesquisando temas, eu decidi que ia trabalhar com a representatividade negra. Eu sei a importância disso e o quanto isso tem que ser discutido em nosso país”, conta o designer.

“Resolvi focar na capoeira. Eu não conhecia a capoeira, não pratico a capoeira, e pesquisando eu vi ainda mais o valor que ela tem para o nosso país, para nossa cultura e para a cultura afro-brasileira.”

Capoeira

O Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) tombou em 2008 a capoeira como uma forma de expressão; em 2014, como Patrimônio Imaterial da Humanidade.

A capoeira, como expressão, reúne cantigas, músicas, movimentos e diversos outros símbolos da herança africana. Os iniciantes são batizados nas rodas de capoeira e consagrados, tais como os grandes mestres de outrora.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Jovem paraibano cria jogo de tabuleiro sobre a história da capoeira
Foto: Reprodução

“Eu comecei a falar com especialistas, praticantes, mestres, pessoas que pesquisaram isso na minha graduação. Também peguei bibliografias sobre a cultura brasileira, a cultura negra. Li muitas coisas, pesquisei muito”, relembra. Depois da fase de pesquisa, Wagner começou a produzir o jogo.

Leia tambémProjeto ensina capoeira para alunos com paralisia cerebral

“Quando entrei em contato direto com a Capoeira, especialistas na área, professores, pesquisadores e obras sobre o assunto, fiquei fascinado. O valor dela é imenso para o nosso país e para os seus praticantes. Todos deveríamos conhecer ao menos um pouco sobre o que ela representa. Não só como luta, como é abordada tantas vezes, mas, sim, os valores educacionais ali presente, seu contexto histórico, sua musicalidade, as modificações causadas em quem a pratica”, diz Wagner.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Paranauê

Somos transportados ao século XVIII, época em que o jogo se passa, quando a capoeira era reprimida e perseguida no Brasil. Para jogar, cada participante assume a identidade de um mestre que, no decorrer da partida, precisa montar sua própria roda de capoeira.

Jovem paraibano cria jogo de tabuleiro sobre a história da capoeira
Foto: Reprodução

Quando estava desenvolvendo o jogo, Wagner convidou amigos, vizinhos e algumas crianças para jogar. Com o feedback deles, adaptou e aprimorou o jogo até chegar à versão final.

Com o fim da fase de desenvolvimento, partiu para a prática e apresentou o jogo e sua proposta aos alunos das escolas públicas de Campina Grande.

Leia tambémConheça o projeto que usa a capoeira para tirar crianças da rua

“Eu levava para as salas de aula. Muitos já tinham tido contato com a capoeira, algumas crianças já a praticavam, e elas se identificaram muito com o projeto”, relembra.

Jovem paraibano cria jogo de tabuleiro sobre a história da capoeira
Foto: Reprodução

A recepção dos estudantes ao jogo foi bastante calorosa. Além disso, os professores e diretores ficaram encantados. Wagner agora trabalha na viabilidade de produção do jogo em maior quantidade, afim de distribui-lo em mais escolas interessadas.

Confira abaixo a reportagem dada ao Trilhos da Educação, podcast produzido pela Rádio MEC..

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Conexão Boas Notícias

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

Relacionados

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,020,211FãsCurtir
2,150,527SeguidoresSeguir
11,477SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovens e agricultores se unem e abrem bibliotecas na zona rural da Paraíba

Eu já estou apaixonado por essa história antes mesmo de começar a contar pra vocês. Esse é um exemplo de que a união entre...

Guy Fieri arrecada US$ 22 milhões para funcionários de restaurantes desempregados

Guy Fieri é uma verdadeira celebridade nos Estados Unidos, onde além de ser empresário e dono de uma grande rede de restaurantes, também é...

Após alagamento, vaquinha arrecada R$117 mil e idosos ganharão um lar novo (BA)

Os velhinhos da Casa de Idosos Giuseppe Aras, em Itabela (BA), vão ganhar um lar novo! O asilo onde os 34 idosos moravam ficou alagado...

Pescadores salvam 5 tartarugas marinhas presas em rede de pesca

Na praia de Araranguá, em Santa Catarina, o que tinha tudo para ser apenas mais um dia normal para alguns pescadores, transformou-se em uma...

Cachorrinha é adotada por Corpo de Bombeiros após ser agredida e abandonada

A história da cachorrinha Ashley é a prova viva de que, ao mesmo tempo que existem pessoas ignorando os direitos dos animais, outras maravilhosas...

Instagram