Perda do líquido amniótico, hemorragia e hipertensão: a jornada de uma mãe até o parto de seu bebê

Jamais passou pela cabeça de Ranielle Pereira, 23 anos, a quantidade de desafios e obstáculos que ela enfrentaria após descobrir que estava grávida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No quarto mês de gestação, a jovem de Pirenópolis (GO) perdeu quase todo o líquido amniótico – uma bolsa de água que envolve o embrião e possui diversos componentes vitais, como nutrientes, hormônios e citocinas que protegem o bebê contra infecções.

jornada de uma mãe parto do seu bebê

Sabia que agora o Razões tem um livro? O Que Eu Aprendi Até Agora – 50 Conselhos Inspiradores Para Uma Vida Cheia de Razões Para Acreditar! está em pré-venda até 15/08. Comprando o seu exemplar agora, ganhe um brinde especial + frete grátisclique aqui.

Gravidez conturbada

“A partir do segundo mês, minhas roupas íntimas ficavam úmidas. E foi no quarto [que descobrimos] a perda do líquido. Eu também sentia muitas dores – foi quando vimos que já havia muito pouco líquido e o bebê entraria em sofrimento. Não tivemos resposta, apenas acompanhamento até onde o bebê aguentaria”, relatou Ranielle ao Razões.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apesar dos riscos e possíveis complicações para o bebê, a gravidez prosseguiu sob acompanhamento médico constante.

Pouco depois do sétimo mês, Ranielle precisou fazer uma cirurgia para colocar uma rede na região do útero, de modo a bloquear a passagem prematura do bebê.

jornada de uma mãe parto do seu bebê

O procedimento é conhecido como “cerclagem”, e é recomendado para evitar que o bebê nasça prematuro, garantindo uma gravidez mais segura. A cirurgia é um dos tratamentos para uma doença chamada Incompetência Istmo Cervical, que é quando o colo do útero perde a capacidade de suportar o peso da gravidez.

No oitavo mês, descobriu-se que o coração do pequeno Benício já não acelerava e batia a 35/40 batimentos por minuto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Riscos do parto

“Durante toda a gestação eu não já ouvia o coração dele; e com o equipamento que fazemos no pré-natal eu já imaginava que algo estava errado. Eu estava internada em uma cidade vizinha, e quando fizemos um ultrassom mais profundo foi onde os médicos disseram que meu bebê estava sem oxigênio pela falta de líquido amniótico e os batimentos dele diminuíam cada vez mais. Eu não podia fazer uma cesárea pois era eu ou bebê”, disse Ranielle.

“Lembro que no nono mês, o médico disse: ‘Vai pra casa e espera o coraçãozinho dele parar de bater'”, complementou. “Mas aí veio a resposta de Deus“.

Benício nasceu sem graves sequelas, para a felicidade da mamãe e sua família – e completa surpresa dos médicos! 🤗

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Meu parto foi induzido, senti contrações por volta das sete da noite e ganhei ele as 5 da madrugada. Ele foi diretamente pra UTI: precisava de ajuda de oxigênio pra respirar, e havia uma complicação em seu pulmão esquerdo”. Felizmente, o bebê se recuperou bem e está mais saudável do que nunca!

Olha só que coisinha linda! 😍

Complicações do pós-parto

Ranielle precisou continuar lutando – e muito! – após o parto.

Dias após dar à luz, começou a sentir fortes dores na barriga. “Até que o inchaço tomou conta, e descobrimos que deu coágulo no útero, causando hemorragia interna seguido de hipertensão e hipotermia”, relembrou.

O quadro de hemorragia piorou muito e a mãe de Benício teve uma parada cardiorrespiratória. “Foram 47 minutos na sala de reanimação, e nada de voltar meus batimentos cardíacos. Os médicos chegaram a ligar para os meus familiares após duas horas de óbito [declarado]”, disse Ranielle.

No entanto, surpreendentemente, a jovem foi reanimada e recobrou sua consciência.

“Quando voltei, precisei de transfusão de sangue, precisei ficar em uma ‘bolsa térmica’, onde eu via tudo, e escutava todos, mas não conseguia falar. Em todo esse tempo, do momento em que eu apaguei à recuperação dos movimentos do meu corpo, eu apenas pensava no que tinha vivido”.

“Em breve, completo 1 ano da minha nova vida”

Ao longo de 15 dias, com ajuda de remédios e repouso absoluto, Ranielle melhorou seu quadro clínico e recebeu alta. “Costumo dizer que Deus garantiu minha volta! E que sou prova viva que Ele ressuscita”, completou.

Agora, recuperada da hemorragia e em casa com o pequeno Benício, ela espera aproveitar a vida com ainda mais vigor e dar muito amor ao seu pequenino.

“Dia 2 de setembro ele completa 1 ano de vida. E eu 1 ano da minha segunda vida, soubemos bem o que Deus tem pra nós dois e nós vamos servir a esse Deus até nosso último suspiro”, completou a jovem.

Você pode seguir a Ranielle no Instagram clicando aqui.

Sabia que agora o Razões tem um livro? O Que Eu Aprendi Até Agora – 50 Conselhos Inspiradores Para Uma Vida Cheia de Razões Para Acreditar! está em pré-venda até 15/08. Comprando o seu exemplar agora, ganhe um brinde especial + frete grátisclique aqui.

Confira o vídeo abaixo:

Assista também:

Fotos: Reprodução / Instagram: @rani_pcosta

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,758,975SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mãe tem surpresa ao ver que sua filha é albina e faz poderoso depoimento

Esta história foi compartilhada por Taylor Dunnavant, no site Love What Matters. Taylor é norte-americana, vive em Missouri com seu marido, Chris e suas...

Lucas Lucco arrecada mais de R$ 200 mil em live de aniversário solidário

Cantor reverterá as doações em cestas básicas para periferias nessa quarentena, além de ajudar na campanha para tratamento de criança.

Ensaio em terreiro de Umbanda com pais grávidos celebra o amor pelo bebê e pede respeito

Natasha e Gabriel são praticantes da Umbanda, religião que mistura crenças e rituais africanos, indígenas e europeus, e, por isso, decidiram registrar a comemoração...

Professor cego e cadeirante inspira alunos com sua história

Professor formado em pedagogia, Osvaldo Fernando Moreira, de 29 anos, foi vítima de uma rara doença degenerativa que lhe tirou a visão e parte...

Depois de 3 anos curadas do câncer, meninas recriam foto que viralizou

A responsável por esse lindo reencontro e grande inspiração é a fotógrafa americana Lora Scantling. Em 2014, ela fotografou as meninas Rylie, Rheann e Ainsley quando...

Instagram