Jovem de 27 anos adota adolescente de 18 que tinha relacionamento difícil com família biológica

Elas têm idade para ser irmãs, você deve achar, mas são mãe e filha. A Juliana tinha 27 anos quando adotou a Maria Eduarda, que tinha 18.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A Juliana conheceu a Duda na academia onde ela foi fazer aulas de MMA, em Salvador. Duda luta MMA profissionalmente e com um pouco mais de incentivo, essa garota vai longe no esporte.

Bem, hoje, Juliana e Duda são um amor uma com a outra. Mas a relação das duas não começou como a gente imagina.

Duda nocauteou o bloqueio que tinha com Juliana e ganhou uma mãe. Foto: Instagram @biancamartinezfotografia

É que a dentista chama todo mundo de “B”, inclusive o menino que Duda namorava nessa época. Duda não achava aquilo legal e criou um “bloqueio”, não dava muito papo pra Juliana.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Juliana tentava de todo jeito se aproximar, sentia necessidade de cuidar de Duda, que dividia uma casa com sete rapazes.

Juliana e Duda se conheceram treinando MMA e nunca mais uma largou a mão da outra, apesar da relação não ter começado muito bem. Foto: Arquivo pessoal

O tempo passou e Duda voltou para sua casa no interior da Bahia. Duda fez um post numa rede social dizendo que iria competir em um torneio internacional de Jiu-Jitsu em Salvador e perguntando se alguém poderia oferecer algum tipo de ajuda. 

Jovem adota idosa de 70 anos que morava em hospital e precisa de um lar para viverem. Clique aqui e contribua.

Juliana viu o post e ofereceu à Duda um quarto na sua casa, mas o assunto morreu aí. Depois de mais um tempo, Duda liga “desesperada” para a dentista perguntando se a proposta continuava de pé. Àquela altura, Juliana já nem lembrava mais a proposta que tinha feito pra Duda. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Duda no torneio internacional de Jiu-Jitsu. Foto: Arquivo pessoal

Oficialmente mãe e filha

Mas acabou que Juliana levou Duda pra casa e foi quando a relação das duas começou a mudar de vez. Ficaram muito mais próximas e quando viram, Duda já estava chamando Juliana de mãe, e Juliana chamando Duda de filha.

Até que um dia Juliana perguntou à Duda se ela realmente se sentia como sendo sua filha. Duda disse que sim. Juliana então ligou para a mãe biológica de Duda perguntando se poderia oficializar a adoção e ouviu um “sim”, pois faria bem à Duda. E assim foi, gente.

Mãe e filha. Foto: Instagram @biancamartinezfotografia

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E, sabe, vendo elas duas juntinhas, eu só consigo ver mãe e filha. A cumplicidade no olhar e a fala doce de uma sobre a outra jogam pra escanteio a pouca diferença de idade. Nada além disso importa mais que a escolha que elas fizeram!

Vem conferir outros detalhes dessa linda história de adoção:

VEJA TAMBÉM!

A Bia não vem de uma história fácil: a mãe foi presa, o pai e padrasto assassinados pelo tráfico. Mas ela superou tudo isso e, hoje, dá aulas de empatia, resiliência e meditação para meninas de comunidade, olha só:

selo conteúdo original

 

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,765,320SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Alunos da USP constróem carro elétrico capaz de cruzar o país com 5 reais

Na hora de pegar a estrada, sempre temos que colocar no planejamento o custo da gasolina, o que encarece a viagem. Mas já imaginou...

Projeto do RJ que leva energia solar para favelas é finalista em prêmio global da ONU

Os finalistas do prêmio Jovens Campeões da Terra na América Latina e Caribe, organizado pela ONU foram divulgados na segunda-feira (20) e entre eles...

ONG transforma lixo plástico de praias do Sul e Sudeste em brinquedos

A ONG Eco Local Brasil criou um projeto muito bacana e que vai distribuir brinquedos feitos a partir de plásticos recolhidos nas praias do...

Jogadores do Arsenal fazem vídeo divertido em combate à homofobia no futebol

O futebol ainda tem um grande tabu: a homossexualidade é um assunto velado, quase não se fala, apesar de sabermos que há gays em...

Em Araraquara, garoto de 12 anos leva pessoas em situação de rua ao cinema

Ahhh, nós temos tanto o que aprender com as crianças! Em Araraquara, interior de São Paulo, um garoto de 12 anos foi o responsável...

Instagram