Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado: ‘Sempre ao meu lado’

Em julho de 2017, Erin Field estava deitada em uma rede no terraço do apartamento de seu irmão quando parte de uma chaminé de 2 metros de altura cedeu, caindo sobre ela.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A chaminé estava sendo usada como apoio, mas não suportou o peso dela, partindo ao meio e despencando em cima de Erin.

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado
Foto: Jonathan Wiggs / The Boston Globe

A jovem, na época com 21 anos, foi levada às pressas para o Massachusetts General Hospital, em Boston (EUA), onde os médicos constataram que ela ficaria tetraplégica.

Foram meses se recuperando de múltiplas fraturas e ferimentos graves, incluindo as costelas, pulmões e coluna. Erin perdeu toda a sensibilidade das pernas e a maior parte da sensibilidade dos braços.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado

Nesse meio-tempo, um rapaz com quem ela saía há apenas 4 meses jamais saiu de perto dela. “Jack nunca saiu do meu lado. Eu disse a ele que ele não tinha que ficar comigo“, relembra.

Dia após dia no hospital, o rapaz foi mostrando que amor é atitude.

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado: 'Sempre ao meu lado' 3

“Me disseram que eu ficaria deprimida com o que me aconteceu. Mas eu decidi pra mim mesma que isso não aconteceria”, disse Erin, enfatizando a importância de ter tido Jack ao seu lado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado

O namoro deles não apenas se fortaleceu durante a recuperação da jovem, como se transformou em promessa de casamento. “Estávamos apaixonados“, afirmou ela.

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado

Eis que assim que recebeu alta, no início de 2018, Erin retornou à faculdade, onde batalhou – e muito! – para conseguir o diploma de Língua Inglesa. Mais uma vez, uma conquista partilhada com o futuro marido, formado no mesmo período e no mesmo curso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado: 'Sempre ao meu lado' 4

Não demorou muito para eles irem morar juntos, se casar e adotar dois doguinhos. “E advinha só? Agora, mais de 3 anos depois, ele continua sendo o amor da minha vida“, resumiu Erin.

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado: 'Sempre ao meu lado' 5

Quando há conexão entre almas, não há obstáculo algum para um relacionamento. Aliás, com o tempo, ele só se fortalece!

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado: 'Sempre ao meu lado' 6

“Tem que haver um propósito para tudo aquilo que eu vivi”

Em um post compartilhado nas redes sociais, Erin refletiu sobre o acidente e tudo que lhe aconteceu desde então.

“[…] Qual foi o sentido de todas as cirurgias e dores pelas quais passei? Qual foi o sentido da minha segunda chance na vida? Puxa, eu aprendi muito passando a vida em uma cadeira de rodas por 4 anos. Sinto-me muito abençoada pelo que tenho na minha vida. Sinto que me tornei muito boa em esconder minha dor cotidiana. Mas vale a pena. Vale até mesmo aqueles pequenos momentos de alegria. Quando acordo na cama de manhã e não consigo descobrir onde deixei meu telefone, grito para Jack algumas vezes. Normalmente ele está do lado de fora fazendo algum tipo de jardinagem ou algo assim. Ele acorda tão cedo… 😂 Então eu aproveito esse tempo para ficar sozinha com meus pensamentos”, disse.

“Sendo tetraplégica, você nem sempre tem muito tempo sozinha. Eu não tenho esses momentos sozinha no chuveiro. Gosto de tirar um tempo para pensar em quão confortável é minha cama, como dormi bem naquela noite, sobre o que vou fazer para tornar este dia um ótimo dia, etc. Às vezes é, às vezes não. Há alguns meses sinto dores fortes no lado esquerdo. Fui ao pronto-socorro 3 vezes e ainda não tenho ideia do que está causando isso. Nos dias em que acordo e o nível de dor é apenas 6, já sei que vai ser um bom dia. A vida é difícil. Não importa em que situação você esteja, é DIFÍCIL. Mas cabe a você fazer o  seu dia melhor 💓”, completou.

Assista ao vídeo na íntegra:

Aos poucos, ainda estamos engatinhando, aprendendo o que é o amor! 🤍

Fotos: Reprodução / Instagram: @erin.fieldd

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,806,528SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Microsoft desenvolve app que identifica espécies de flores através de uma foto

Você é daquelas pessoas que nos caminhos do dia a dia nota uma bela flor, para, admira e sorri? Então esta novidade da Microsoft vai te...

Os burros também podem ser fofos e aqui estão 30 fotos que provam isso!

Quem diz que os burros são animais feios ou que simplesmente não podem ser fofos nunca viu um deles nadando em uma piscina, tomando...

“Ela é minha luz”, diz pai solo e gay 4 anos após adotar menina com Down rejeitada por 20 famílias

A pequena Alba, hoje com 5 anos, nasceu com síndrome de Down. Infelizmente, seus pais biológicos não aceitaram sua condição e a abandonaram em...

Vai ter Doritos nas cores do arco-íris sim!

A marca Doritos nos Estados Unidos, anunciou nesta semana uma parceria com o projeto It Gets Better que vai produzir uma versão exclusiva –...

A educação como caminho para combater a intolerância de gênero

“Acredito que o primeiro passo é desconstruir a ideia de que existe "coisa de menino" e "coisa de menina", azul pra um e rosa...

Instagram

Três anos após acidente que a deixou tetraplégica, jovem agradece apoio do namorado: 'Sempre ao meu lado' 8