Jovem de 18 anos adota bebê com deficiência que sofria maus-tratos de genitora (PE)

Conheçam a história da jovem mamãe Bruna Felix, 18 anos, que adotou a bebê Ester Vitória, hoje de 2 anos. Ambas enfrentaram todas as dificuldades do mundo para estarem juntas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bruna nunca imaginou em sua vida ser mãe tão nova, mas quando conheceu a Ester num bairro onde mora em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, sentiu que precisava tê-la ao seu lado.

Para ajudá-los no tratamento da pequena Ester, lançamos a sua vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

Ester tem paralisia cerebral e epilepsia, se alimenta apenas por uma sonda na barriga e sofria maus-tratos da genitora. Sua saúde fragilizada necessita de cuidados diários e tratamentos que a Bruna, ao lado do marido Geovane Santos de Souza, 20 anos, não conseguem pagar sozinhos.

 

bebê abandonada no hospital com os pais adotivos
Essa é a nova família da Ester! Foto: Arquivo Pessoal

Como seus caminhos se cruzaram

Ester tinha apenas 1 ano quando a Bruna a viu pela primeira vez. Por ser vizinha da genitora, ela infelizmente presenciava diariamente os maus-tratos que a bebê sofria.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Passava horas e até dias sem se alimentar, não tomava banho, chegou a ter mau cheiro, tinha uma desnutrição muito grave. Com apenas um ano, ela só pesava 3 quilos e 200 gramas”, lembra Bruna.

bebê abandonada em hospital no colo da mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Com a vontade de tirar a Ester daquele sofrimento, Bruna fez denúncias e começou a visitá-la e levá-la para passar o dia com ela.

“Levava Ester para minha casa, cuidava e no final do dia, tinha que devolver para genitora com o coração partido”, lembra.

bebê abandonada em hospital no colo da mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Maus-tratos e adoção

Numa dessas visitas à casa da Bruna, Ester começou a passar mal e teve crises de convulsões.

“Ficou internada e a genitora começou maltratá-la dentro do hospital. Foi então que ela perdeu a guarda de Ester e ninguém da família queria ficar. Ela iria para um abrigo”, lembra Bruna.

Por ser muito nova, Bruna não podia ficar com a bebê. Depois de 4 meses internada, Ester foi para um abrigo.

“Ela ficou lá por dois dias, mas voltou para emergência muito debilitada e os médicos definiram Ester em estado terminal, e que não poderia ficar no hospital mais.”

bebê abandonada em hospital com a mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Nesse meio-tempo, Bruna completou 18 anos e com o apoio da sogra e do marido, lutou para conseguir a guarda da menina e tirá-la do hospital.

Hoje, completaram 5 meses que a Bruna conseguiu a guarda provisória da Ester pelo nome da sogra. Seu sonho é conseguir finalmente a adoção.

“Hoje, ela vive bem e até sorri, vim morar com minha sogra para ela me ajudar com a Ester junto com meu marido.”

antes e depois de bebê abandonada em hospital
Foto: Arquivo Pessoal

Dificuldades para custear o tratamento da Ester

Bruna não trabalha, vive para cuidar da Ester. Seu marido trabalha num mototáxi e sua sogra trabalha na limpeza de uma empresa.

A família não recebe nenhum benefício do Governo pelo estado de saúde da Ester e possui custos mensais com curativos, fraldas e equipamentos de alimentação, já que a bebê só se alimenta por sonda.

A vaquinha é para ajudá-la com os tratamentos da Ester. Clique aqui e contribua. Você também pode acompanhar o dia a dia da Ester pelo @adotaresedoar .

bebê abandonada em hospital sorrindo
Foto: Arquivo Pessoal

Vamos ajudar a Ester com o seu tratamento? Clique aqui e contribua.

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,714FãsCurtir
1,763,678SeguidoresSeguir
8,639SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram