Jovem de 18 anos adota bebê com deficiência que sofria maus-tratos de genitora (PE)

Conheçam a história da jovem mamãe Bruna Felix, 18 anos, que adotou a bebê Ester Vitória, hoje de 2 anos. Ambas enfrentaram todas as dificuldades do mundo para estarem juntas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bruna nunca imaginou em sua vida ser mãe tão nova, mas quando conheceu a Ester num bairro onde mora em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, sentiu que precisava tê-la ao seu lado.

Para ajudá-los no tratamento da pequena Ester, lançamos a sua vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

Ester tem paralisia cerebral e epilepsia, se alimenta apenas por uma sonda na barriga e sofria maus-tratos da genitora. Sua saúde fragilizada necessita de cuidados diários e tratamentos que a Bruna, ao lado do marido Geovane Santos de Souza, 20 anos, não conseguem pagar sozinhos.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

bebê abandonada no hospital com os pais adotivos
Essa é a nova família da Ester! Foto: Arquivo Pessoal

Como seus caminhos se cruzaram

Ester tinha apenas 1 ano quando a Bruna a viu pela primeira vez. Por ser vizinha da genitora, ela infelizmente presenciava diariamente os maus-tratos que a bebê sofria.

“Passava horas e até dias sem se alimentar, não tomava banho, chegou a ter mau cheiro, tinha uma desnutrição muito grave. Com apenas um ano, ela só pesava 3 quilos e 200 gramas”, lembra Bruna.

bebê abandonada em hospital no colo da mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Com a vontade de tirar a Ester daquele sofrimento, Bruna fez denúncias e começou a visitá-la e levá-la para passar o dia com ela.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Levava Ester para minha casa, cuidava e no final do dia, tinha que devolver para genitora com o coração partido”, lembra.

bebê abandonada em hospital no colo da mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Maus-tratos e adoção

Numa dessas visitas à casa da Bruna, Ester começou a passar mal e teve crises de convulsões.

“Ficou internada e a genitora começou maltratá-la dentro do hospital. Foi então que ela perdeu a guarda de Ester e ninguém da família queria ficar. Ela iria para um abrigo”, lembra Bruna.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por ser muito nova, Bruna não podia ficar com a bebê. Depois de 4 meses internada, Ester foi para um abrigo.

“Ela ficou lá por dois dias, mas voltou para emergência muito debilitada e os médicos definiram Ester em estado terminal, e que não poderia ficar no hospital mais.”

bebê abandonada em hospital com a mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Nesse meio-tempo, Bruna completou 18 anos e com o apoio da sogra e do marido, lutou para conseguir a guarda da menina e tirá-la do hospital.

Hoje, completaram 5 meses que a Bruna conseguiu a guarda provisória da Ester pelo nome da sogra. Seu sonho é conseguir finalmente a adoção.

“Hoje, ela vive bem e até sorri, vim morar com minha sogra para ela me ajudar com a Ester junto com meu marido.”

antes e depois de bebê abandonada em hospital
Foto: Arquivo Pessoal

Dificuldades para custear o tratamento da Ester

Bruna não trabalha, vive para cuidar da Ester. Seu marido trabalha num mototáxi e sua sogra trabalha na limpeza de uma empresa.

A família não recebe nenhum benefício do Governo pelo estado de saúde da Ester e possui custos mensais com curativos, fraldas e equipamentos de alimentação, já que a bebê só se alimenta por sonda.

A vaquinha é para ajudá-la com os tratamentos da Ester. Clique aqui e contribua. Você também pode acompanhar o dia a dia da Ester pelo @adotaresedoar .

bebê abandonada em hospital sorrindo
Foto: Arquivo Pessoal

Vamos ajudar a Ester com o seu tratamento? Clique aqui e contribua.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,282,832SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Conheça a plataforma Fleety, a primeira rede de compartilhamento de carros da América Latina

A plataforma Fleety é a primeira rede de compartilhamento de carros entre pessoas da América Latina. Além do benefício financeiro da plataforma (os valores...

Pais fazem engenhoca para filha com atrofia muscular poder andar de skate

Iris Oliveira, de 11 anos, filha da artista plástica Aline Giuliani e do skatista profissional Ricardo Porva, tem atrofia muscular espinhal (AME). A condição de Iris foi descoberta...

Óticas Carol disponibiliza óculos de grau por 49 reais para crianças de escola pública

Toda criança tem o direito de enxergar o mundo mais bonito.

Saiba o que responder quando alguém te perguntar: “Sabe com quem você está falando?”

O vídeo a seguir foi feito especialmente para quem se sente superior a todas as outras pessoas. Imprescindível para aqueles que se acham grande...

Instagram

Jovem de 18 anos adota bebê com deficiência que sofria maus-tratos de genitora (PE) 1