Jovem de 18 anos adota bebê com deficiência que sofria maus-tratos de genitora (PE)

Conheçam a história da jovem mamãe Bruna Felix, 18 anos, que adotou a bebê Ester Vitória, hoje de 2 anos. Ambas enfrentaram todas as dificuldades do mundo para estarem juntas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bruna nunca imaginou em sua vida ser mãe tão nova, mas quando conheceu a Ester num bairro onde mora em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, sentiu que precisava tê-la ao seu lado.

Para ajudá-los no tratamento da pequena Ester, lançamos a sua vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

Ester tem paralisia cerebral e epilepsia, se alimenta apenas por uma sonda na barriga e sofria maus-tratos da genitora. Sua saúde fragilizada necessita de cuidados diários e tratamentos que a Bruna, ao lado do marido Geovane Santos de Souza, 20 anos, não conseguem pagar sozinhos.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

bebê abandonada no hospital com os pais adotivos
Essa é a nova família da Ester! Foto: Arquivo Pessoal

Como seus caminhos se cruzaram

Ester tinha apenas 1 ano quando a Bruna a viu pela primeira vez. Por ser vizinha da genitora, ela infelizmente presenciava diariamente os maus-tratos que a bebê sofria.

“Passava horas e até dias sem se alimentar, não tomava banho, chegou a ter mau cheiro, tinha uma desnutrição muito grave. Com apenas um ano, ela só pesava 3 quilos e 200 gramas”, lembra Bruna.

bebê abandonada em hospital no colo da mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Com a vontade de tirar a Ester daquele sofrimento, Bruna fez denúncias e começou a visitá-la e levá-la para passar o dia com ela.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Levava Ester para minha casa, cuidava e no final do dia, tinha que devolver para genitora com o coração partido”, lembra.

bebê abandonada em hospital no colo da mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Maus-tratos e adoção

Numa dessas visitas à casa da Bruna, Ester começou a passar mal e teve crises de convulsões.

“Ficou internada e a genitora começou maltratá-la dentro do hospital. Foi então que ela perdeu a guarda de Ester e ninguém da família queria ficar. Ela iria para um abrigo”, lembra Bruna.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por ser muito nova, Bruna não podia ficar com a bebê. Depois de 4 meses internada, Ester foi para um abrigo.

“Ela ficou lá por dois dias, mas voltou para emergência muito debilitada e os médicos definiram Ester em estado terminal, e que não poderia ficar no hospital mais.”

bebê abandonada em hospital com a mãe adotiva
Foto: Arquivo Pessoal

Nesse meio-tempo, Bruna completou 18 anos e com o apoio da sogra e do marido, lutou para conseguir a guarda da menina e tirá-la do hospital.

Hoje, completaram 5 meses que a Bruna conseguiu a guarda provisória da Ester pelo nome da sogra. Seu sonho é conseguir finalmente a adoção.

“Hoje, ela vive bem e até sorri, vim morar com minha sogra para ela me ajudar com a Ester junto com meu marido.”

antes e depois de bebê abandonada em hospital
Foto: Arquivo Pessoal

Dificuldades para custear o tratamento da Ester

Bruna não trabalha, vive para cuidar da Ester. Seu marido trabalha num mototáxi e sua sogra trabalha na limpeza de uma empresa.

A família não recebe nenhum benefício do Governo pelo estado de saúde da Ester e possui custos mensais com curativos, fraldas e equipamentos de alimentação, já que a bebê só se alimenta por sonda.

A vaquinha é para ajudá-la com os tratamentos da Ester. Clique aqui e contribua. Você também pode acompanhar o dia a dia da Ester pelo @adotaresedoar .

bebê abandonada em hospital sorrindo
Foto: Arquivo Pessoal

Vamos ajudar a Ester com o seu tratamento? Clique aqui e contribua.

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,851,931SeguidoresSeguir
24,983SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Para levar adiante sua cultura, tribo indígena desenvolve game sobre sua própria história

A tribo Huni Kuin queria preservar e levar adiante sua cultura, sua história. Qual a melhor forma de fazer isso hoje em dia? Desenvolvendo um...

Meninas da periferia de São Paulo e região se reúnem em festival no MASP

O Instituto Plano de Menina, criado pela jornalista e comunicóloga social Viviane Duarte em 2016, já configura no Brasil como um dos projetos de...

Desempregada acha dinheiro do Bolsa Família na rua e vai à pé ao banco devolver à dona

Helena Maria do Nascimento estava andando na rua quando encontrou uma carteira com dinheiro. Ao abrir para ver se encontrava um documento com telefone...

Pesquisa aponta que dividir a conta da Netflix é sinal de relacionamento sério

É um fato: Netflix já faz parte da vida de muita gente ao redor do mundo, e aqui no Brasil não é diferente, e...

Morador de rua chora com presente de aniversário surpresa que recebeu

Para muitos, essas pessoas são invisíveis, passando desapercebidas todos os dias. Porém, algumas vezes pessoas de bem vem trazer algum conforto a essas pessoas. Este...

Instagram

Jovem de 18 anos adota bebê com deficiência que sofria maus-tratos de genitora (PE) 2