Argentino que trabalhava colhendo uvas para pagar faculdade se forma em Engenharia e é contratado por multinacional

Por cinco anos, Joel trabalhou debaixo de sol e chuva em uma fazenda de Mendoza, na Argentina, dedicando-se à colheita de uvas para a fabricação de sucos e vinhos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com a renda que tirava todo mês, equivalente a um salário mínimo, ele pagava as mensalidades do curso de Engenharia Eletromecânica.

No início deste ano, a luta chegou ao fim: Joel apresentou seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) na faculdade, conquistou o diploma e agora é um engenheiro formado!

jovem colhia uvas para pagar faculdade
Foto: Arquivo pessoal

“No calor do sol e com a roupa suja em uma fazenda, ainda imaginava um dia levantar o diploma de engenheiro eletromecânico”, disse o rapaz, orgulhoso de sua conquista, após receber o certificado de conclusão do curso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para muita gente, ingressar na universidade após a conclusão do ensino médio é um caminho natural e até obrigatório. Mas nem todos têm essa oportunidade.

Pouco depois de completar 17 anos, Joel viu a mãe perder o emprego e se afundar em dívidas, uma vez que ela sustentava a família sozinha. Quase sem recursos para sequer ir à escola, ele viu o sonho de tornar-se engenheiro ficar cada vez mais distante.

jovem colhia uvas para pagar faculdade
Foto: Arquivo pessoal

Ainda assim, não desistiu! Desafiando os comentários maldosos de alguns familiares, Joel se preparou sozinho para o vestibular, sendo aprovado em uma universidade particular de Mendoza, na Argentina.

As mensalidades eram caras, e o jovem precisou se virar para pagar o curso. “Moro com minha mãe e meus irmãos. Meu pai é falecido. Na época em que fui aprovado, não tínhamos dinheiro para nada. Então, precisei arranjar um trabalho para levar meu sonho adiante”, explicou o rapaz, que foi contratado por uma fazenda local para fazer a colheita das videiras.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

jovem colhia uvas para pagar faculdade
Foto: Arquivo pessoal

Enquanto a mãe fazia bicos como faxineira e diarista, Joel passava oito, às vezes doze horas diárias na lavoura, antes de correr para se arrumar e ir pra faculdade.

Com o passar dos meses, ele começou a contar com a ajuda dos seus irmãos. “Éramos pagos de acordo com a quantidade de frutas colhidas. Tirávamos uma a uma, manualmente”, relembrou.

Conciliar o trabalho com os estudos era um desafio enorme para Joel, que perdeu a conta de quantas vezes chegou à faculdade cansado, quase sem disposição para acompanhar as aulas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

jovem colhia uvas para pagar faculdade
Foto: Arquivo pessoal

Ao lembrar do pai, que faleceu quando ele era criança, o estudante argentino se inspirava e conseguia fazer as atividades. “Estudar virou uma maneira de honrar e homenagear meu pai”, contou.

Enquanto cursava Engenharia Eletromecânica, Joel ouvia todo tipo de comentário desnecessário de familiares. “Diziam que não era pra mim, que era muito caro de arcar e até que o curso era uma perda de tempo”.

Inabalável, ele só ignorava e mantinha seu sonho vivo. Quando a temporada de colheita na fazenda acabava, o jovem trabalhava em uma oficina de pintura de automóveis. Essa rotina durou 5 anos.

Agora, com o diploma em mãos, Joel foi convidado pela Arcor, umas das maiores empresas de alimentos da Argentina, para trabalhar na área de Engenharia de Produção de doces.

Argentino que trabalhava colhendo uvas para pagar faculdade se forma em Engenharia e é contratado por multinacional 2
Foto: Arquivo pessoal

Pura inspiração, né? Da colheita de uvas ao cargo de chefia de uma multinacional. Parabéns, Joel!

E com um salário (bem) superior, o engenheiro tem ajudado a mãe, que é idosa, com os gastos de casa e tem incentivado ela a trabalhar menos, em prol de sua saúde física.

“Depois de 5 anos e 4 meses minha vida mudou para sempre. Todos os preconceitos foram deixados para trás. Agora, carrego comigo o diploma e a felicidade de um sonho realizado ao me tornar um engenheiro eletromecânico”, completou Joel.

“Espero que minha história de vida seja usada como objeto de inspiração a garotos que, como eu, tem lutado por seus sonhos”, finalizou.

Fonte: A24

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Argentino que trabalhava colhendo uvas para pagar faculdade se forma em Engenharia e é contratado por multinacional 3

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,971,659SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cãozinho idoso e cego faz amizade com filhote que vira seu “cão-guia”

Charlie, um golden retriever de 11 anos, chegou à terceira idade canina, mas ainda está cheio de energia e amor para dar. Há alguns anos,...

Afetividade promove aproximação dos alunos com o aprendizado em sala de aula

(Por Ingrid Vogl) Quem passa pelas salas de aula do 2º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Dr. Manoel Alexandre Marcondes Machado percebe uma...

Ela teve a melhor ideia para conter a impaciência dos motoristas no trânsito

Débora colou um cartaz na parte de trás do carro que dizia: “Sou recém-habilitada. Agradeço a paciência”.

Funcionários que adotarem cachorros ganharão folga em cervejaria escocesa

Uma cervejaria bastante conhecida, na Escócia criou uma medida para incentivar seus funcionários a adotarem pets. Adotar um cachorro é mais do que uma bela...

Esta bebê nasceu com uma cabeleira que tem gerado memes maravilhosos na internet

Uma foto sua com essa cabeleira viralizou nas redes sociais e já começaram a surgir memes com ela.

Instagram

Argentino que trabalhava colhendo uvas para pagar faculdade se forma em Engenharia e é contratado por multinacional 4