Jovem com doença rara autoimune, conta como foi superar a amputação e inspira outras pessoas

Foi uma doença rara que fez Letícia Fabri, de 26 anos, mudar a sua perspectiva de vida e inspirar muita gente!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela tem Plaquetopenia Trombocitopenica Idiopatica (PTI), uma doença autoimune, que causa quedas brutas nas plaquetas presentes no sangue. E isso lhe trouxe algumas complicações para a saúde.

View this post on Instagram

Não repara a bagunça 😂.. ⁣ O quarto de vocês vive arrumado ou bagunçado tambem? Me responde ai nos comentários 💕 ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ #quartodecorado #bagunça #beedroom #blogueira #girl #quarentena #quarentine

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A post shared by ✨ 𝐋𝐄𝐓𝐈𝐂𝐈𝐀 𝐅𝐀𝐁𝐑𝐈 🧚🏻‍♀️ (@leticiafabbri) on

Tatá Werneck se emociona ao conhecer história de gari que entrega refeições a pessoas carentes no RS. Conheça a campanha especial #PoderDoSomos

Letícia conta que sempre teve uma vida normal, sem sintomas da doença. Um dia ela passou mal no trabalho e desmaiou.

Uns dois dias depois, Letícia também teve perda da audição, devido as medicações fortes e isso gerou um agravamento da doença, o que fez o sangue dos pés necrosar, precisando amputar.

Ela se diverte contando que as pessoas não entenderam a reação quando o médico disse que precisava amputar parte das pernas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O motivo é que Letícia sempre encarou a situação de forma positiva. A prova disso é um vídeo até cômico, que ela fez contando essa história toda!

View this post on Instagram

Vocês pediram tanto pra eu postar aqui os 3 videos da minha história, que o pedido de vocês é uma ordem!!! Espero que gostem, e fiquem ligados que tenho mil histórias pra contar sobre depois dá amputação 💕

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A post shared by ✨ 𝐋𝐄𝐓𝐈𝐂𝐈𝐀 𝐅𝐀𝐁𝐑𝐈 🧚🏻‍♀️ (@leticiafabbri) on

E nós convidamos Letícia para uma conversa super positiva. Ela conta que desde que amputou o pé, muitas pessoas a procuraram. Algumas para deixar mensagem de apoio e outras, porque estão passando pelo mesmo problema e querem saber como enfrentar a situação de forma positiva, como ela fez.

Eu tento o máximo possível passar para as pessoas a forma que eu vejo a vida, a forma como eu gosto de lidar com as coisas“, conta Letícia.

“Eu tinha duas opções: olhar tudo o que aconteceu, chorar, me lamentar, ficar deitada em uma cama, ou levantar, seguir em frente e continuar vivendo, indo atrás das coisas porque a minha vida não parou aqui. E eu escolhi a opção de seguir em frente.”

Dá uma olhada no vídeo maravilhoso e inspirador que a Letícia gravou para nós!

selo conteúdo original

[Nota da Redação]

Estamos com a campanha especial #PoderDoSomos com OMO contando histórias incríveis de projetos que transformam vidas! Confira o projeto selecionado anunciado pelo Babu Santana:

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,643,961SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Restaurante dá copo de cerveja para cada copo de bitucas de cigarro retiradas da praia

As bitucas de cigarro, ao lado do plástico, são os maiores poluidores dos oceanos. Para combater a poluição em massa desses detritos, algumas iniciativas...

Vídeo mostra que nem os “durões” resistem a filhotes de gatos

É difícil de acreditar, mas nem todo mundo é fã de gatos, porém, nem os mais "durões" conseguem resistir a filhotinhos. O site de...

Estudante que vendia bombons no ônibus para pagar faculdade se forma em medicina

Casado e pai de duas meninas, Jessé Soares vendia bombons nos ônibus de Belém para pagar as despesas com material da faculdade de medicina da...

Estudante argentino produz próteses para cachorros amputados de graça

As próteses são gratuitas e feitas sob encomenda.

Gaúcho conserta macas e cadeiras de rodas de hospital que o ajudou a tratar depressão

Um ano e meio atrás, Ralf precisou ficar internado no Hospital Municipal de Novo Hamburgo (RS) por quinze dias para tratar um quadro de...

Instagram