Adolescente que dormiu na rua e sonha em ser delegado é aprovado em Direito numa universidade pública

Imagine a luta que é dormir na rua em meio a uma pandemia, precisando estudar para o vestibular. Essa é a história do Vitório da Silva Ferreira e tem um final feliz! Aluno de escola pública, foi aprovado no curso de direito da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O adolescente saiu de casa devido a questões familiares. Seu pai morreu quando ele tinha apenas 6 anos e a mãe desenvolveu problemas psicológicos, que prejudicavam o estudo de Vitório, 17 anos.

Sem ter para onde ir, de abril a junho de 2020, Vitório passava as noites no estacionamento de uma farmácia no bairro de Capim Macio, em Natal.

jovem estudando estacionamento farmácia
Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Combustível

Em busca do sonho de se tornar delegado, quando amanhecia, Vitório ia para o campus da UFRN, onde comia e utilizava a internet para assistir às aulas on-line da escola em que concluiu o ensino médio e conteúdos extras no YouTube.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Nas ruas eu encarava o conhecimento como uma fuga pra todos os problemas que eu tinha. Por mais que inúmeras dificuldades me fossem apresentadas, eu podia utilizá-las como combustível para alcançar o meu sonho”, conta Vitório.

Além disso, aproveitava um dos banheiros da universidade para tomar banho e lavar a roupa. Nesse tempo, ele também ganhou algumas cestas básicas da sua escola, garantindo a alimentação durante os dois meses.

Ainda na UFRN, usava o microondas de um vigilante para preparar suas refeições. Vitorio saiu das ruas em junho, encontrando abrigo na casa de amigos e arrumando um trabalho informal como garçom em um bar. Hoje, está sob responsabilidade de uma tia.

Estudantes criam vaquinha

Para ajudar Vitório a batalhar pelo seu sonho, estudantes de Direito da UFRN lançaram uma vaquinha virtual. Rapidamente, a meta inicial foi ultrapassada. Até a publicação deste texto, a campanha havia arrecadado R$ 19.659 mil.

Com o valor, Vitório adquiriu um celular novo e pretende comprar um notebook. Ainda vai poder montar um ambiente de estudos bem bacana, além de suprir necessidades básicas, como alimentação, pois sua tia também passa por dificuldades financeiras.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sonhar, acreditar e batalhar!

E claro que Vitório não poderia se despedir sem deixar um conselho para você não desistir dos seus sonhos:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu tenho orgulho dos momentos de conquistas que eu venho obtendo. Mas o mais importante, de verdade, é lembrar dos momentos que eu não desisti de acreditar naquilo que me fazia sonhar quando vou me deitar. É ter a percepção de que naquelas noites que eu dormia na rua, acreditava na educação para ascender socialmente. É acreditar e seguir na caminhada.”

Demais, Vitório! Voe alto! 🚀


Quer mais uma história inspiradora? Dá o play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,493,634SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Garotinho de quatro anos ganha festa do caminhão de lixo

O blim-blém da buzina é o sinal. Sandálias nos pés, no colo da mãe e com os olhos voltados para a rua, através da...

Escolas do Espírito Santo levam meditação e inteligência emocional às salas de aula

Já mostramos aqui uma escola em Florianópolis que inseriu meditação em sua grade e também apresentamos uma lista de benefícios de incluir essa prática em...

Padre cria campanha contra a fome, após descobrir que fiéis estavam sem comer

Durante a celebração da missa da Semana Santa, na zona rural de Tamandaré (PE), em que no sermão, o padre Alindo Junior falava da...

De família humilde, esse brasileiro precisa da sua ajuda para estudar na melhor universidade do mundo

Segundo índices da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), apenas 14% dos adultos brasileiros chegaram ao ensino superior. De origem humilde, o estudante...

Instagram