Jovem “esquece” livros no metrô para incentivar a leitura e deixar o celular um pouco de lado

Soube desse projeto há algumas semanas, e fiquei muito feliz em saber sobre ele. Trata-se do projeto “Leitura no Vagão”, do desenvolvedor de software Luís Fernando Tremonti, que resolveu partilhar seu prazer pela leitura de um modo bastante simples, mas muito efetivo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele diz: “Entro todos os dias no vagão e vejo um monte de gente no celular, enquanto apenas uma ou duas leem”, ele mora em São Paulo, e todo dia sai da estação Barra Funda (Linha 3 – Vermelha) e vai até o Paraíso (Linha 1 – Azul) sempre acompanhado de um bom livro. “Tenho amigos que dizem não ter tempo para leitura, mas entram no metrô e pegam direto o celular”. Então ele pensou: “O que posso fazer para tornar a viagem de todos mais agradável?”.

Resolveu então, tentar estimular a leitura neste nosso trajeto de cada dia. Tornando, assim, a viagem mais “produtiva”.

Criou então uma página no facebook e no twitter. Mandou fazer alguns panfletos para colocar dentro dos próprios livros e começou a “esquecê-los” nos vagões do metrô. Mas não apenas isso, ele também faz sorteios de vale-livros de escritores independentes. Uma das  ideias  é que os leitores tirem selfies com os livros e a postem no twitter e no facebook com a #leituranovagão, contando alguma curiosidade sobre a obra.
DSC0537010592922_810244685672728_3685909293993828252_n 10868106_385060945001595_1534049186318610012_nunnamed

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,266,727SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Nos EUA, pesquisador brasileiro fatura prêmio internacional de física

O trabalho de Brandão contribuiu para o Google desenvolver o primeiro computador quântico do planeta.

Estes hospitais foram projetados para ajudar a curar mais rapidamente

Segundo matéria da Fast Coexist, as principais causas de morte em hospitais nos EUA são infecções hospitalares e erros médicos. Porém, redesenhar o espaço físico...

Estudo sugere que lembranças boas ajudam a combater doenças como depressão e ansiedade

Pensar nas lembranças boas da vida é um poderoso antídoto para doenças como a depressão e ansiedade, sugere um estudo de pesquisadores da Universidade de Liverpool.

Clientes fazem doações e salvam sorveteria atendida por pessoas com síndrome de Down

A gente vem conhecendo histórias de comércios que passam por dificuldades nesta pandemia. O ano de 2020 não está sendo fácil, mas com a...

Som da esperança: idosa toca piano em casa destruída por explosões no Líbano e vídeo viraliza

A capital do Líbano, Beirute, virou um cenário de guerra depois das fortes explosões que deixaram mais de 100 mortos e 4 mil feridos...

Instagram

Jovem "esquece" livros no metrô para incentivar a leitura e deixar o celular um pouco de lado 4