Jovem paraplégico e morador de abrigo passa no vestibular da UFRGS

Adrian Torres, de 21 anos, enfrentou vários obstáculos até ver seu nome na lista de aprovados do curso de Ciência da Computação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em 2013, ele foi atingido por uma bala perdida no pescoço, que acabou tirando seus movimentos do peito para baixo. Adrian estava no primeiro ano do ensino médio quando aconteceu o incidente. O rapaz passou três meses no hospital e teve que interromper os estudos.

Foi nessa época também que ele se mudou para o abrigo Cônego Paulo de Nadal, em Porto Alegre, onde receberia uma assistência adequada às suas necessidades. O local atende pessoas com diferentes tipos de deficiências motoras e cognitivas.

No ano seguinte, ele retomou os estudos e foi até o fim.  “Foi bem difícil. Eu pensei que não ia mais mexer os braços. Nem sabia se ia poder voltar a estudar”, recorda Adrian, que precisa utilizar um adaptador para conseguir escrever.

Depois que concluiu o ensino médio, Adrian foi aprovado em duas faculdades com a nota tirada na prova do ENEM. Porém, seu grande objetivo era a vaga na UFRGS, que ele conquistou no vestibular deste ano. A concorrência era alta: 10,08 candidatos por vaga. Por isso, além de estudar por conta própria, Adrian cursou o pré-vestibular popular Dandara dos Palmares.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em 41 anos de existência, essa é a primeira vez que um morador do abrigo Conego Paulo de Nadal vai para a universidade. O orgulho da instituição é tão grande, que os funcionários penduraram uma faixa parabenizando Adrian e exaltando sua conquista (foto abaixo).

Jovem paraplégico e morador de abrigo passa no vestibular da UFRGS 3

As aulas na universidade começam só em março. Enquanto isso, Adrian concilia o tempo livre entre a correria para organizar a documentação necessária para fazer a matrícula, idas ao cinema e sessões de filme em casa. Ele ainda não sabe o que esperar das aulas, mas já decidiu a área onde quer trabalhar quando concluir o curso: TI (Tecnologia da Informação).

“Já fiz alguns cursos de informática, mas só o basicão. Vi que ia gostar da faculdade e que é um curso que tem futuro”, disse o futuro cientista da computação.

Com informações do site GAÚCHAZH

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

foto: Agência RBS

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,807,432SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Dias após ter seu celular roubado, catarinense encontra outro na praia e devolve ao dono

No início deste mês, o produtor Luiz Lima foi assaltado em Balneário Camboriú (SC). O criminoso levou a única coisa que ele tinha para...

Artista faz instalações de bordados gigantes em Madri para levar mais cor ao cotidiano

Existem várias formas de deixar nossa cidade um local mais humano e cheio de vida pulsante, muitos pessoas tem feito iniciativas simples, mas extraordinárias...

Campanha pede o fim da lei que proíbe gays de doarem sangue

Entra ano sai ano, os bancos de sangue precisam fazer campanhas publicitárias para arrecadar doações, pois os estoques são baixos em várias cidades brasileiras...

Bar abriga dezenas de cães resgatados que seriam sacrificados em matadouros: ‘Todos merecem uma 2ª chance’

Em um bar em Portland, Oregon (EUA), durante boa parte do dia, há mais cães adotados distribuídos no estabelecimento do que clientes sentados nas...

Dia Mundial de Combate ao Câncer: Mãe transforma dor em amor após perder a filha para a doença

Hoje, 4 de fevereiro, comemoramos o Dia Mundial de Combate ao Câncer. Essa data foi criada para trazer conscientização contra a doença, que alcança 18...

Instagram

Jovem paraplégico e morador de abrigo passa no vestibular da UFRGS 5