Jovem que perdeu família para o tráfico vira professor

Filho, sobrinho e irmão de traficantes mortos. As portas do tráfico estavam abertas para Vinícius Miranda, mas ele disse “não”. O jovem acaba de se formar em Educação Física. A primeira etapa do curso, a licenciatura, já foi. Ele segue na faculdade para completar o bacharelado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Vinícius, 25 anos, quis logo exibir o seu primeiro diploma para fazer um desabafo. Ele postou uma foto na sua conta no Twitter dizendo que poucas pessoas acreditavam que ele teria um final diferente do seu pai, de um tio e de um irmão.

“Vou exibir isso aqui em todo lugar mesmo, pq eu lutei pra conquistar. É preto, favelado e PROFESSOR! Tô formado”, escreveu.

Jovem perdeu família tráfico vira professor

Leia também: Ex-empregada doméstica ‘enfrenta’ o tráfico e alimenta 230 crianças todos os dias em favela de SP

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dez dias depois, o post tinha quase 50 mil curtidas e 11 mil compartilhamentos. Vinícius, mais conhecido como “Vinícius Jump” disse em entrevista para o site Rio de Boas Notícias que ficou surpreso com a repercussão e que é um “sobrevivente”.

“Vejo tanta coisa ruim acontecendo ao meu redor. Família e amigos morrendo ou sendo presos. Não viu ninguém chegando ao ensino superior. Me sinto um sobrevivente”, conta.

Nascido em Vigário Geral, comunidade na Zona Norte do Rio, viveu lá até os 9 anos com seus padrinhos. Hoje, ele mora no bairro Santa Cruz, o mais distante do centro da cidade, com sua mãe, padrasto, irmãos, sobrinhos e cunhados – 12 pessoas dividem a mesma casa.

Jovem perdeu família tráfico vira professor

Vinícius teve pouco contato com seu pai, perdido para o tráfico, em um assassinato, quando ele tinha apenas 3 anos. Um tio de Vinícius teve o mesmo destino: se envolveu com o tráfico e desapareceu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Porém, a maior perda de todas foi a de um irmão três anos mais velho. Giovane tinha 15 anos quando foi assassinado, em 2011. “Ele não dava nenhum indício de envolvimento com o tráfico. Era tranquilo e estudioso. De repente sumiu de casa e aí descobrimos. Um mês e meio depois, morreu”, lembra.

Depois da morte do irmão, Vinícius decidiu que não queria ver a mãe chorando a morte de mais levado pelo tráfico. Foi quando ele decidiu fazer faculdade de Educação Física.

Jovem perdeu família tráfico vira professor

Vinícius estuda na Universidade Salgado de Oliveira, em Niterói, com uma bolsa de esportista – participa de competições de atletismo representando a universidade. Mas, apesar de ter a bolsa, enfrentou dificuldades financeiras e até pensou em desistir. Trancou a faculdade por um semestre por falta de dinheiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Precisava pagar a passagem e não dava. Também tinha que fazer cursos extracurriculares exigidos e não tinha como bancar. E, quando tinha, precisava usar um computador para fazer os trabalhos e era preciso arrumar alguém que me emprestasse”, lembra.

Ele só voltou para a faculdade porque contou com a ajuda da mãe, do avô e do padrasto. Vinícius fez questão de agradecer esse apoio nas redes sociais quando foi acusado de “vitimismo”.

Jovem perdeu família tráfico vira professor

Jovem perdeu família tráfico vira professor

Formado, Vinícius começa a planejar seu futuro. Ele pretende dar aulas em colégios e ser treinados de atletismo para descobrir novos talentos do esporte. Ele também escreve poesias e letras de rap e espera ganhar mais visibilidade na cena artística.

crédito das fotos: Vinícius Miranda/Arquivo pessoal

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,851,931SeguidoresSeguir
25,005SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Anônimo constrói casinhas térmicas para cães de rua se protegerem do frio no Chile

O rígido frio das noites chilenas motivou uma pessoa anônima a construir casinhas térmicas para os cães em situação de rua de Santiago. Com papelão,...

Brasileiros reproduzem invenção de garoto canadense que protege orelha no uso de máscaras

Quando a gente fala sobre o poder do exemplo não é à toa. O Razões mostrou a iniciativa de um garoto que inventou um acessório para...

Garota de 14 anos cria app que ajuda pacientes com Alzheimer a reconhecer os outros

Algumas pessoas realmente são mais precoces do que outras, como é o caso de Emma Yang, que tem apenas 14 anos e já criou...

Prefeitura de SP reforma prédio histórico que agora vai abrigar artistas idosos

Olhem só que beleza, nem só de notícias ruins vive a nossa política! Confesso que nos tempos em que estamos vivendo é um alívio...

Instagram

Jovem que perdeu família para o tráfico vira professor 2