Jovem de 17 anos que fazia programação em celular quebrado ganha emprego e vaquinha para custear os estudos

A vida do jovem Cezar, de 17 anos, deu uma reviravolta nos últimos três meses. Após matéria publicada aqui no Razões e vaquinha da VOAA, sua história viralizou no final de 2020, quando contou como batalhava para aprender programação usando celulares quebrados, e ele acabou sendo contratado para trabalhar como programador pela PicPay, empresa de pagamentos por aplicativo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Segundo a head de Pessoas & Cultura do PicPay, Mariana Damiati, Cezar possui as características que a empresa procura, como “vontade de transformar a vida das pessoas”.

“O Cezar está alinhado aos valores que buscamos em todos os profissionais do PicPay, como humildade para aprender, determinação, disciplina e, principalmente, a vontade de transformar a vida das pessoas. […] Ele vai nos ajudar a tornar a vida das pessoas mais fácil, agora como nosso colaborador”, explicou Damiati.

O rapaz de Caratupera (MA) pôde largar os celulares que usava para programar. Cezar recebeu doações de notebooks e R$ 81.603,00 via vaquinha para investir em sua educação, além de terminar a construção da casa de sua mãe, a dona Katia.

Casa de dona Katia está terminando de ser construída
Vaquinha do VOAA ajudará Cezar e sua mãe, Katia, a terminarem a construção da casa da família, no Maranhão. Foto: Arquivo Pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O rapaz, que um dia precisou comprar celulares quebrados para começar a programar, agora tem toda a estrutura necessária para crescer na área. Ele, inclusive, se mudou de Caratupera e foi para Belém (PA), pois a casa na qual morava com a mãe fica em uma zona rural com internet instável.

“Vim para [Belém] para ter uma estabilidade maior para trabalhar e estudar em casa. No interior, onde eu morava, há internet, mas é instável, além de ser uma área distante do centro da cidade, distante de bancos, hospitais… Sem perceber, realizei um sonho meu de criança, que é morar sozinho, além de trabalhar em algo que amo. Estou muito feliz nessa nova fase. O próximo sonho a realizar é o de ter a casa própria”, contou Cezar em entrevista exclusiva ao Razões Para Acreditar.

Cesar mora sozinho em Belém (PA)
Com apoio de internautas, Cezar conseguiu se mudar para Belém (PA). Foto: Arquivo Pessoal

Cezar também ganhou cursos da Alura e da Blue Edtch para crescer profissionalmente na área de programação. A fundadora e CEO da Blue Tech, Daniela Lopes, ressaltou a importância de histórias inspiradoras como a do jovem.

“A ideia é que Cezar dedique de duas a quatro horas por dia ao curso, podendo conciliar aulas com o trabalho. O nosso objetivo é ajudar jovens que tenham o mesmo talento e força de vontade que Cezar a terem uma boa oportunidade no mercado de trabalho.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A simples postagem de Cezar, que nem podia imaginar todo apoio que receberia, é um grande sinal de como podemos ajudar o próximo. Agora, o menino do interior do Maranhão não precisa mais apoiar seu mouse e teclado na gaveta de uma cômoda para programar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu não esperava receber nem R$ 150, nunca imaginei receber reconhecimento ou alcance. Eu compartilhei minha história primeiro entre os usuários de meus robôs, com a meta de R$ 300 pra consertar meu outro celular. Pedia para minha mãe tentar inteirar e ela me respondia: ‘tenho fé que tu vai conseguir muito mais que o suficiente. Espera sete dias pra ti ver’. E sete dias depois todo o ‘boom’ havia acontecido. A ficha demorou pra cair, parecia um sonho.”

Apoie: Após melhor amigo ser morto por gangue, homem cria escola de surf em comunidade violenta do Ceará

Com toda a repercussão do caso, Cezar ganhou notebooks de internautas que se sensibilizaram com sua história. Para continuar a rede de solidariedade, o jovem passou a informar àqueles que entraram em contato que não precisava mais dos equipamentos e que deviam ajudar outras pessoas necessitadas.

“Os primeiros dias foram puxados, busquei ler e responder a todas as mensagens. Dentre elas haviam pessoal oferecendo notebooks usados. A partir do momento em que duas pessoas ofereceram, […] a maioria voltou atrás para poder ajudar outras pessoas. Agradeço muito a cada pessoa que ajudou de qualquer maneira, compartilhando, enviando mensagens positivas, se disponibilizando a ajudar, tudo isso está mudando a minha vida”, concluiu Cezar.

Muito obrigado aos 1.350 transformadores que apoiaram a vaquinha da VOAA e a todos aqueles que, de alguma forma, ajudaram a mudar a vida do Cezar! <3

Quer conhecer o desfecho de outra vaquinha? Dá o play!

Selo Conteúdo Original Razões para Acreditar

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,638,512SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Um anel que possibilita cegos lerem livros comuns que não têm Braille

O avanço tecnológico tem se mostrado muito eficaz no que se refere a salvar  e melhorar a qualidade de vida de pessoas mundo a...

Menina de 10 anos se recusa a alisar cabelo e faz vídeo para incentivar outras meninas

Apesar de ter apenas 10 anos, ela já mostra que sabe muito bem o que quer. Decidida, Júlia Belmont, dona de uma cabeleira de...

Policiais distribuem ‘gelinho’ e estreitam laços com a comunidade

“Eles percebem que existe algo por trás do distintivo."

Colgate-Palmolive vai doar 25 milhões de sabonetes para ajudar a combater Covid-19

A Colgate-Palmolive está apoiando a campanha global #SafeHands da Organização Mundial da Saúde (OMS) por meio da produção e doação de 25 milhões de...

Projeto refaz a carteira e mesa escolar baseada nas necessidades dos alunos

O 'Mount Sua Escola' é um case incrível de Design Thinking aplicado ao ambiente escolar.

Instagram