Sem internet e com livros encontrados no lixo, pernambucano passa em universidade pública

Quais são as barreiras e limites para estudar? Para Davi Eduardo Ferreira de Brito, 20 anos, poucas coisas podem ficar entre ele e o seu sonho de ser professor.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O jovem de Recife (PE) conseguiu passar para o curso de geografia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), mesmo sem ter internet em casa e com o auxílio de livros encontrados no lixo.

Esta vitória não é só de Davi, mas de toda sua família, que vê o menino ser o primeiro a ingressar em uma universidade pública. De acordo com o jovem, seu objetivo é ressignificar em sua comunidade o que a escola pode representar para um garoto pobre.

Prédio de universidade no Brasil
Davi estudará na UFPE, considerada uma das 15 melhores universidades do Brasil. Foto: reprodução/Instagram UPFE Ascom

“Sempre quis ser professor. Gosto muito de transmitir o que aprendo. Quero ensinar para encorajar outros jovens, principalmente da minha comunidade, para estudarem.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Muitos não têm esperança de que com os estudos podem melhorar de vida. Encaram a escola como uma fuga da realidade, vão só para comer a merenda e passar o tempo”, contou Davi ao Jornal do Commercio.

Porém, o jovem pernambucano ainda não está satisfeito! A vaga que ele conseguiu no curso de geografia da UFPE é para bacharelado e não licenciatura – especialização necessária para dar aula. Apesar disso, ele garante que vai tentar uma transferência interna para realizar seu sonho.

Davi continuará conciliando estudos e trabalho

Além das dificuldades impostas pela falta de internet em casa durante o ensino remoto do novo coronavírus, Davi precisou arrumar um emprego para ajudar a família. Atualmente, o jovem trabalha descarregando cargas para uma empresa de produtos de saúde.

Ainda que tenha passado para a faculdade de geografia, Davi continuará no emprego e buscará, de alguma forma, conciliar a nova rotina com o trabalho antigo. Segundo o jovem, um dos seus desejos após se formar é dar uma condição segura para sua família.

A mãe de Davi não trabalha, pois precisa cuidar de seus dois irmãos menores. Já o padrasto é motoboy e, ao lado de Davi, são as únicas formas de renda da casa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“É um orgulho imenso ver meu filho chegar onde chegou. Nunca pensei que isso pudesse acontecer, apesar de sempre incentivá-lo. […] Estamos felizes demais. Estamos abestalhados, já chorei e tudo”, contou Claudia Feijó, mãe de Davi.

Quem aí duvida que Davi vai virar um grande professor e transmitir sua história de superação para jovens como ele! 💪👏


Quer conhecer mais uma história inspiradora? Dá o play!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,493,634SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Funcionários de reserva usam vestimenta com listras para cuidar de bebê zebra órfão

Para oferecer o máximo de conforto e segurança a um filhote de zebra de uma reserva animal, os funcionários do local resolveram se vestir...

Mãe vira alvo de piadas ao anunciar geladeira usada e recebe apoio de internautas

A venda da geladeira era para comprar o leite do filho. Família passa por dificuldades e as piadas magoaram demais a dona de casa.

30 fotos que provam que o mundo não é um lugar tão ruim assim

Muitas das histórias que vocês verão abaixo nós já postamos esse ano, mas vale rever algumas e descobrir algumas outras novas, vejam: 1. Essa foto...

Deficiente visual e sua fiel cadela que não o abandonou após desmaio ganham R$ 175 mil em doações

Deficiente visual e diabético, Fernando da Silva, voltando para casa, tropeçou, bateu a cabeça e desmaiou no meio da rua. A cadelinha Nina, cão-guia de...

Coronavírus: Instituto Federal do RS vai transformar vinho em álcool 70%

O Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) está transformando vinho em álcool 70% para combater a disseminação do novo coronavírus (Covid-19). Por meio...

Instagram