Jovens criam projeto para adaptar parques públicos do RJ para crianças com deficiência

Uma missão nada fácil, mas muito gratificante. Três jovens do Rio de Janeiro se uniram para trazer mais acessibilidade aos parques da cidade. Eles criaram um projeto que montará alguns brinquedos adaptados em locais públicos da capital.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O AdaptaRio foi criado por Cláudio Palhares, 17 anos, Luiza Ourivio, 18 anos, e João Roberto Duque Estrada, 17 anos, que são voluntários na ONG One by One. A ONG gera auxílio para mais de mil crianças e adolescentes de baixa renda com necessidades especiais.

Com ajuda de uma vaquinha online eles conseguiram entregar o primeiro parque no último dia 30 de agosto.

inauguração do primeiro parque adaptado

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O local possui balanço e gira-gira adaptados e fica em uma área do Condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca. O espaço não foi escolhido à toda. Ele já recebe crianças do projeto One by One, focado no auxílio de mais de mil crianças e adolescentes de baixa renda com necessidades especiais.

O projeto quer montar mais três parques

Para os três jovens, as crianças com qualquer necessidade especial também precisam de espaços públicos para entretenimento.

balanço adaptado

“Não podemos achar natural uma parcela das crianças da nossa cidade não ter espaços públicos apropriados para o convívio social. Onde brinca uma criança deficiente, brinca uma sem qualquer necessidade especial. Mas o inverso não é possível. Por isso, resolvemos nos juntar para contribuir para a causa. Estamos felizes em realizar a primeira entrega e em um local tão emblemático e que já acolhe crianças que precisam deste olhar, que é o Pedra de Itaúna, onde está localizada a One by One”, afirma Cláudio.

Cláudio, Luiza e João já estão com três novos parques sendo projetados. Cada espaço custa R$ 21 mil, por isso, eles precisam dividir o trabalho em etapas. A primeira é conseguir verba suficiente para a montagem, depois adquirir os brinquedos e, por último, realizar a construção.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cada praça escolhida receberá um balanço e um gira-gira adaptados.

balanço adaptado

O custo não é alto, mas podemos pagar caro no futuro se não investirmos adequadamente em nossas crianças. Elas têm direito a brincar, se exercitar. Por isso, estamos buscando ajuda junto a sociedade como um todo. Cada um, em sua região, pode doar uma quantia simbólica ao projeto. Somando os esforços, conseguiremos adaptar estas praças e colher sorrisos não só das crianças, mas das famílias que passarão a contar com um auxílio significativo para o lazer”, afirma Cláudio.

As doações para o AdaptaRio podem ser feitas pelo site Vakinha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Olha um vídeo lindo que eles compartilharam no Instagram, mostrando as crianças se divertindo no primeiro parque adaptado!

FONTE: Rio de Boas Notícias

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cidade no Canadá resolve questão dos sem teto de maneira simples e eficaz

Uma pequena cidade chamada de Medicine Hat, localizada no estado de Alberta, no Canadá conseguiu resolver a questão das pessoas sem teto de maneira...

Dona de salão que ajudou moradora de rua trans faz vaquinha para dar uma nova vida a ela

Em menos de duas semanas, a vida da moradora de rua trans Ana Paula ganhou uma reviravolta. Tudo começou quando a dona de um...

Funcionária de hospital adota cão que passou 4 meses na porta esperando pelo dono

Estas histórias servem para nos lembrar que o amor entre os cães e seus donos é algo realmente inexplicável. Este cão amoroso passou 4...

Seu café de todos os dias agora promove o bem para quem precisa

A ONG portuguesa Banco Alimentar Contra a Fome, em parceria com a Nespresso, criaram um projeto para impactar positivamente o ambiente e a sociedade. Idealizado há...

Instagram

Jovens criam projeto para adaptar parques públicos do RJ para crianças com deficiência 2