Juiz autoriza casal homoafetivo a sacar FGTS para custear reprodução assistida

Graças ao saque parcial do seu FGTS, a advogada Mariane Stival e sua esposa, a empresária Jordana Stival, conseguiram realizar a reprodução assistida. Uma vitória pessoal, mas que abre precedente para mais casais terem o mesmo direito.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em decisão inédita, o juiz federal Alaôr Piacini, da Subseção Judiciária de Anápolis-GO, permitiu à Mariane sacar R$ 28 mil do seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para custear o tratamento.

Saque do FGTS foi uma alternativa à longa espera no SUS

Desde 2012, o Sistema Único de Saúde possui um programa de reprodução assistida ou inseminação artificial.

No entanto, as longas filas de espera nas poucas unidades públicas que oferecem o tratamento não permitiram à Jordana aguardar sua vez, pois lhe restavam apenas três óvulos.

O juiz Piacini comentou sobre a decisão: “a questão se assemelha de certa forma à hipótese de um tratamento de saúde grave, razão pela qual entendo plenamente possível o saque do valor necessário ao custeio do tratamento almejado.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em casos relacionados a tratamentos de saúde, o saque parcial ou total do FGTS é reservado a trabalhadores ou dependentes que sejam portadores de HIV, trabalhadores ou dependentes diagnosticados com câncer, trabalhadores ou dependentes que estejam em estágio terminal de doença rara grave, e/ou quando o trabalhador com deficiência, por prescrição médica, necessitar de órtese ou prótese.

Porém, o magistrado argumentou que: “Não se poderia exigir do legislador a previsão de todas as situações fáticas ensejadoras de proteção ao trabalhador, mediante a autorização para levantar o saldo de FGTS.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mais casais poderão se beneficiar

A decisão poderá beneficiar todos os casais, heterossexuais ou homoafetivos, que não conseguem ter filhos pelo método natural.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“É a realização do maior sonho das nossas vidas. E estamos mais felizes ainda em abrir um precedente para que outras mães possam realizar o sonho da maternidade. Em um país onde a reprodução assistida tem um custo tão inacessível, essa decisão é uma vitória muito grande para todos”, comemora Jordana.

Sem dúvida, enche de esperança casais que chegam a esperar de dois a quatro anos para realizar o procedimento via SUS, segundo a Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA).

Mariane, que já era mãe, e Jordana esperam ansiosas a chegada de Giuseppe! 👶

Com informações do Conjur


Quer mais uma história inspiradora? Aperte o play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,575,137SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Alunos de Palmas (TO) aprendem a plantar alimentos orgânicos

Milho, mandioca, abacaxi, melancia e abóbora. Os alunos da rede municipal de ensino de Palmas (TO), nessa volta às aulas, aprenderão plantar alimentos orgânicos...

Fotógrafo se une a biólogos cubanos para salvar ‘caracol mais bonito do mundo’ da extinção

Cuba tem a maior biodiversidade de caracóis do planeta. Um dos mais bonitos, o caracol pintado (polymita), só existe na ilha do Caribe. Sua...

Cidade do Paraná vai ser totalmente abastecida por biocombustível animal

A cidade paranaense de Entre Rios do Oeste, de apenas 4 mil habitantes, vai ser totalmente abastecida por biocombustível animal. A prefeitura firmou uma parceria...

Escócia alcança 100% de capacidade de produção de energia eólica

A National Grid, empresa responsável pela administração da energia produzida na Escócia comunicou à imprensa que a produção de energia eólica do país foi...

Instagram