Juíza prioriza processos de adoção “para não deixar nenhuma criança sem lar” em SC

A juíza Lívia Borges Zwetsch elegeu como sua prioridade o julgamento de processos de adoção, para não deixar nenhuma criança sem lar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em entrevista à Revista w3, a magistrada disse que zerou o número de crianças abrigadas na Casa Lar da Comarca, na cidade de Santa Rosa do Sul, em Santa Catarina.

“Hoje, felizmente não tenho nenhuma criança ou adolescente disponível para adoção, e nem processos de destituição do poder familiar em andamento. Os menores que atualmente estão acolhidos aguardam a reestruturação da família, o que espero que em breve aconteça”, afirma a juíza, que quando pode visita a casa de acolhimento e leva as crianças para atividades de recreação e lazer.

Relacionado: Casal que havia feito ensaio pré-adoção refaz fotos agora com a chegada da filha

Lívia mostrou um desenho feito por uma menina de nove anos que se sentiu acolhida por ela. “Juíza muito obrigado por nos dar uma chance”, escreveu a pequena. A menina e seus quatro irmãos ficaram no abrigo por cinco meses, enquanto o instituto conscientizava os pais sobre seus deveres como provedores e educadores da família.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Tenho um carinho enorme por elas, pois sei da realidade difícil que as crianças enfrentam. São crianças e adolescentes na maioria muito dóceis e carinhosos, é muito fácil de ficar encantada”, conta emocionada.

Para os casais ou pessoas que querem adotar uma criança, a juíza afirma que é fundamental saber que adoção não é o mesmo que filantropia nem caridade. Ela explica: “Adotar é entregar-se sem medo e por inteiro à maternidade ou à paternidade. Adoção é, em essência, um ator de amor”.

Foto: Reprodução/Revista w3

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,419,547SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Para levar adiante sua cultura, tribo indígena desenvolve game sobre sua própria história

A tribo Huni Kuin queria preservar e levar adiante sua cultura, sua história. Qual a melhor forma de fazer isso hoje em dia? Desenvolvendo um...

Após interromper a carreira de jogador de futebol, ele encontrou novas oportunidades na educação

“Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?” No Brasil pouquíssimos meninos. Meu nome é Alefher Silva Nascimento e eu vivi durante seis...

Hospital realiza desejo de paciente com câncer e o leva para ver o mar

Provavelmente o Luciano França, de 56 anos, está passando por alguns dos momentos mais difíceis de sua vida. Ele sofre com um câncer no...

Condomínio na Grande São Paulo dá exemplo de sustentabilidade e bem estar

Quando nos deparamos com a alegria e simpatia dos moradores do condomínio Granja Viana II, próximo a Cotia, na Grande São Paulo, podemos perceber...

Notícias ruins levam a ciclo de tristeza, diz estudo: já notícias boas, fazem bem à saúde mental

Consumir notícias ruins diariamente leva a um ciclo danoso de tristeza, fadiga e angústia. No sentido contrário, consumir notícias boas faz bem à saúde mental e gera sentimentos como empatia, esperança e felicidade!

Instagram