Vítima de ataque homofóbico reage ao ouvir Katy Perry e cantora responde: “Sua força me faz sorrir”

Essa semana viralizou na internet o vídeo de um jovem rapaz que perdeu os movimentos após um ataque homofóbico em que ele reage e se mostra animado ao ouvir uma música da cantora Katy Perry.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Depois disso, uma campanha foi mobilizada nas redes sociais para fazer Katy conhecer a história de Jefferson Feijó, inclusive com famosos como Hugo Gloss.

E ela respondeu em seu Twitter. “Amo ele. Sua força me faz sorrir“, escreveu a artista internacional.

Postagem no Twitter de Katy Perry

Nossa, que poder o da internet, não é? O vídeo é realmente fascinante. Jefferson demonstra lembrar de quando escutava Katy Perry antes do ataque criminoso que sofreu e que o impossibilitou de levar uma vida normal.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sua mãe fala no vídeo: “Olha a reação do Jefferson. Ele tá lembrando sim. Ele tá com uma cara de felicidade, querendo levantar mesmo. Ele dançava muito, ele cantava muito essas músicas. Ele ficou muito feliz, tá assim surpreso por causa da música. Muito contente depois que a gente colocou a música de Katy Perry”.

Veja o vídeo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A música que mexeu com Jefferson tem um trecho que traduzido significa “Você me faz sentir como em um sonho de adolescente”. Parece ser essa a sensação do jovem ao ouvir a canção da diva.

Depois da publicação do vídeo com a reação de Jefferson, vários famosos compartilharam a história e marcaram a cantora. O humorista Whindersson Nunes disse: “Ei, Katy Perry, como você se sente sabendo que você torna esse cara mais forte a cada dia? Você pode ajudá-lo?”.

A influencer Hana Khalil disse: “Ele te ama. Por favor, mande o seu amor para ele“. Depois de tantos pedidos, além de Katy Perry responder, sua produção entrou em contato com o organizador da mobilização informando que a pop star vai gravar um vídeo para o rapaz. Que demais!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Jefferson Feijó Cruz brilha mesmo quando a homofobia tentou apagar sua luz

Há dois anos Jefferson sofreu o atentado brutal simplesmente por ser gay. Ele foi violentado e espancado. O criminoso foi preso. Homofobia é crime e pode dar até 5 anos de prisão. Na internet, a hashtag #JusticeForJefferson é uma das mais compartilhadas no país.

Imagem de jovem sentado em bosque
Jefferson era um jovem alegre e sorridente quando sofreu o ataque aos 22 anos de idade. Foto: Reprodução/Facebook

E os fãs não se contentaram em acionar uma das maiores estrelas da música mundial e de fazer esse grande protesto virtual. Eles também conseguiram doações para a família de Jefferson e para o tratamento. Existe uma rifa online e uma vaquinha para doações.

O  ativista Robhério Limma fundou o Movimento Lute Como Ele para apoiá-lo e defender sua causa e a de tantas pessoas vítimas de homofobia. “Continuamos engajados na causa para que ele tenha o direito de viver dignamente e para que possamos lhe oferecer a garantia de um tratamento eficaz, por meio de doações, de sessões de fisioterapia e fonoaudiologia que têm sido realizadas e cada dia que passa têm obtido sucesso”, disse.

Força, Jefferson!

Fonte: Hugo Gloss

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em ‘ritual’ na praia, mulher com câncer de mama raspa a cabeça e emociona internautas

Em pleno Outubro Rosa, mês de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e...

Menino comove ao incentivar amiga com deficiência que estava chorando na fisioterapia

Desistir, jamais! Essa é a lição que o Otávio passou para sua amiga, Luisa, em um vídeo que viralizou nas redes sociais no fim...

Idoso conserta brinquedos para doar às crianças carentes de Americana (SP)

O Fundo Social de Solidariedade de Americana (SP) vem fazendo um trabalho incrível nesta pandemia. Mas para que as doações aconteçam, a associação tem contado...

Por que não?

Hoje recebi um post no facebook, e me veio um estalo! Porque não fazer um blog juntando pequenas boas ações, que nos tiram da nosso...

Ninguém a convidou para o baile de formatura, então ela levou sua carta de aceitação em Harvard como acompanhante

Priscilla Samey mostrou ter uma segurança de causar inveja, principalmente por estar na adolescência, fase em que temos uma necessidade maior de aprovação dos...

Instagram

Vítima de ataque homofóbico reage ao ouvir Katy Perry e cantora responde: "Sua força me faz sorrir" 1