Lar de idosos promove roda de conversa e desmistifica preconceitos

Embora a sexualidade seja um tema cercado por mitos e tabus, é necessário abrir a conversa e com pessoas de todas as idades, incluindo os idosos.

É importante que se diga, também, que sexualidade não se resume ao ato sexual, mas envolve outras demonstrações afetivas, como o toque e o beijo, importantes para uma melhor qualidade de vida.

Ana Paula Bomfim é gestora da ILPI Casa Verde, em São Paulo. As Instituições de Longa Permanência são domicílios coletivos que abrigam pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem apoio familiar.

Segundo Ana Paula, a maioria dos idosos chegam sozinhos e levam um tempo para entender que ali será a casa deles. Quando entendem, voltam a ter uma vida “normal”. “E o que é uma vida normal? É, inclusive, depois dos 60 anos, continuar com a sexualidade dele”, diz.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

administradora de lar de idosos juntamente com alguns residentes sentados em cadeiras
Ana Paula com alguns residentes da ILPI Casa Verde. Foto: Ana Paula Bomfim/arquivo pessoal

Ana e outros funcionários começaram a perceber algumas trocas de olhares, “aquele joguinho que a gente conhece”.

Havia um clima de “paquera” no ar, mas Ana não sabia como iniciar a conversa não apenas com os idosos, mas, também, com os funcionários da ILIPI. Foi só depois de assistir a uma palestra no Instituto Velho Amigo que falava sobre o tema que ela tomou a iniciativa.

“Quando veio a palestra, eu falei, ‘é daí que eu vou começar a conversar, com o idoso e com o funcionário junto, pra gente estabelecer o que pode e o que não pode”, contou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Diferentes reações

Surpreendentemente, os idosos reagiram positivamente à conversa, todos bem atentos ao assunto, além do normal, diz a gestora. Por outro lado, alguns funcionários não se sentiram confortáveis.

“Temos os dois extremos, você precisa tomar muito cuidado. Não só com o idoso, mas também com o funcionário. Porque é o tipo de assunto que até nas gerações mais novas é um tabu. Sendo um tabu, imagina pra idosos de 90 anos”, afirma Ana Paula.

idosos realizam atividade física em área de lazer de lar
Atualmente, a instituição acolhe 30 idosos. Foto: Ana Paula Bomfim/arquivo pessoal

É um assunto complexo, mas acolher o idoso na sua integralidade também inclui falar sobre sexualidade na velhice, até mesmo para tomarem cuidados necessários com a saúde sexual nessa fase da vida, não é mesmo?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Futuramente, Ana Paula pensa em criar espaços mais reservados para os residentes apaixonados terem um momento a dois.

“Eu tenho ambientes sempre muito abertos, onde todos eles estão sempre juntos. E por que isso é importante? Pra existir uma socialização. Só que agora é o inverso, com alguns querendo estar mais próximos de uma única pessoa”, concluiu.

O Instituto Velho Amigo, pontapé inicial dessa conversa, que tem como missão contribuir com a inclusão social de idosos em situação de vulnerabilidade, promovendo um envelhecimento saudável, é apoiado por NIVEA, através do projeto A Essência do Cuidar.

A parceria fortalece a rede de acolhimento, abordando uma série de atividades, promovendo atividades diretas de saúde física, mental, autocuidado, entre outras, além de temas como a própria sexualidade e formação de cuidadores.

Conheça mais e apoie também clicando aqui.

Relacionados

Na AACD, Helena, que tem poliomielite, foi acolhida e superou traumas causados pelo preconceito (SP)

A dona Helena Teodoro Michelon foi diagnosticada com poliomielite quando tinha um ano e dois meses. Da infância, passando pela adolescência, até a vida...

“É um afeto que eu não tive em casa”, diz mulher trans sobre apoio para retificação de nome e gênero em documentos

“Sempre que conheço alguém, eu mostro meu RG novo”, diz Christine Vaz, que foi designada do gênero masculino no nascimento, mas se identifica com...

+ DO CANAL

Com foco no acolhimento, ONG orienta pessoas trans que desejam fazer retificação de nome e gênero nos documentos (SP)

A falta de informação acessível e o medo do julgamento durante o processo são algumas das barreiras que dificultam ou impedem o acesso de...

“É um afeto que eu não tive em casa”, diz mulher trans sobre apoio para retificação de nome e gênero em documentos

“Sempre que conheço alguém, eu mostro meu RG novo”, diz Christine Vaz, que foi designada do gênero masculino no nascimento, mas se identifica com...

Na AACD, Helena, que tem poliomielite, foi acolhida e superou traumas causados pelo preconceito (SP)

A dona Helena Teodoro Michelon foi diagnosticada com poliomielite quando tinha um ano e dois meses. Da infância, passando pela adolescência, até a vida...

Consultora de Imagem oferece ajuda para empreendedores negros serem mais autoconfiantes

“Recebo muitas mensagens de mulheres que empreendem, mas que têm vergonha de aparecer”, revela a Consultora de Imagem, Carla Domiciano. Carla atuou como facilitadora...

Fofas! Idosas se conhecem em projeto de inclusão social e tornam-se melhores amigas [VÍDEO]

Dizem que depois de uma certa idade, fazer novas amizades é cada vez mais difícil… Será mesmo, ou a velhice pode nos surpreender? A dona Tereza...

Instagram