Sancionada lei que permite doação de refeições não vendidas a pessoas em vulnerabilidade no Brasil

Em vigor desde o ano passado, a Lei 14.016/2020 prevê a doação de alimentos e refeições não comercializados por parte de supermercados, restaurantes e outros estabelecimentos para pessoas, famílias ou grupos em situação de vulnerabilidade ou de risco alimentar ou nutricional.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A lei é uma conquista enorme num país em que, de acordo com o IBGE, 22,26% da população sofre com insegurança alimentar (isto é, o acesso e a disponibilidade de alimentos são escassos) e num contexto em que desperdiçamos 26,3 milhões de toneladas de alimentos, segundo estudo da Embrapa.

Além dos supermercados e restaurantes, hospitais, empresas, cooperativas, lanchonetes e todos os estabelecimentos que forneçam alimentos prontos para o consumo de trabalhadores, de empregados, de colaboradores, de parceiros, de pacientes e de clientes em geral.

Mulheres e crianças recebendo refeições
Foto: Daniela Moura/Fotos Públicas

Mas não é qualquer alimento que pode ser doado não. Tem que ter critério. Podem ser doados alimentos in natura, produtos industrializados e refeições prontas, todos ainda próprios para o consumo humano. Os itens devem estar dentro do prazo de validade e em condições de conservação especificadas pelo fabricante, mesmo que haja danos à sua embalagem.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ah, e qualquer dano a quem consumir provoca responsabilização do doador. Por isso, é importante que as doações sejam realizadas com o acompanhamento de bancos de alimentos, entidades beneficentes de assistência social, poder público e entidades religiosas.

Além de alimentos, o que muitos brasileiros estão precisando neste momento é de oxigênio. Por isso, criamos uma vaquinha no VOAA para levar cilindros de oxigênio a Manaus (AM). Clique e contribua!

Trator empurrando alimentos desperdiçados
Objetivo é evitar desperdício. Foto: Divulgação / Instituto Cidade Amiga

Para a Secretaria-Geral da Presidência da República, o objetivo da lei é “combater a fome e a desnutrição, valorizar a responsabilidade social e a solidariedade entre os brasileiros e auxiliar a superação da crise econômica e social gerada pela atual pandemia”.

É isso aí! Quem tem fome tem pressa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Senado

Fotos de capa: Foto 1: Luiz Eduardo Silveira/Divulgação/JC ; Foto 2: Daniela Moura/Fotos Públicas

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,500,572SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Corredor desiste de prêmio para ajudar concorrente caído a vencer

O corredor queniano Simon Cheprot desistiu de vencer uma maratona em favor de um concorrente, ajudando-o a cruzar a faixa de chegada. Simon estava a...

Neta fotografa avós sem que eles soubessem para capturar seu amor atemporal

Um amor que o tempo viu crescer e se fortalecer.

Projeto que daria salário vitalício para vereadores do Rio é vetado após pressão popular

O projeto foi derrubado por unanimidade, com 40 votos contra e 0 a favor. Mas, não foi bem o bom senso dos vereadores que barrou esse projeto absurdo. Foi graças à mobilização popular.

Menino salva irmãzinha que estava engasgada com técnica que aprendeu em programa do Nickelodeon

Adultos tendem a pensar que as crianças mal sabem o que se passa ao seu redor. Mero engano! Na Carolina do Norte (EUA) um...

Wiley, o simpático dálmata que nasceu com um coração no nariz

Wiley é um dálmata de um ano de idade que ganhou fama na internet por sua inconfundível mancha de nascença em forma de coração...

Instagram