Após ganhar livro de negócios, sem-teto recomeça a vida vendendo balas personalizadas

O empresário Bruno Perin saiu às ruas de Vila Velha (ES) para entregar comida aos catadores de recicláveis. Foi quando ele conheceu o morador de rua Edson, que deixou a sua família por conta das drogas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Conversando com ele, Bruno percebeu a vontade de Edson de recomeçar a sua vida. Para ajudá-lo, o empresário entregou um livro de negócios e o incentivou com boas palavras.

“Eu falei para ele a importância de empreender e depender de si e não apenas da bondade dos outros. Dei o meu livro para ele e pouco tempo depois, me procurou”, explicou Bruno.

morador de rua ao lado de empresário que lhe presentu com um livro
Desde agosto Bruno tem ajudado Edson com a venda das balinhas. Foto: Arquivo Pessoal

No início de agosto, os dois começaram a fazer pacotinhos de doces com mensagens positivas, uma forma de ter um produto diferenciado.

Ele tinha medo de não conseguir fazer algo bonito que as pessoas gostassem. Cada passo era uma provação para ele acreditar ainda mais que tinha um jeito”, disse.

pacote de balas com mensagens de incentivo feito pelo morador de rua
A venda começou com mensagens de incentivo feitas pelo próprio morador de rua. Foto: Arquivo Pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A primeira mensagem do Edson foi: “Enquanto há vida, há esperança”.

“Foi a mensagem de um cara que perdeu uma batalha para as drogas, mas sabe que ainda está vivo e pode dar a volta por cima.”

Leia também: Jovem que vende água em sinal se emociona ao ganhar sapatos novos e isopor

print com texto do empresário e foto do livro entregue ao morador de rua e do lado direito, uma foto dele preparando as balas com as mensagens
Foto: Arquivo Pessoal

Inovação na venda das balas com a produção de charadas autorais

Como o Edson é muito bem humorado e tem a vontade de arrancar sorrisos das pessoas, começou a produzir charadas autorais que são entregues com as balas.

Ele conseguiu comprar óculos melhor para ler livros, ele acha um grande investimento poder ler e aprender para sair dessa. Ele quer agora sair das ruas. Até ofereceram 2 empregos para ele, mas ele decidiu que quer conseguir fazer isso com suas balinhas e suas ideias”, explicou Bruno Perin.

empresário ao lado do morador de rua que vende balas personalizadas
Foto: Arquivo Pessoal

As charadas serão transformadas num minilivro que será vendido juntamente com as balinhas! Inclusive, algumas empresas patrocinarão a ideia. Que incrível, gente!

empresário ao lado do morador de rua que vende balas personalizadas
Foto: Arquivo Pessoal

“Está sendo uma experiência surreal acompanhar toda a semana ele e ajudar nos pacotes de balinha. Essas histórias de vencer e sair de um buraco que é a rua, é algo muito mais difícil que as pessoas imaginam”.

Que demais! ❤ Edson, estamos na torcida por você!

Educação, esporte e arte são fundamentais para a inclusão social de grupos vulneráveis, concorda? Conheça então três projetos que defendem essas causas, escolha a sua favorita, apoie e concorra a um super prêmio de R$ 1 milhão da promoção “Ganhou, Causou”, da Nestlé. Clique aqui e saiba como participar!

beija-flor

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,752FãsCurtir
1,764,126SeguidoresSeguir
8,645SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram