Mãe de autista cria lei e abre clínica para garantir atendimento a autistas

Berenice Piana é uma carioca de Itaboraí (RJ), mãe de 3, e com muita dedicação e amor aos filhos, principalmente o Dayan, de 26 anos, que tem autismo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para garantir que as mães como ela, de outras crianças com autismo, tivessem os direitos e os atendimentos garantidos aos seus filhos, ela criou uma lei e também idealizou uma clínica especializada para atendimentos a autistas, e abriu a clínica-escola na sua cidade.

Não! Dona Berenice não é vereadora, deputada ou senadora, é uma pessoa como eu e você, que na época era dona de um pequeno negócio familiar em casa, mas que não se conformou com isso.

mãe dá beijo de esquimó em filho autista
Dayan começou a dar os primeiros sinais de que tinha autismo aos 2 anos. Foto: Arquivo pessoal

Ela percebeu que não tinha nenhum aparato legal que protegesse e beneficiasse os autistas, então começou a luta para garantir esses direitos. “Eu vi que não tinha nada pro autista. Cada um só falava do seu filho e ninguém se preocupava com o coletivo”, disse.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu assistia a TV Senado, ficava vendo os senadores para ver quem eu poderia abordar com essa pauta. Mandei vários e-mails e não obtive resposta, até que decidi ir a Brasília e passei uma semana lá tentando contato com algum político. Não consegui e voltei”, relatou.

Era só o início dessa batalha. Depois ela conseguiu finalmente o contato com um senador e colocou o projeto em pauta. Para defender a lei, Berenice foi várias vezes à capital federal apresentar a proposta nas comissões, no Senado, na Câmara e até no Palácio do Planalto.

mulher discursando em tribuna
Berenice defendeu o projeto em todas as instâncias. Foto: Arquivo pessoal

Em 27 de dezembro de 2012, estava aprovada a Lei Federal 12.764/12, intitulada de lei Berenice Piana por todo o seu esforço. “Eu lembro até os minutos, foi às 23h45 que a lei foi sancionada”. Estava formalmente lançada a primeira semente.

mulher discursando em tribuna

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Razões tem seu próprio podcast para espalhar boas notícias, ouça os episódios na sua plataforma favorita clicando aqui.

Berenice abriu Clínica-Escola para garantir atendimento a autistas

A lei tem uma série de garantias para os autistas. Ela os reconhece como pessoa com deficiência e todos os benefícios como acesso a serviços de saúde, educação especial para o autismo, inserção no mercado de trabalho, previdência social e assistência social.

A lei garante, por exemplo, o direito da meia-entrada em shows, estacionamento exclusivo, mínimo de empregados com autismo em empresas, exigência de mediadores nas escolas, benefícios sociais e aposentadoria diferenciados.

Mas, era hora de pensar na segunda parte, como colocar a lei em prática. Então ela levou um projeto para a prefeitura de Itaboraí e o poder público acatou a ideia. “Eu sabia que a lei não seria cumprida do nada”, explicou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sala clínica atendimento crianças autistas sentadas mesa pintando papel
Clínica-escola oferece atendimento completo para autistas. Foto: Arquivo pessoal

A Clínica-Escola que ela ajudou a abrir em Itaboraí atende 180 crianças com atendimento multidisciplinar, terapeuta ocupacional, psicólogo, fonoaudiólogo, nutricionista, fisioterapeuta, psicopedagogo e neuropediatra.

Mas ela não se contentou apenas em ajudar a sua cidade, saiu fazendo palestras e desenvolvendo projetos em todo o país, virou a sua bandeira de vida. Assim como essa clínica, outra foi inaugurada em Cascavel (PR), e outras serão construídas em São Pedro da Aldeia (RJ) e Cuiabá (MT).

mulher discursando para plateia
Berenice rodou o país inteiro divulgando lei e projeto de clínicas-escolas. Foto: Arquivo pessoal

Quando você tem uma lei que garante os direitos do seu filho, fica muito mais fácil de lutar. Eu e muita mãe andamos com a lei embaixo do braço e se alguém contestar, eu digo que por acaso fui eu que fiz”, disse. A lei inclusive leva seu nome: Lei Berenice Piana.

Lei idealizada por Marcos Mion complementa as conquistas da lei de Berenice e ele até cedeu seu Twitter para a divulgação sobre autismo

Uma outra lei sancionada este ano e encabeçada pelo apresentador de TV Marcos Mion, garante a prioridade para pessoas com autismo em serviços públicos e particulares.

Marcos tem um filho com autismo, o Romeo Mion. E para consolidar a disseminação de informações sobre o autismo, ele cedeu o seu twitter ao Razões para Acreditar para que possamos divulgar bons exemplos e informar com qualidade sobre o autismo. E quem vai nos ajudar nessa tarefa é justamente a Berenice Piana e a Fátima de Kwant.

O projeto é desenvolvido em parceria com a REUNIDA, A Rede Unificada Nacional e Internacional pelos Direitos dos Autistas, da qual Berenice faz parte e que ajuda a desenvolver todos os projetos que ela e tantas outras pessoas idealizam para levar mais qualidade de vida aos autistas.

Berenice sofreu para entender o autismo pela falta de informações

Berenice não só sofreu com a falta de leis para o seu filho, mas também com a falta de informações. Dayan tem autismo severo regressivo. Aos dois anos parou de evoluir e de falar.

Na escola ninguém sabia como lidar e não acreditavam no diagnóstico de autismo. “Eu tive que estudar sozinha e eu sabia que ele tinha autismo. Até falei que ele tinha uma habilidade diferenciada que era de escalar as coisas e não acreditaram porque ele era pequenininho. Até o dia em que ele pulou o muro e fugiu da escola”, relembra.

Os outros dois filhos mais velhos e o marido também ajudaram na criação do Dayan e, depois de compreender o autismo e de buscar os tratamentos adequados, o garoto evoluiu bastante no comportamento.

mãe caminhando mãos dadas filho autista areia praia
Foto: Arquivo pessoal

“Nunca aceitei a medicina tradicional que dava remédio para dopar e mandava pra casa, nunca concordei, pesquisei e deu muito melhor. Mãe do autista é leoa, vira onça para lutar pelos seus filhos”, falou.

Agora, ela quer que mais clínicas como as que fundou sejam construídas no país. “Pensei numa instituição de referência que fosse copiada pelos demais. Eu acho que é muito pouco ainda o que fiz. Eu quero deixar muito mais, isso é só o começo, vou lutar até o último dia da minha vida”.

Para as famílias de crianças com autismo, ela deixou uma mensagem: “Nunca desistam dos seus filhos porque não se desiste de um filho jamais”.

Berenice, você nos inspira!!!

selo conteúdo original razões para acreditar

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,411,289SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Youtuber dá 100 dólares para morador de rua, e o que ele fez com o dinheiro vai restaurar sua fé nas pessoas

Quase todos nós (e eu incluso) imaginamos que quando ajudamos algum morador de rua com dinheiro, provavelmente ele gastará com muita cachaça, certo? Pois é,...

Debaixo de chuva forte, 5 mil pessoas fazem fila para doar medula para menino com câncer

Era um dia de forte chuva em Worcester, na Inglaterra, e cinco mil pessoas aguardavam numa fila, onde ficaram por horas, para saber quem...

19 fotos que provam quanto os anos 30 realmente foram legais

Os anos 30 foram uma época difícil nos Estados Unidos e ao redor do mundo. Após o crash da bolsa em 1929, cerca de...

Nós somos a maioria

Li que os maiores executores dos crimes ordenados por Hitler não eram homens cruéis, doentios. Mas simplesmente comuns, como eu ou você.Acordavam, faziam seus...

Vídeo de menino pedindo sanduíche no Natal volta a viralizar e família recebe mais doações

Dois anos após viralizar nas redes sociais, o vídeo de um menino pedindo de Natal um sanduíche com pão, presunto e queijo voltou a...

Instagram