Mãe aceita gerar neto para filha que perdeu útero ao tratar câncer

Clique e ouça:

Quando tinha apenas 22 anos, a enfermeira Thais Marina Soares precisou fazer uma cirurgia de retirada do útero em meio ao tratamento contra o câncer do colo do útero.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na época, já casada e sonhando ter um filho, Thais ficou arrasada.

“Quando descobrimos o tumor no colo do útero não dava mais tempo de fazer nada, tive que tirar o útero, mas o médico deixou o ovário para eu não entrar em menopausa”, contou. O ano era 2009 e ela estava no último ano da faculdade.

O tratamento até a remissão do câncer durou quase um ano. Thais recebeu apoio incondicional da família e amigos, mas principalmente da mãe.

Enfermeira perdeu útero câncer filho gerado pela mãe
Foto: Vanessa Pires/G1

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Barriga solidária

“Dias difíceis, o tratamento foi muito forte. Mas nunca pensei que iria perder minha filha para o câncer. Passávamos até 20 dias no hospital depois da quimioterapia e eu ficava o tempo inteiro do lado dela”, relembrou a dona de casa Tereza Aparecida.

Anos mais tarde, a enfermeira de Uberlândia (MG) considerou a ideia de adotar uma criança. No entanto, a espera seria longa: dois anos.

“Fiquei desanimada por conta do tempo, mas não desisti. Ficamos no escuro por muitos anos, aguardando. Eu sempre fui resistente com essa história de fertilização”, contou.

Com o passar do tempo, a ideia foi amadurecendo. Mas quem poderia aceitar a tarefa?

“Não tinha como ser outra pessoa”, conta a enfermeira, ao falar sobre a mãe, que topou carregar no útero o próprio neto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Enfermeira perdeu útero câncer filho gerado pela mãe
Foto: José Neto Fotografia Criativa/Divulgação

“Não tive medo por ser gravidez de risco”

Dona Tereza, 58 anos, está grávida de oito meses. No próximo mês, nasce Rubens, o neto gerado pela barriga solidária da avó.

Se antes ela comia sanduíche e tomava café com frequência, hoje mantém uma dieta rígida e faz pilates. Em três meses, perdeu 12 kg. “Comecei o tratamento com vários profissionais […] Meu marido falou que a decisão que eu tomasse ele apoiaria. Não tive medo por ser gravidez de risco”, contou.

A fertilização in vitro foi um sucesso. Dona Tereza segue a vida normalmente, apesar dos enjoos esporádicos. “Não parei minha vida, vou à missa, ao supermercado, as pessoas ficam olhando, mas não perguntam nada. Se perguntar eu falo que não é meu.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mãe e filha moram a 10 km de distância, mas fazem de tudo para se encontrarem todos os dias, mesmo que por pouco tempo.

Enfermeira perdeu útero câncer filho gerado pela mãe
Mãe, filha e genro curtindo o oitavo mês de gestação do Rubens. Foto: José Neto Fotografia Criativa/Divulgação

Família mais unida do que nunca

“Às vezes minha mãe liga para contar que o Rubens está ouvindo música. Quando ele mexeu, eu não estava perto, mas minha mãe me contou como foi.”

O pai de Rubens, Leandro Junior de Carvalho, que trabalha como engenheiro civil, conta que quando está junto da sogra aproveita cada momento para sentir o filho.

“A minha sogra sempre me tratou como um filho e nossa relação é muito tranquila. Ficamos à vontade quando estamos juntos e eu sempre acaricio a barriga dela. Quando vou embora, me despeço de meu filho”, afirmou.

Enfermeira perdeu útero câncer filho gerado pela mãe
José Neto Fotografia Criativa/Divulgação

“Sou muito grata a Deus por me permitir viver o que estou vivendo e por ter tantas pessoas especiais ao meu lado”, diz Thais, que complementa “era pra ser assim”, após tanta luta contra o câncer e muita reflexão sobre a barriga solidária.

Não poder engravidar não é sinônimo de não ter filhos. Existem muitas possibilidades, temos que ter fé e correr atrás, seja com barriga solidária, adoção ou tratamentos”, reforçou.

[Nota da Redação]

A cada bebê que traz ao mundo, o médico Calixto Hueb presenteia a mãe com uma arvorezinha para que a criança cresça com ela. É um primeiro presente à família do recém-nascido e também uma contribuição valiosa do médico para a preservação do meio ambiente. Vem conhecer mais essa história, dá play no vídeo abaixo:

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: G1

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,058,357FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
18,499SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem com deficiência cria lindas caminhas para cães e gatos, mãe pede apoio, e ele vende tudo!

O garoto Elías tem uma deficiência, mas quem diz que ela o impede de fazer caminhas para cães e gatos que são a coisa...

Adolescente recusa oferta de R$ 46 milhões por site sobre Covid-19

O que você faz quando tem 17 anos? Pensa em estudar, curtir a balada, se divertir. Mas, não o Avi Schiffmann. Ele construiu um...

Cliente reclama da camisa de atendente e restaurante faz uma igual para todos os funcionários

O restaurante The Chowder House recebeu um review negativo no Facebook somente por causa da camisa de um de seus atendentes. E sabe o...

Repórter adota cãozinho que não parava de abraçá-lo durante reportagem

Esse doguinho literalmente escolheu seu novo tutor! Geralmente é o contrário, né, não para esse Caramelo, que deu um abraço dengoso no repórter e...

Ator Ary Fontoura conquista a web com posts de receitas, exercícios e jogando videogame!

De um jeito muito despojado, o ator Ary Fontoura, 87 anos, se torna um fenômeno nas redes sociais. ele já ultrapassa o primeiro milhão...

Instagram

Mãe aceita gerar neto para filha que perdeu útero ao tratar câncer 13