Mães escolhem música para o nascimento dos filhos em Olinda

O nascimento de uma criança é a experiência mais marcante da vida dos pais e do próprio bebê. É o primeiro contato do bebê com o mundo externo. Agora, imagina se cada mãe escolhesse uma música para a chegada do seu filho ao mundo? Em Olinda, o médico Roberto Santa Cruz, de 29 anos, realiza partos assim, com trilha sonora à escolha da gestante.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A maternidade do hospital Tricentenário nunca mais foi a mesma após a entrada do doutor, formado pela UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), em agosto de 2016. Após os estudos, ele ingressou em uma escola de música, onde estuda canto e ukulele, e começou a pensar que a melodia poderia sim fazer parte de sua jornada de trabalho. Desta maneira surgiu a pergunta que virou rotina: “com qual música você quer que seu filho chegue ao mundo?”.

As mamães ficam surpresas com a questão, mas todos embarcam no mesmo ritmo e dançam conforme a música, que vai de Frank Sinatra a Wesley Safadão. As pacientes, por vezes, só mexem os dedinhos devido a anestesia, mas definitivamente aprovam a “recomendação médica” e se veem mais relaxadas para dar à luz.

O médico com um quê de artista também passou a levar para o expediente seu ukulele, instrumento tipicamente havaiano, com nome que significa “pulga saltitante”. O som alegre que sai de suas cordas acompanha a cantoria ao vivo de Beto, como prefere ser chamado, durante os atendimentos do setor de pediatria das UPAs São Lourenço da Mata e do Ibura, periferia da capital pernambucana.

A postura do profissional se difere dos demais da área. Não possui a palavra “doutor” escrita no jaleco, nem no carimbo, pois acredita que o termo o colocaria como superior aos colegas de trabalho e aos pacientes, coisa que, segundo o próprio, diz não ser. Seu objetivo na pediatria é fazer mais para as crianças, e como elas adoram música, este é o caminho que encontrou para ser um ponto fora da curva e um profissional melhor.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em um dia de trabalho, ele estava reunido com colegas durante o plantão de neonatologia e “fazendo um som” no intervalo. Foi abordado pela cantora popular Gabriela Stephanie Ribeiro, que aguardava a chegada da filha Rebecca há seis horas. Os dois então fizeram uma dupla improvisada, cantando a música “Trem Bala”, de Ana Vilela. A apresentação, intitulada “Beto & Tefinha”, foi filmada e viralizou nas redes sociais.

nascimento filho

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,434,652SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em campeonato de futebol para homens gays, equipe afeminada ganha primeira edição

Oito times de diferentes estados participaram da primeira edição do torneio.

Musical ‘Les Miserables’ doará lucro de apresentação para projeto social

Valor arrecadado na sessão especial do dia 5 de março, no Teatro Renault, em São Paulo, será doado à Fundação Oftalmológica Sr. Rubem Cunha.

Experimento coloca um casal prestes a casar, para se verem com 50, 70 e 90 anos

Como você se imagina aos 50, 70 e 90 anos? E seu parceiro? É isso que esse vídeo de 5 minutos vai mostrar de forma...

Após vaquinha do Razões, menino que tentou comprar casa na OLX ganha matéria no Fantástico

E quem tem acompanhado a história do João Bernardo? Ele tentou comprar uma casa pra mãe oferecendo parcelas de R$ 50. E depois que lançamos...

Menina de 10 anos cria sinal de banheiro para pessoas com deficiências “não visíveis”

A menina Graça Warnock, de 10 anos, moradora de Edimburgo, na Escócia, criou um sinal de banheiro para ajudar pessoas com deficiências “não visíveis”,...

Instagram