Mais inclusão: Novo site agrega serviços oferecidos por pessoas trans e travestis

É muito bom saber que iniciativas que visam dar visibilidade à comunidade trans no Brasil tem crescido exponencialmente, a exemplo do que publicamos ano passado, do projeto TransEmpregos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A realidade ainda é muito dura e difícil para pessoas transgêneros em nosso país, segundo a Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil (RedeTrans), 82% das mulheres transexuais e travestis abandonam o ensino médio entre os 14 e 18 anos pela discriminação na escola e, muitas vezes, por falta de apoio familiar. Sem opção, 90% acaba na prostituição. Já no caso dos homens trans, o que lhes resta geralmente é o desemprego e o subemprego, fruto da mesma discriminação transfóbica.

E como diminuir esse abismo de desigualdade e preconceito? Dando oportunidades iguais!

Por isso, surgiu o Transerviços, site que agrega serviços amigáveis para transexuais e travestis e onde é possível encontrar trabalhos oferecidos por eles e elas. Se você é trans ou travesti e oferece algum tipo de serviço, basta se cadastrar no site para divulgar seu trabalho. Conhece algum profissional ou serviço que atenda a população trans sem preconceito, como por exemplo escolas, universidades, postos de saúde, hospitais e demais organizações ou dentistas, advogados, médicos ou cabeleireiros? É só indicar os contatos no site.

O site também se propõe a desconstruir alguns mitos relacionados sobre pessoas e trans e travestis, tal como:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

trans

Mito:

“Travestis e transexuais são opções sexuais.”

Fato:

A palavra opção pode significar escolha, mas as pessoas travestis e transexuais não escolhem ser travestis e transexuais, assim como as pessoas cisgêneras não escolhem ser cisgêneras. Por pessoas cisgêneras tomamos aquelas pessoas que nasceram e a elas foi atribuído um gênero e assim elas se reconhecem. Muitas vezes usamos a abreviação cis para a palavra cisgênero, sendo um prefixo do latim que significa “do mesmo lado”. Sendo assim, o homem cis ou cisgênero é aquela pessoa nascida e designada homem e que se reconhece como homem, por exemplo.

A identidade de gênero não é passível de escolha, as pessoas podem vir a se reconhecer ou não como travestis ou transexuais dentro da formação e construção identitária de cada indivíduo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Também não há que se falar em “sexuais” pois ser travesti ou transexual não diz respeito à sexualidade das pessoas, mas sim à identidade de gênero.

A identidade de gênero diz respeito ao gênero que a pessoa intimamente reconhece como seu, que pode ser o mesmo que ela foi registrada no nascimento ou não.

Já a sexualidade das pessoas apontam para quem elas se atraem de forma afetiva e sexualmente, então a pessoa pode se reconhecer como mulher, independente do genital que ela tenha nascido, e isso diz respeito à identidade de gênero e se atrair por pessoas de quaisquer gêneros, e isso diz respeito à sua sexualidade ou orientação sexual.

Screen Shot 2016-07-04 at 1.18.03 PM

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A idealização do site foi da Daniela Andrade e desenvolvido por ela e outros profissionais da ThoughtWorks, uma empresa que particularmente gosto muito, pois já conhecia o trabalho que fazem de consultoria global de software, levando em conta o aspecto humano e a empatia como ferramentas de construção dos projetos que podem gerar impactos sociais positivos.

A ideia do Transerviços surgiu como um desdobramento do site Transempregos (que falamos no começo da matéria), do qual Daniela participou do desenvolvimento e que disponibiliza vagas de empregos para pessoas trans e travestis. “Muita gente que não tinha empresa e conhecia o site queria ajudar essa população e não sabia como”, diz Daniela. “Como diversas pessoas trans e travestis são autônomas, pensamos que uma forma seria criando um site onde elas pudessem oferecer seus serviços.”

O site entrou no ar semana passada, e ainda está em fase inicial, e eles se propõem a receber feedbacks a respeito do funcionamento da ferramenta.

Ah, lembrei de um vídeo feito pela ThoughtWorks com a Daniela Andrade, que faz parte de uma série de outros vídeos que aborda as pessoas trans e suas lutas, nesse em questão, a Dani explica o que é ser travesti, transexual ou transgênero. Assistam:

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,293,090SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

10 mitos sobre a sexualidade de cadeirantes

É difícil acreditar que em pleno 2017, muitas pessoas ainda acham que as pessoas cadeirantes não têm vida sexual. A possível causa do preconceito...

Após incêndio, mineiras recuperam seu food truck com sucesso de crowdfunding

As irmãs Mariana e Ana Luiza Faria, sofreram uma tragédia do acaso que interrompeu o andamento de seus planos. A kombi de comida na qual...

Aplicativo busca doadores de sangue entre seus amigos do Facebook, caso você precise algum dia

A situação dos bancos de sangue no Brasil é crítica. Dependendo do seu tipo sanguíneo ou região, se acontecer algo com você agora, pode...

Gatinha de duas patas vira sensação no Instagram com suas habilidades e superação

Roux é um adorável gatinho que tem apenas duas patinhas e virou uma sensação no Instagram, com mais de 54 mil seguidores em seu...

Tenista pede sua namorada em casamento durante torneio na quadra em que se conheceram

Michaella Krajicek estava muito contente de ter vencido sua partida de estreia no torneio em casa, quando de repente estranhou seu namorado, o também...

Instagram

Mais inclusão: Novo site agrega serviços oferecidos por pessoas trans e travestis 2