Durante as férias, garoto arrecada materiais escolares para crianças carentes

Ele tem apenas 9 anos, mas sabe como poucos o verdadeiro significado de ser empático. Nascido em João Pinheiro, município localizado no noroeste de Minas, Othávyo Teixeira organizou uma campanha de arrecadação de materiais escolares pelo segundo ano consecutivo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Porquê? “Eu me coloquei no lugar das crianças que não têm e fiquei triste”, diz o garoto.

O destino das doações serão os alunos da rede municipal de ensino, a começar pelos mais necessitados.

Há pouco mais de uma semana, Othávyo deu uma entrevista para um jornal local contando mais à respeito de sua iniciativa, sempre com respostas rápidas e objetivas.

“O meu dindo sempre ajuda os outros, às vezes ele fica sem nada, mas feliz por ter ajudado”, diz bem-humorada sua mãe, Carla Teixeira, ao lado da tia, Laura Teixeira. Elas contam que dão todo o apoio financeiro e moral que o garoto precisa, mas afirmam que todo o projeto é de autoria “exclusiva” de Othávyo.

Após o período de campanha, no qual pede doações para vizinhos, colegas e familiares, eles saem no último dia para recolher os donativos – mãe e filho. Já a tia Laura ajuda na gravação dos vídeos, que são o motor de divulgação da campanha no Facebook.

De férias, Othávyo divide seu tempo livre entre trabalhar na campanha de doação de materiais escolares e seu celular, onde adora jogar Free Fire (game-mobile de ação e aventura). Além disso, diz gostar de andar de bicicleta na rua de sua casa ou conversar com seus amigos. “Ele não para um minuto”, brinca a mãe.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémAposentados criam fábrica de brinquedos e doam a crianças carentes

Dito isso, comunicativo do jeito que é, Othávyo presta atenção em todos à sua volta e não deixa escapar ninguém. Como conta sua família, a campanha começou porque um colega de sala do garoto iniciou o ano letivo passado sem material escolar.

Durante as férias, garoto arrecada materiais escolares para crianças carentes
O responsável pela campanha posou para a foto bastante orgulhoso do que já conseguiu arrecadar. Foto: Reprodução / Gislene Farion TP

A ausência de material do colega não passou despercebido dos olhos de Othávyo, que se organizou para doar-lhe os materiais necessários. Nessa época, eles tinham apenas 8 anos.

Durante o inverno, ele também se mobilizou para juntar roupas no tradicional bazar de agasalhos promovidos pela comunidade local em João Pinheiro.

Carla conta que o filho faz tudo praticamente sozinho durante as campanhas. Sobre suas roupas, Othávyo diz que “tem para usar, mas um monte de gente aqui fica com frio”, se dispondo a doá-las.

Leia tambémPadre entrega casa feita com dinheiro do dízimo para família carente

Talvez essa seja a grande diferença – enquanto muitos lamentam as dificuldades enfrentadas pelos outros e não fazem nada para mudar a situação, este garoto de apenas 9 anos, com a pouca bagagem que carrega, mas com o olhar atento, sempre tenta fazer algo para melhorar a vida de seu próximo, nem que seja só um pouquinho.

Othávyo inspira uma reflexão sobre nossas próprias ações. Que tal ajudar também?

COLABORE — Para a campanha, o menino está arrecadando todo o tipo de material escolar — caderno, lápis, borracha, cola, tesoura, régua, lápis de cor, apontador, etc. As doações podem ser entregues na Rua Israel Azambuja, n° 79 ou entrando em contato com Othávyo Teixeira pelo Faoebook que ele mesmo vai buscar.

META — Em 2018, 40 kits foram entregues nas escolas Dois de Maio, Manoel Lucas Prisco e Avelino de
Assis Brasil. Agora a ideia é aumentar o número de contemplados e chegar aos 50. Para isso, o importante é mobilizar a população para ajudar na causa. Empresas parceiras também são muito bem-vindas.

ENTREGA — Os kits para 2019 vão ser entregues aos diretores das escolas do município pelo Othávyo.
Segundo ele mesmo informou, a ideia é que nos primeiros dias desse ano letivo os alunos já estejam
recebendo seus novos materiais. “Eu mesmo queria entregar para cada um, mas como fica mais difícil, eu vou entregar de novo para a direção”, afirmou.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Tribuna do Pampa

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,714FãsCurtir
1,763,678SeguidoresSeguir
8,639SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram