“O McDonald’s abriu uma porta que eu achava que nunca mais se abriria por conta da minha idade”

0
1020
treinadora idosa do mcdonald's sorrindo

Quando tentou voltar ao mercado de trabalho depois de anos afastada, para se dedicar à criação dos filhos, Dona Zelinda encontrou muitas dificuldades para conseguir uma recolocação formal por conta da sua idade. A única exceção foi o McDonald’s, que abriu para Dona Zelinda uma porta que ela acreditava que nunca mais se abriria.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dentro de um ônibus, Dona Zelinda ouviu duas pessoas comentando que o McDonald’s estava contratando pessoas acima dos 50 anos. Ela não pensou duas vezes e correu até a unidade do Méqui mais próxima da sua casa, em Santo André, no ABC Paulista.

Chegando lá, Dona Zelinda, que na época tinha 53 anos, confirmou a informação, fez entrevista e começou a trabalhar como Atendente. Com o seu carisma e profissionalismo, Dona Zelinda cativou todo mundo, clientes e colegas de trabalho.

“Foi um mundo diferente que se abriu para mim. Comecei a aprender muita coisa e quanto mais eu aprendia, mais tinha vontade de aprender. Assim, começou a minha trajetória aqui”, lembra.

colaboradora do mcdonald's faz selfie com colegas de trabalho
Dona Zelinda realizou o sonho de voltar a trabalhar. Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apesar da idade, Dona Zelinda nunca ficou para trás, tanto que foi promovida ao posto de Treinadora com pouco tempo de casa.

“Todo mundo fala, ‘nossa vai descansar, a senhora já aposentou’. Eu respondo, ‘na hora que eu morrer, eu descanso’. Se eu parar, não vou me sentir bem. Eu agradeço por tudo a eles, pela oportunidade, por me deixar ficar trabalhando aqui e ter uma vida melhor”, afirma.

Dona Zelinda comemora que não precisa se esconder ou fingir ser quem não é no trabalho. Essa é a Cooltura de Serviço, programa criado há 5 anos pela Arcos Dorados, franquia responsável pela operação do McDonald’s em 20 países da América Latina e Caribe, com o objetivo de incentivar seus funcionários a serem quem são. É a maneira espontânea que cada pessoa tem de gerar sorrisos e bons momentos para todos e garantir uma experiência única para colegas e clientes, independente de suas características. A iniciativa está diretamente ligada à atuação da companhia em Diversidade & Inclusão, pilar que faz parte da estratégia ESG da Arcos, a Receita do Futuro.

Eu sou mais quem eu sou aqui do que na minha própria casa. A Cooltura de Serviço está em primeiro lugar. A gente cuida dos clientes, das áreas e dos produtos para que saiam do jeito que tem que ser. E assim, respeitando um ao outro”, destaca.

Dá o play no vídeo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“O McDonald’s abriu uma porta que eu achava que nunca mais se abriria por conta da minha idade” 1

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.