Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo

A médica, professora e pesquisadora Angelita Habr-Gama, 89 anos, foi reconhecida pela prestigiada Universidade de Stanford, nos EUA, como uma das cientistas mais influentes do mundo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Segundo a instituição, a Dra. Angelita, que também é premiadíssima em nosso país, ‘contribuiu de forma significativa para o desenvolvimento da ciência a nível global’.

O reconhecimento da Universidade de Stanford foi feito através de uma lista que representa os 2% de cientistas mais citados em todas as áreas do conhecimento – isto é, a nata da elite científica mundial.

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo

De acordo com o jornal Estado de São Paulo, o relatório foi feito em parceria com a Editora Elsevier BV e preparado por uma equipe de especialistas liderada pelo professor John Ioannidis, professor eminente da Universidade de Stanford.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Esse reconhecimento é um estímulo para os médicos e cientistas brasileiros, um estímulo para progressão na carreira de outras pesquisadoras”, disse Angelita ao Estadão. Ela mantém a expectativa de que reconhecimentos como este sirvam de inspiração para outros cientistas trilharem caminhos parecidos, o que não é fácil.

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo

“É claro que tudo isso exigiu muito esforço, muito estudo e muita dedicação, mas a gente chega lá”, disse a médica, que ainda hoje atua no Hospital Alemão Oswaldo Cruz. “Fico muito honrada e muito satisfeita com o reconhecimento”, completou.

Trajetória

Angelita é referência mundial em coloproctologia (área que estuda as doenças do intestino grosso, do reto e ânus), tendo traçado uma carreira de sucesso na Medicina.

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo 2

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela entrou para a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) em 1952, aos 19 anos. Ao longo dos anos, alcançou o topo da carreira na docência como professora titular de cirurgia e por uma formação pautada na excelência no ensino, na pesquisa e na extensão.

Pioneira, a doutora foi a primeira mulher residente de cirurgia do Hospital das Clínicas (HC) e anos mais tarde criou a disciplina de Coloproctologia na unidade. Também foi a primeira mulher a chefiar os departamentos de Cirurgia e Gastroenterologia da FMUSP.

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo 3

Nestas décadas dedicadas à Medicina, Angelita publicou centenas de trabalhos científicos, ganhou mais de 50 prêmios nacionais e internacionais, foi nomeada coordenadora no Brasil do Programa de Prevenção do Câncer Colorretal pela Organização Mundial de Gastroenterologia (OMGE) e fundou a Associação Brasileira de Prevenção do Câncer de Intestino (Abrapreci).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela também preside inúmeras sociedades científicas, é membro honorária no centenário American College of Surgeons, é a primeira mulher a integrar o seleto grupo de 17 Membros Honorários da European Surgical Association e foi reconhecida pela revista Forbes como uma das mulheres mais influentes do Brasil. Uau!!!

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo 4

A gente tem que ser o melhor possível até no mínimo que fazemos“, diz Angelita, parafraseando um poema de Fernando Pessoa.

“Tive a sorte e a oportunidade, trabalhando muito, de ser reconhecida. E eu recebo essa classificação como uma homenagem para o país todo, particularmente para as mulheres. As mulheres têm que estar em igualdade de condições e competência e podem também chegar ao mesmo status que os colegas do sexo masculino”, disse ela ao g1.

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo 5

Aos 89 anos, a médica acredita que ainda há muito o que ensinar e aprender na sua prática da medicina e se diz cheia de esperança com as futuras gerações de médicos, cientistas e pesquisadores.

“Temos muito entusiasmo na divulgação dos nossos conhecimentos para os jovens. A geração que segue a nossa promete muito. É muito comprometida e de muita responsabilidade”, completou.

Fonte: Estadão
Fotos: Arquivo pessoal

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo 6

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,971,659SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Novo exame de sangue pode detectar retorno de câncer em pacientes já tratados

De acordo com um estudo publicado na revista científica “Science Translational Medicine”, um novo exame de sangue pode detectar tumores que começaram a crescer...

Starbucks do Canadá anuncia que doará todos os alimentos que não forem vendidos

A Starbucks do Canadá deu um passo adiante em favor do fim do desperdício de alimentos e fez um anúncio nesta segunda, 4, prometendo...

Empregada doméstica por 25 anos, ela se reinventou aos 50 e conquistou a sua independência financeira

De recomeço, a Rosangela entende muito bem! Ela assina embaixo quando dizemos que nunca é tarde para se reinventar. Depois de 25 anos trabalhando...

Tailandeses usam baldes e até carrinhos de mão para abandonar sacolas plásticas

A Tailândia proibiu no dia 1º de janeiro a produção e distribuição de sacolas plásticas em supermercados e atacados do país. Antes mesmo da medida...

Perdeu o iPhone no aeroporto, alguém encontrou, e deixou nos achados e perdidos

Quando digo que não sou o único a acreditar em pessoas melhores, cada vez mais pessoas estão reafirmando tudo isso. Nesse sábado, estava eu na...

Instagram

Médica brasileira que estuda o câncer entra para lista de cientistas mais influentes do mundo 7