Médico sul-africano cura surdez de paciente com primeiro transplante de ouvido do mundo

Uma equipe de médicos da capital sul-africana, Pretoria, foi saudada pela comunidade internacional no pioneirismo em realizar o primeiro transplante bem-sucedido do ouvido humano.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foi utilizada a tecnologia de impressoras 3D para reconstruir os ossos quebrados do ouvido de um homem de 35 anos que perdeu a audição após se envolver em um acidente de carro quase fatal. Devido à natureza de seu trauma, a operação cirúrgica durou cerca de uma hora e meia para ser concluída.

A conquista está sendo celebrada como uma solução de longo prazo para a perda auditiva condutiva. Além disso, a cirurgia pode ser realizada em pessoas de qualquer idade, incluindo recém-nascidos, curando pacientes com surdez causada por dano físico ou infecção generalizada, bem como defeitos congênitos e doenças metabólicas.

O professor Mashudu Tshifularo foi uma das mentes brilhantes por trás da cirurgia revolucionária, realizada no Hospital Acadêmico Steve Biko, da Universidade de Pretória.

Leia tambémElectrolux cria curso profissionalizante e traz consciência para o desperdício de alimentos

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mashudu vinha estudando a perda da audição condutiva há mais de uma década, tendo começado a investir no uso de tecnologias de impressão 3D nos últimos dois anos com o objetivo de escanear e recriar totalmente os minúsculos ossos que compõem o ouvido, como o martelo, a bigorna e o estribo.

Médico sul-africano cura surdez de paciente com primeiro transplante de ouvido do mundo
O professor Mashudu Tshifularo. Foto: Reprodução

Em um comunicado enviado à impressa comemorando o sucesso da operação, Mashudu explica: “Ao substituir apenas os ossículos que não estão funcionando adequadamente, o procedimento traz riscos significativamente menores do que as próteses conhecidas e o procedimento cirúrgico associado. Nós utilizamos titânio para este procedimento, que é biocompatível. Usamos um endoscópio para fazer a substituição, portanto, o transplante foi relativamente rápido, com uma mínima cicatriz”.

Ao Departamento de Saúde da África do Sul, o professor afirmou que “o paciente escolhido aguarda a cirurgia de reconstrução há quase três anos até finalmente a operação ocorrer. No entanto, valeu a espera, pois fizemos algo pioneiro no mundo e as pessoas se lembrarão de nós por isso.”

Embora expressando orgulho por ter revolucionado a nível mundial a abordagem para com a perda auditiva, o professor Mashudu ponderou que o tratamento precisa se tornar acessível para pacientes sem condições financeiras, como aqueles que utilizam os hospitais públicos da África do Sul.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémFábrica da Electrolux em São Carlos reduz em 99% o envio de resíduos orgânicos para aterro

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: The Mind Unleashed
Foto destacada: Reprodução / Hospital Acadêmico Steve Biko

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,211SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Idosa com Alzheimer só reconhece marido com quem é casada há 80 anos

A dona Genésia Generina Soares, 97 anos, tem Alzheimer há 6 anos e a única pessoa que ela é capaz de reconhecer é o marido, o seu Luiz Gonzaga Araújo, com quem é casada há 80 anos.

Documentário mostra como mulheres bikers estão quebrando paradigma no Afeganistão

Quão importante é nosso direito de ir e vir? E o valor que damos à nossa liberdade? Até que ponto as escolhas são nossas? Acredito que são estas respostas...

Cadeirante é resgatada após cair de navio de cruzeiro e quase se afogar – veja o vídeo

Enquanto participava de uma festa em um navio cruzeiro, uma jovem cadeirante acabou caindo do alto da embarcação, e quase se afogou no mar...

Corinthians volta a ter estrela na camisa em homenagem a vítimas do Nazismo

Ação realizada em partida contra o Fortaleza resgata a memória da perseguição nazista aos judeus. As camisas dos jogadores serão leiloadas e toda a renda será revertida para o Memorial do Holocausto.

Fotógrafo retrata realidade secreta de grupo nômade com leis baseadas no amor

Conheçam o Rainbow Gathering, um grupo de nômades que vivem com os preceitos hippies de amor, harmonia, paz, liberdade e cuidado com o planeta. Uma...

Instagram