Médico vende pizzas para financiar pesquisa inovadora no tratamento para crianças autistas

O médico e pesquisador Durval Batista Palhares começou a vender pizzas para financiar uma pesquisa importante sobre os efeitos de um medicamento no tratamento de crianças com autismo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Essa foi a solução encontrada pelo doutor devido à falta de apoio governamental e a dificuldade em conseguir parcerias no setor privado.

Durval acumula quase 5 décadas de experiência no ramo da medicina, com pós-doutorado em Cleveland, nos Estados Unidos, e reconhecimento internacional como um dos maiores neonatologistas do nosso país.

Ainda assim, com tamanho currículo, ele não conseguiu viabilizar seu estudo, precisando apelar para pequenas ações de arrecadação de recursos para levar a importante pesquisa adiante.

Nos próximos dias, seu grupo de voluntariado pretende vender 400 pizzas por R$ 40 cada – com R$ 14 de lucro por pizza, – totalizando R$ 5,6 mil para o fundo científico.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Médico vende pizzas para financiar pesquisa inovadora no tratamento para crianças autistas

Uma vida desbravando a Medicina

Durval é membro da comunidade médica desde os anos 1970. Para ele, sua vida se resume a “pesquisar”. No entanto, hoje, ele depende de doações e ações sociais – como a venda de pizzas, – para viabilizar seu trabalho em prol da ciência.

Infelizmente, apesar de ser professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), a instituição recusou colocar verba em sua pesquisa. “Temos dois laboratórios, mas é só o espaço que eles dão. Não tem mais nenhum investimento”, lamentou.

Caso ele e sua equipe consigam vender as 400 pizzas, o lucro será de R$ 5,6 mil, valor suficiente apenas para a primeira compra de reagentes a serem usados no estudo já autorizado formalmente.

A pesquisa sobre os efeitos de um medicamento específico no tratamento de crianças com autismo começou em 2019, quando o médico descobriu que ele poderia tratar a fibrodisplasia ossificante, que leva alguns pacientes com transtorno do espectro autista a uma melhor socialização.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Fizemos todos os testes para a aprovação da pesquisa, sem nenhum efeito colateral observado”, disse. A base do estudo se firma na tese de que o autismo é uma inflamação no sistema nervoso central.

Médico vende pizzas para financiar pesquisa inovadora no tratamento para crianças autistas

Primeiros testes

Com o acompanhamento de outros especialistas, Durval encaminhou 19 crianças autistas para a primeira etapa da pesquisa.

Destas, 10 tomaram a medicação pesquisada e 9 um placebo. “[As que tomaram o remédio] apresentaram melhora significativa na interação com outras pessoas, na socialização”, garantiu o médico.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Durval é responsável pela implantação do atendimento de neonatologia no estado de Mato Grosso do Sul e virou referência em saúde de recém-nascidos.

Próximos passos

Para os próximos meses, o neonatologista espera arrecadar fundos suficientes através de doações para selecionar 40 pacientes. Durante 4 meses, ele vai ministrar o medicamento, que mescla conceitos de biologia molecular, ao custo de cerca de R$ 500.

Seu objetivo é trazer avanços relevantes na pesquisa e colaborar com a cura. “Só quem sente na pele é que se preocupa com a pesquisa no Brasil. Dia desses, a avó de uma paciente doou R$ 50 mil, porque eu salvei a vida da neta dela lá no HU”, contou o médico.

Fonte: CG News
Fotos: Arquivo pessoal

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM








Médico vende pizzas para financiar pesquisa inovadora no tratamento para crianças autistas 4

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
5,144,388SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Pai solteiro que cresceu em abrigo adota 5 irmãos para evitar que fiquem separados, como ele foi na infância

O americano Robert Carter, de 29 anos, foi adotado quando tinha 12 anos e passou um período longe de seus irmãos, por isto, quando...

Menino de 8 anos com paralisia cerebral completa um triathlon

Bailey Matthews tropeçou, mas não desistiu. Aos 8 anos de idade e com paralisia cerebral participou de um triathlon no Reino Unido, e quando a linha de chegada...

Empresa permite que funcionários levem seus pets ao escritório

A percepção de que os pets aliviam a tensão no local de trabalho é unânime.

Garoto usa a criatividade e desenha à mão figurinhas do álbum da Copa

A mãe de Pedro não tem dinheiro para comprar as figurinhas do álbum da Copa do Mundo, então ele decidiu desenhá-las à mão.

Dona de cafeteria posta desabafo em apoio à funcionário humilhado por cliente, na Austrália

Quem já trabalhou com atendimento sabe que, vez ou outra, surgem uns perrengues para superar. Só que quando se tens uma chefe como a...

Instagram

Médico vende pizzas para financiar pesquisa inovadora no tratamento para crianças autistas 5