Médicos da rede privada vão receber três vezes mais por parto normal

Dependendo da condição da paciente, a cesárea pode acarretar vários riscos à saúde da mãe e do bebê. Tanto é verdade, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o procedimento seja adotado em, até, 15% de todos os partos realizados. O índice no Brasil é bem superior a isso: 27,5% no SUS e 79,7% na rede privada.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Ministério Público Federal usou esse dado para que a Agência Nacional de Saúde (ANS) cobre dos planos de saúde uma redução no número de cesáreas. Algumas das principais medidas a serem adotadas são:

– Estabelecer uma remuneração três vezes maior para um parto normal do que para uma cesariana.

– Criar notas de qualificação para operadoras e hospitais, seguindo o critério de adoção de práticas humanizadoras de nascimento e diminuição dos partos cirúrgicos.

– Determinar às operadoras e hospitais que possibilitem a atuação de enfermeiros obstétricos e obstetrizes no trabalho de parto e no próprio parto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Segundo o texto, com o decreto, a sociedade ganha a promoção dos benefícios de um parto humanizado.

via [Crescer]

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,505,556SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cientistas criam vidro que converte energia solar em eletricidade

Uma equipe de cientistas que trabalha no Lawrence Berekley National Laboratry, na Universidade de Berkeley - Califórnia, criou um painel de vidro fotovoltaico, capaz...

Estudante com paralisia cerebral revela talento na escrita: tudo começou com um celular

Professores e alunos da EMEF Franscisco Meirelles, de São Paulo, se mobilizaram para comprar um tablet para o estudante Marcos Gabriel Rocha, 18 anos. Essa...

Professor de Brasília está ensinando meninos a respeitar as alunas através do esporte

“Eu aprendi que menino não é melhor que menina e nem menina melhor que menino”, resume uma das crianças.

Atendente passa mais de uma hora lendo manual de equipamento para cliente cego

Em tempos de automatização de tudo o que é serviço, um atendimento realizado em Belo Horizonte (MG) mostra o quanto é importante a interação...

Mesmo com empresa parada, empresário se prontificou a fabricar máscaras para hospitais

Não achando justo sua máquina de laser parada, ele se prontificou a produzir protetores faciais para ajudar hospitais.

Instagram