Aos 9 anos de idade, menina ensinou vendedor de picolé a ler e escrever

Clique e ouça:

Olha que história incrível, gente! O seu Zezinho, um vendedor de picolé de 68 anos, não sabia ler e nem escrever.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Até que um dia, com a ajuda de uma “professora” de apenas 9 anos, ele conseguiu escrever o seu nome pela primeira vez!

Conheçam a história do seu Francisco Santana Filho e da estudante Bárbara Matos Costas, hoje com 10 anos, do município de Crato, no interior do Ceará.

Há mais de 40 anos, o seu Zezinho vende picolés em frente à escola da pequena Bárbara. Certo dia, com dificuldades na matéria de Português, ela recorreu ao amigo para ajudá-la.

Seu Zezinho vende picolés desde os 12 anos de idade e nunca frequentou a escola. Foto: Reprodução/Vídeo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em lindo vídeo produzido para o projeto Inspire Fundo do grupo Algar em parceria com o Razões para Acreditar, a estudante contou que foi surpreendida pela resposta do amigo.

“Eu perguntei para ele, ‘Ô, seu Zezinho, o senhor sabe ler e escrever?’, e ele contou que nunca foi para a escola porque precisava trabalhar”, contou a pequena.

No Nordeste, a taxa de analfabetismo chega a 13,9%.

Bom, naquele momento, nascia uma amizade muito linda entre os dois. ❤

Imediatamente, a pequena pegou seu caderno e um lápis e começou a ensinar ao seu Zezinho o alfabeto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A pequena professora Bárbara dá aulas a seu Zezinho dentro da escola onde ele vende picolés há 40 anos. Foto: Reprodução/Vídeo

“Eu levei até na brincadeira, né. É uma criança, né. Mas não, foi um negócio sério rapaz”, contou o idoso. 

“Ela faz prova, manda dever de casa, é a coisa mais linda”

É isso mesmo, a pequena professora faz questão de cobrar e acompanhar o desenvolvimento do seu Zezinho.

Ele relatou que às vezes esquece algumas letras, mas a gente sabe que é questão de tempo para ele pegar mais intimidade com a gramática, ainda mais com uma professora dessas, não é mesmo?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu tinha o sonho de aprender a escrever o meu nome, e ela me ajudou”, disse sorrindo.

A amizade entre seu Zezinho e Bárbara é muito especial e uma lição para todos nós. Foto: Reprodução/Vídeo

Como a história deles ficou conhecida

Hoje já se completou um ano desde a primeira aula do seu Zezinho com a Bárbara. Após a aula da escola, os dois estudam juntos.

A história deles ficou conhecida após a psicopedagoga da escola, Risélia Maria, registrar e publicar em sua rede social os dois com os cadernos em frente à escola, sentados no chão.

As aulas começaram no chão, em frente à escola onde Bárbara estuda. Foto: Risélia Maria

“Ele é uma boa pessoa e precisava saber ler e escrever um dia”, diz ela, que sonha em ser médica, veterinária ou masterchef ‘quando crescer’.

Ai, tem como não se emocionar com essa história, gente?! Confiram o vídeo completo:

Esse conteúdo é uma colaboração entre Algar e Razões para Acreditar, mensalmente acompanhe lindas histórias como essa!

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,026,002FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
11,919SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Brasileira voluntária da 2ª Guerra Mundial é hoje voluntária na luta contra o Coronavírus

A dona Blandina era adolescente quando confeccionou luvas para os soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutaram na 2ª Guerra Mundial. Lá se...

Jovens antecipam casamento após saber que um deles tem apenas 5 meses de vida

Se você, assim como eu, se acabou de chorar vendo "Um amor para recordar" lá em 2002, se prepare: essa história é real, e...

Policiais unem-se a manifestantes em ato contra racismo e violência, nos EUA

É preciso tomar muito cuidado com generalizações, afinal, a profissão e a raça de uma pessoa não podem a definir. E para provar isso, diversos...

Batismo de bebê conta com bençãos de familiares católicos, espíritas, evangélicos e umbandistas

Quando completou três meses de vida, o pequeno Iago recebeu as bençãos de sua família, cada qual à sua maneira: uma avó é católica,...

Surfistas vão todos os dias à praia para salvar vidas e recebem gratidão de banhistas

Só quem já passou pelo susto de perder o controle ao nadar em um mar ou uma piscina sabe o tamanho do alívio quando...

Instagram