Para alegrar colega que perdeu concurso, menina cede medalha para ele

Após conquistar a medalha de prata em um concurso de oratória da escola, a estudante do 6º ano Laura Binder, 10 anos, percebeu que um coleguinha da sala estava muito triste por não ter se classificado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em um ato de generosidade, ela pediu para seus colegas assinarem a faixa da medalha com o nome do amigo, Rafael, e entregou sua medalha para ele dizendo que “todos sabiam que ele tinha dado o seu melhor”.

Laura estuda no Colégio Everest Internacional, em Curitiba. A direção explica que há um programa de virtudes na escola que incentiva os estudantes a terem atitudes altruístas. Assim, sempre que algo parecido acontece, a atitude do aluno é reconhecida.

Para alegrar coleguinha triste que perdeu concurso, menina de 10 anos cede medalha para ele

No caso da vice-campeã de oratória, seu time ganhou pontos a mais no ranking geral dos jogos internos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Um “informe positivo” é enviado aos pais dos estudantes quando não há jogos desse tipo, para que boas atitudes sejam sempre prestigiadas e recorrentes.

O médico Gustavo Binder e a dentista Susane Binder, pais de Laura, dizem que baseiam a educação das filhas – que também inclui Júlia, 6 anos – em dois princípios: técnico, no sentido de adquirir conhecimento e desenvolver capacidades, e no caráter, para que elas se transformem nas melhores pessoas que puderem ser.

Leia tambémMenino de 6 anos surpreende professores ao entregar medalha para amigo cadeirante

“Pessoas com caráter e com generosidade são mais felizes e ajudam outras pessoas a serem mais felizes”, explica o pai, ressaltando que essa é a parte mais importante do crescimento e que é isso que deseja para suas filhas. “A gente torce para fazer o melhor e que o resultado dessas atitudes formem adultos com um grande coração”, conta, emocionado com a atitude de Laura.

Campeonatos e concursos de conhecimentos gerais, como o de oratória, são comuns no Colégio Everest Internacional, além de cálculo e outras áreas. O objetivo é sempre o mesmo: incentivar as crianças a se desenvolverem e também a lidarem com frustrações caso não vençam.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

Ver essa foto no Instagram

 

#Repost @everestgames19 (@get_repost) ・・・ Sua generosidade foi vista e nos orgulhou! Ao ver um colega chateado com o resultado do concurso de oratória a Laura, que foi segundo lugar no concurso, deu sua medalha para ele. Que sua atitude possa inspirar muitos! Lembre que nenhuma competição é mais importante que a capacidade de olhar o outro. A equipe da Laura (Sharks🦈) receberá um token que vale 25 pontos pela sua atitude positiva👏#everestgames #colegioeverest #destaquedasemana #atitudepositiva

Uma publicação compartilhada por Colégio Everest Curitiba (@colegioeverestcuritiba) em

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Gazeta do Povo/Fotos: Reprodução/Instagram

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM










Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,901,943SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Acesso à água potável está transformando a educação em comunidades do semiárido

Cerca de 35 milhões de brasileiros vivem, atualmente, sem acesso à água potável. Essa é uma realidade que afeta diferentes aspectos da vida dessas...

De camisa social e gravata, “Sr. Brigadeiro” surpreende banhistas pelas praias do litoral de SP

O brasileiro é sem dúvidas muito criativo e sabe superar, como ninguém, as adversidades da vida. O ex-motorista de aplicativo Marlon Vinícius Pedroso Barbosa, 31...

Após mais de ano internada, menina de 5 anos com leucemia realiza sonho de se formar na pré-escola

Kauana Rossetto Santos Trindade, de apenas 5 anos, foi diagnosticada com leucemia em 2014. A família de Ponte Serrada, no oeste catarinense, viu então sua caçula...

Tudo por um abraço

O mundo está cada vez menor, a tecnologia está aproximando cada vez mais as pessoas... será? Cada vez menos estamos tendo contato físico com nossos...

Professora ajuda aluno com deficiência a dançar valsa na cerimônia de formatura da escola

É muito comum em países da América Latina dançar valsa para comemorar diversas ocasiões, como as formaturas escolares. Como outras danças, a exemplo da quadrilha,...

Instagram

Para alegrar colega que perdeu concurso, menina cede medalha para ele 2