Menina que nasceu sem as mãos ganha competição de caligrafia

A pequena Sara Hinesley, 10 anos, não entende por que causa tanta surpresa ela ter ganho uma competição nacional de caligrafia. Afinal, ela apenas se esforçou e se dedicou muito, como os outros competidores, para faturar o prêmio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sara gosta de pintar, desenhar e esculpir barro. Ela domina tanto a escrita em inglês, como em mandarim, o idioma chinês. Quando a menina aprendeu a escrever em letra cursiva este ano, conta seus pais, disse ter achado “super fácil”.

Pouco importa o fato de que Sara tenha nascido sem as mãos. “Eu nunca ouvi essa menininha dizer: ‘Eu não posso'”, disse a professora Cheryl Churilla. “Ela é uma pequena estrela do rock. Domina qualquer assunto ou tarefa que dou pra ela, dá sempre o melhor de si.”

Aluna do terceiro ano da Escola Católica Regional St. John, em Frederick, Maryland (EUA), Sara ganhou no mês passado o prêmio Nicholas Maxim, o Campeonato Nacional de Caligrafia dos Estados Unidos, na categoria “letra cursiva”, reconhecidamente ‘redonda, reta e cirúrgica’ pelos jurados da competição.

Menina de 10 anos que nasceu sem as mãos ganha competição de caligrafia

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O prêmio é concedido anualmente a dois alunos com necessidades especiais – um para redação impressa e outro para roteiro.

Sara nunca usou uma prótese. Quando lhe oferecem ajuda para facilitar alguma tarefa, como cortar papel com uma tesoura, ela rejeita, relata sua mãe, Cathryn Hinesley.

“Ela é bastante independente, sabe que é capaz e dá um jeito de sempre descobriu o seu próprio caminho”, disse Hinesley. “Além disso é uma garota linda, forte e poderosa à sua maneira, vivendo do seu jeito”, afirma a mãe, orgulhosa da filha.

Leia também: Menina cria ursinho que esconde soro e acalma crianças durante medicação

Para escrever, Sara agarra o lápis entre os braços. Ela se concentra nas formas das letras, cada ponto e curva. Escrever em letra cursiva é como “criar uma obra de arte”, diz a menina.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu gosto da maneira como as letras são formadas”, disse Sara. “É pura arte.”

Sara veio da China para os Estados Unidos há quatro anos, adotada por uma nova família. Quando chegou em solo americano, em julho de 2015, sua mãe disse que ela poderia falar e escrever em mandarim. No entanto, ela quis aprender inglês, e assim o fez rapidamente, com a ajuda da irmã, Verônica.

Durante o tempo livre, Sara gosta de desenhar “coisas que estão ao seu redor”, como girassóis. Ela curte nadar, brincar com a irmã Verônica, que também tem 10 anos, além de participar do clube de xadrez da escola. “Há muito pouco que ela não esteja disposta a tentar”, brinca a mãe.

Menina de 10 anos que nasceu sem as mãos ganha competição de caligrafia

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Sara é um testemunho da perseverança e do espírito humano”, disse Hinesley. “Todo dia eu fico impressionada com as coisas que ela é capaz de fazer e que ela escolhe fazer. Ela não tenta encontrar o caminho para evitar um obstáculo, ela encontra uma maneira de completar a tarefa.”

A menina participou no dia 13 de junho da cerimônia de premiação do Troféu Nicholas Maxim de Caligrafia com a presença da família e amigos. Além do troféu, ela levou uma bolada de US$ 500 (R$ 2 mil) para casa. Ela é a primeira aluna de sua escola a vencer o prêmio, segundo a diretora, Kathy Smith.

“Estamos muito animados e orgulhosos dela!”, afirmou a diretora.

Leia também: Menino de 4 anos enfrenta transplante delicado e salva irmãos gêmeos

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: MSN/Fotos: Reprodução/MSN

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Graças a um óculos especial, pai daltônico consegue ver os filhos e o mundo ao redor com as verdadeiras cores

Opie Hughes é daltônico, e durante toda sua vida nunca foi capaz de ter a real experiência relacionada às cores. Mas, graças a um...

Pizzaria premia entregador com moto nova e câmeras de segurança flagram reação emocionante [VÍDEO]

Eles fazem um trabalho importantíssimo nessa pandemia, rodando as cidades para levar comida às casas, hospitais, estabelecimentos... Por isso, uma pizzaria de Itaquaquecetuba (SP) resolveu...

Aplicativo permite que você mande e receba boas vibrações

O mundo precisa de boas vibrações e cada um de nós pode fazer sua parte. Com isso em mente, o aplicativo Coletivo Vibe surgiu...

Cientistas brasileiros criam robô autônomo que descontamina ambientes hospitalares

A robótica aplicada na área da saúde ganhou um novo olhar em tempos de pandemia. Exemplo disso é o trabalho pioneiro realizado pelo Grupo Phi...

Protetora resgata cãozinho de rua esquelético e o ajuda a se recuperar e ser adotado

No início deste ano, a protetora Amanda Ribeiro, de Porto Velho (RO), encontrou um cãozinho de rua em um estado deplorável. Ela estava passando de...

Instagram

Menina que nasceu sem as mãos ganha competição de caligrafia 1