Meninas afegãs criam ventilador pulmonar de baixo custo para salvar pacientes com Covid-19

Em 2017, um grupo com cerca de 50 jovens afegãs do Ensino Médio criaram uma equipe de robótica que busca empoderar mulheres do Afeganistão por meio da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Conhecida como ‘Sonhadoras Afegãs‘, a equipe vinha recebendo financiamento do Digital Citizen Fund para desenvolver projetos, mas seu futuro agora é incerto, devido à instalação do regime fundamentalista talibã. 😔

meninas afegãs criam ventilador pulmonar baixo custo pacientes covid

Ventilador pulmonar de baixo custo

No ano passado, em plena pandemia de Covid-19, cinco jovens da equipe com idades entre 15 e 19 anos se juntaram para criar um ventilador pulmonar de baixo custo para hospitais públicos do país.

meninas afegãs criam ventilador pulmonar baixo custo pacientes covid

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apesar da baixa oferta de materiais e orçamento limitado, as estudantes Somaya Faruqi, Ayda Hayderpoor, Elham Mansoori, Florance Pouya e Diana Wahabzada improvisaram o equipamentto reaproveitando peças de carros, motos e máquinas descartadas pela indústria que iriam para um lixão.

O resultado foi um ventilador pulmonar capaz de atender pacientes no pré-tratamento, aumentando as chances de vida daqueles que estão na fila de espera para atendimento, aguardando um leito de UTI.

Desafios para o futuro

Antes mesmo da queda do governo, no dia 15 de agosto, o Afeganistão já era um dos países com menor taxa de vacinação contra o novo coronavírus.

Desde o início da campanha, em janeiro, apenas 0,6% da população foi totalmente imunizada. Agora, com a tomada do Talibã, há a expectativa que a vacinação seja interrompida por completo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O grupo radical já proibiu a vacinação em diversas províncias do país.

Meninas temem pelo seu futuro

Com o fim da república afegã, a Equipe de Robótica para Meninas Afegãs também está ameaçada, uma vez que as leis talibãs impedem que meninas a partir de 12 anos possam estudar, entre uma série de outras restrições absurdas. 😓

Apesar da facção ter afirmado que não irá proibir a educação de mulheres, as estudantes temem pelo seu futuro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ainda assim, Faruqi, Hayderpoor, Mansoori, Pouya e Wahabzada deixaram seu legado. Após meses de testes, o ventilador pulmonar desenvolvido por elas está prestes a ser incorporado ao tratamento dos casos de COVID-19 no país, que não param de aumentar desde o fim de maio.

Desejamos um Afeganistão que fomente a participação e o empoderamento feminino na sociedade, na educação e na ciência!

Veja também:

Fonte: CNN
Fotos: Somaya Faruqi

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,238,290SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Projeto arrecada medicamentos para doar ao tratamento de animais resgatados

Que tal ajudar a salvar animais resgatados em BH e região? Essa é a proposta do projeto Farmácia Solidária, que visa arrecadar e doar medicamentos humanos ou...

Após cancelar casamento, noiva usa dinheiro da festa para oferecer banquete para moradores de rua

O que você faria se tivesse gastado 30 mil dólares não reembolsáveis em um casamento que acabou sendo cancelado? A maioria das pessoas ficaria enlouquecida...

Lençóis para crianças contam histórias infantis para ajudá-las a dormir

As estampas têm mais do que uma função puramente estética.

Jovem com doença conhecida como ‘ossos de vidro’ se forma em Pedagogia

Conhecida popularmente como “ossos de vidro” ou “ossos de cristais”, osteogênese imperfeita é uma doença rara que tem como principal característica a fragilidade dos...

Cidade nos EUA comemora Natal fora de época para menino com câncer

A cidade de Port Clinton comemorou o Natal mais cedo este ano. A comunidade, localizada no estado de Ohio, nos Estados Unidos, decidiu enfeitar...

Instagram