Menino autista de 14 anos faz mestrado em física quântica

Aos dois anos de idade, o jovem americano Jacob Barnett recebeu diagnóstico de autismo, e o prognóstico era ruim: especialistas diziam a sua mãe que ele provavelmente não conseguiria aprender a ler nem sequer a amarrar seus sapatos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“(Após ser diagnosticado), Jacob foi colocado em um programa especial (de aprendizagem). Com quase 4 anos de idade, ele fazia horas de terapia para tentar desenvolver suas habilidades e voltar a falar”, relembra.

“Mas percebi que, fora da terapia, ele fazia coisas extraordinárias. Criava mapas no chão da sala, com cotonetes, de lugares em que havíamos estado. Recitava o alfabeto de trás para frente e falava quatro línguas.”

Jacob diz ter poucas memórias dessa época, mas acha que o que estava representando com tudo isso eram padrões matemáticos. “Para mim, eram pequenos padrões interessantes.”

Mas Jacob acabou indo muito além. Aos 14 anos, o adolescente estuda para obter seu mestrado em física quântica, e seus trabalhos em astrofísica foram vistos por um acadêmico da Universidade de Princeton como potenciais ganhadores de futuros prêmios Nobel.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Jacob-Barnett Jacob-Barnett-child-genius-2 jacob-barnettthe-next-nobel-peace-prize-winner

o-JACOB-BARNETT-facebook

Fonte: Folha de São Paulo e BBC

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,644,123SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Nos EUA, policiais abordam imigrantes que estavam vendendo maçã do amor para… abraçá-los e oferecer um peru

Um vídeo postado na página do Facebook, Militar News, está fazendo sucesso nas redes sociais e já chegou a mais de 9 milhões de...

Razões para Acreditar nas Mulheres na Ciência

Por Ana Paula Passarelli No dia 20 de outubro, aconteceu, no Palácio Guanabara (RJ), a cerimônia de entrega da 10º edição do prêmio Para Mulheres...

Flor rara desabrocha em árvore ameaçada de extinção, permitindo polinização da espécie

No início deste mês, uma árvore criticamente ameaçada de extinção produziu uma rara espécie de flor que nunca havia sido documentada pela ciência. A árvore...

Você já ouviu falar em educação humanitária?

A Educação Humanitária complementa a educação formal oferecida pelas escolas. É uma metodologia que ensina crianças e jovens a serem pensadores críticos e criativos, inspirando...

Instagram