Menino de 9 anos convence pais a doarem sítio abandonado para abrigar mulheres

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO



Ele é um menino de 9 anos, mas já inspira muita compaixão pelos mais necessitados, neste caso, por mulheres em situação de rua e dependência química. Foi durante uma missa na igreja que a família de Augusto Lucciola Neto frequenta que esse sentimento de solidariedade aflorou.

Na manhã daquele domingo, o pastor apresentou para os fiéis o projeto Cristolândia Bahia, criado há três anos pela igreja, mas que precisa de um abrigo para a mulher. Depois de exibir fotos e slides, o pastor pediu aos presentes que pudessem ajudar que se manifestassem.

Augusto ficou comovido com a apresentação e perguntou à mãe dele, a engenharia civil Judite Lucciola, se ela queria falar, mas ela disse que não. Porém, Augusto insistiu pelo menos para ela acompanhá-lo até a frente. Os dois se sentaram na escadaria e, naquele momento, o menino foi às lágrimas, demonstrando uma empatia surpreendente por aquelas pessoas. Augusto chorou durante toda a pregação.

Ao chegar em casa, Augusto continuou insistindo para que os pais fizessem algo e sugeriu a doação de um imóvel da família no centro de Monte Gordo, em Camaçari, na Grande Salvador. O sítio de oito mil metros quadrados estava fechado há anos – praticamente  abandonado. menino de 9 anos

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Ele falou comigo que elas precisavam de um espaço, e nós tínhamos e nem usávamos. Falou de uma forma tão convicta que ficamos sem saída”, contou a mãe ao site A TARDE.

A família conversou com o pastor e foi até o local para ver se ele atendia à demanda do projeto. “A casa estava abandonada, reformamos e acrescentamos outra ala de quartos. Agora estamos aguardando o alvará de funcionamento da prefeitura de Camaçari”, disse Judite.

Com a reforma e ampliação da primeira etapa, o projeto vai atender inicialmente 24 mulheres. A inauguração está prevista para acontecer em maio. Augusto faz questão de visitar a obra sempre que possível. Ele lembra do momento na igreja.  “Eu fiquei comovido com aquelas pessoas necessitadas, falei para meus pais que não era justo só os homens serem abrigados. Eles questionaram como iriam investir em uma nova casa, se já tínhamos a nossa reforma. Fiquei pensando no que poderíamos fazer e, assim que acabou a reforma da nossa casa, investimos na Casa Rosa [nome dado à nova sede do projeto]”.

Fotos: Raul Spinassé / Ag. A TARDE

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,022,894FãsCurtir
2,171,660SeguidoresSeguir
11,617SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Batismo de bebê conta com bençãos de familiares católicos, espíritas, evangélicos e umbandistas

Quando completou três meses de vida, o pequeno Iago recebeu as bençãos de sua família, cada qual à sua maneira: uma avó é católica,...

Brasileira voluntária da 2ª Guerra Mundial é hoje voluntária na luta contra o Coronavírus

A dona Blandina era adolescente quando confeccionou luvas para os soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutaram na 2ª Guerra Mundial. Lá se...

Jovens e agricultores se unem e abrem bibliotecas na zona rural da Paraíba

Eu já estou apaixonado por essa história antes mesmo de começar a contar pra vocês. Esse é um exemplo de que a união entre...

Com 4 filhos pequenos, dona de casa abandonada por marido recebe apoio de internautas

A jovem mamãe Andreza Santos Araújo, 23 anos, mora e cria sozinha seus quatro filhos pequenos em Várzea Grande, Mato Grosso. Desde que o...

Universitário de 92 anos se adapta à tecnologia e nos dá uma linda lição de resiliência e otimismo

Não existe idade certa para realizarmos nossos sonhos e o universitário Carlos Augusto Manço, que entrou na faculdade aos 90 anos, é um dos...

Instagram