Ela era merendeira mas voltou a estudar aos 38 anos e hoje tem mestrado

A educação é mesmo extremamente importante para que a gente possa correr atrás de nossos sonhos e até mesmo mudar totalmente de vida! Sergiana Santos foi merendeira até os 38 anos e tinha estudado apenas até o ensino fundamental. Em 2006, ela passou em um concurso público para trabalhar na prefeitura de Delmiro Gouveia, em Alagoas e foi então que ela decidiu que era hora de voltar a estudar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em 2008 ela concluiu o ensino médio, logo depois entrou na faculdade de história e hoje, após ter concluído seu mestrado, ela é antropóloga social pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Isso só foi possível depois que a universidade abriu um campus novo, chamado Campus Sertão da Ufal, em 2009, já que a maioria das universidades acaba concentrando seus prédios nas capitais.

É por isso que ela afirma que: “O preconceito com os sertanejos é tão grande que até nós mesmos chegamos a pensar que não somos capazes. Não foi fácil chegar até aqui porque precisei abdicar de muita coisa, mas valeu a pena cada viagem que fiz de ônibus do Sertão até Maceió. A universidade mudou a minha forma de pensar e me fez entender sobre direitos e cidadania”.

Sergiana diz que não quer mais perder tempo e pretende ingressar ainda este ano em um doutorado. Sua vida mudou totalmente depois que ela voltou a estudar e ela quer inspirar mais pessoas a fazerem a mesma coisa!

Com informações de Só Notícia Boa

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foto: Waldson Costa / G1

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,835,148SeguidoresSeguir
24,725SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mãe de sete que devolveu carteira com R$ 500 recebe doações do país inteiro

Alguns dias antes das festividades de Natal, Simone Aparecida, de 41 anos, mãe de sete filhos moradora de Lins (SP), protagonizou uma história de...

Este robô fofinho foi feito para ajudar crianças autistas

O brinquedo educativo também serve para que pais e terapeutas possam usar como ferramenta para promover progressos nas crianças em nível cognitivo e motor.

Crianças do gueto de Uganda fazem competição de quem dança melhor

Você acha que dança bem, que tem ginga? Pois bem, espere até ver esse vídeo e comente sobre o que você achou, dá o...

Vovó ensina rotina diária de exercícios, no alto de seus 98 anos

Tem idade limite para fazer exercícios? Com certeza não, e a Dona Lole, de 98 anos, é a prova viva de que não existe...

Cliente deixa gorjeta de US $ 3.000 para ajudar funcionários de bar a se manterem durante a Covid

Uma cerveja no clube de jazz Nighttown, em Cleveland (EUA), custa US $ 7, normalmente. Só que dessa vez, um cliente pra lá de...

Instagram

Ela era merendeira mas voltou a estudar aos 38 anos e hoje tem mestrado 4