Mesmo depois de ficar cega, ela superou limites e tornou-se professora

Ela poderia ser mais uma a reclamar da vida, mas não é!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cega aos treze anos, Ethel não se abateu e continuou em busca dos seus sonhos. Tornou-se a primeira professora cega do ensino público do Rio de Janeiro e até hoje atua junto a órgãos públicos pela melhor qualidade de vida dos deficientes visuais. Por 27 anos, ela trabalhou apenas com pessoas com deficiência. Durante esse tempo, Ethel percebeu que quando chegava a hora de incluir essas pessoas no mercado de trabalho, as outras não estavam preparadas para conviverem com as diferenças.

Foi aí que mudou o foco e começou a trabalhar como consultora, para sensibilizar e capacitar pessoas para um melhor relacionamento com as pessoas com deficiência. Ela acredita que mais importante que cumprir a chamada Lei de Cotas, é essencial acreditar no potencial das pessoas com deficiência e empregá-las com os mesmos direitos e deveres dos demais empregados. Veja o vídeo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,502,658SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Desafio ‘A Ditadura da Beleza’ oferece 4 mil dólares para a melhor fotografia artística

Não precisa ser fotógrafo profissional para participar do desafio.

Servidora publica faz ‘declaração de amor’ em processo de prisão

A funcionária colou sem querer o texto na movimentação de um processo no sistema online do tribunal.

Menino “invade” garagem para dar abraço em uma cachorrinha

A câmera de segurança da garagem de uma casa no estado de Louisiana, nos Estados Unidos, flagrou um menino dando um abraço afetuoso na...

Morre bebê adotada por jovem de 18 anos e mãe promete continuar ajudando crianças especiais

Essa notícia é de partir o coração, gente. Ester, que tinha paralisia cerebral, se alimentava por sonda, e sofria maus-tratos da mãe biológica, foi...

Refugiado sírio atravessa o Mediterrâneo com o seu gatinho no colo

A arriscada travessia de imigrantes no Mar Mediterrâneo em direção à Europa não impediu que um rapaz sírio levasse consigo o seu gatinho de...

Instagram