Vaquinha para trigêmeos que perderam mãe, tia e avó para Covid bate meta de R$ 90 mil

É impressionante a rede de solidariedade que construímos com vocês! Em pouco mais de 48 horas, a vaquinha da VOAA para os trigêmeos que perderam mãe, avó e tia para o novo coronavírus bateu a meta de R$ 90 mil. Foram mais de mil transformadores que se comoveram com a história deste trio de apenas 5 anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os pequenos Felipe, Paulo e Pedro Ferreira agora moram com o tio materno, Douglas do Amaral, 26 anos. Ele já tem uma filhota e viu sua casa ficar pequena para toda essa galerinha morar junto.

Batemos a meta, mas a campanha continua a todo vapor. Não deixe de ajudar a transformar a vida destes três pequenos guerreirinhos clicando aqui!

Além da morte da mãe, Ana Paula Faria, 37 anos, os trigêmeos também perderam seu pai, há seis meses, em um acidente de moto. Segundo os pequenos, todos que eles amam viraram estrelinhas no céu. 😭

Adultos abraçados com crianças fantasiadas de Batman
Douglas e esposa ficaram responsáveis por cuidar dos trigêmeos. Foto: reprodução/VOAA

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Douglas, que mora em Votuporanga (SP), deseja construir um quarto para os meninos nesta nova fase da vida deles. Entretanto, a renda mensal que tem com a sua esposa mal tem dado para sustentar a casa desde a chegada dos trigêmeos.

A dura batalha contra a Covid-19

Assim como os pequenos perderam a mãe, avó e tia, Douglas também viu sua mãe e irmãs serem levadas pelo novo coronavírus. Mas, para o jovem, é importante se manter de pé pelos meninos. “Eu não posso nem chorar, parece que minha ficha não caiu ainda, mas eu preciso ser forte para eles, por eles”.

A avó dos trigêmeos, a dona Valentina de 66 anos, foi a primeira a ser internada na Santa Casa de Votuporanga (SP) no início de março, quando foi diagnosticada com o coronavírus. Ela e suas duas filhas, Ana Paula, mãe dos trigêmeos, e Karina, 33 anos, haviam sido contaminadas.

Karina foi a primeira a não resistir às complicações da doença e morreu no dia 13 de março. Três dias depois, a outra irmã e mãe dos trigêmeos, Ana Paula, também não resistiu. A última a vir a óbito foi a avó, que morreu uma semana depois das filhas.

Outra família que precisa do nosso apoio é a do Alex, motoboy que, mesmo com a perna faturada, continua fazendo entregas para levar sustento para casa. Conheça sua história e contribua!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,415,745SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

“Carteiro amigão” conquista cães e faz sucesso com selfies na internet

Os cães adoram tirar selfies com o carteiro de Guaratinguetá (SP).

Professora transforma carteiras em caminhões para amenizar o impacto do distanciamento na volta às aulas presenciais

As aulas presenciais estão retornando em muitos países. Com isso, professores estão buscando diversas alternativas para driblar o medo e outros impactos negativos causados...

Este homem zerou a vida nesse anúncio para vender seu apê no DF

Geralmente os anúncios de vendas de apartamento são extremamente sóbrios, com fotos sem muito preparo, e mostrando apenas o básico do local: cômodos, metragem,...

Associação garante segunda chance a ex-detentos, reintegrando-os à sociedade

Depois de rodar o Brasil conhecendo trabalhos sociais e projetos que trabalham para mudar o mundo de forma verdadeira, os Caçadores de Bons Exemplos,...

Alunos transformam tema de redação em projeto de inclusão digital para idosos

“Os idosos se sentiram úteis, valorizados, protagonistas. E depois de uma série de ações singelas, mas significativas, os alunos com certeza mudaram o olhar para com os idosos”, comenta a professora dos estudantes.

Instagram