Novo método de impressão não usa tinta e reutiliza o papel até 80 vezes

Ah, como é bom colher os frutos dos avanços tecnológicos! Depois do surgimento da impressora 3D, que já revolucionou o mercado, agora surge mais uma boa descoberta: um novo método de impressão que não usa tinta e reutiliza o papel até 80 vezes. Não é loucura, nem falácia, é ciência!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com a situação ambiental se agravando, inclusive pelo número absurdo de lixo produzido (sendo 40% de sua composição feita de papel), é preciso pensar em soluções cada vez mais sustentáveis. As equipes da Shandong University na China, Universidade Riverside da Califórnia e o Laboratório Nacional de Lawrence Berkeley conseguiram inovar o método de impressão em celulose utilizando luz ultravioleta.

O método é combinado com um papel brilhante, de cor azul, revestido com nanopartículas que podem ser aplicadas a um papel convencional. A junção de dióxido de titânio (TiO2) e azul prussiano, ambos presentes numa folha tradicional, resultam numa reação química que torna o material regravável.

Segundo o professor de química Yadong Yin, os materiais de revestimento e a produção são de baixo custo, pois o revestimento pode ser aplicado à superfície de papel convencional através de processos simples como imersão ou pulverização. Ele também destaca que o processo de impressão é também mais econômico, já que não há o uso de cartuchos, além de colaborar com a redução no número de papel jogado no lixo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sem utilizar tinta, que também é tóxica e acaba prejudicando o meio ambiente, o método permite que o papel seja reutilizado até 80 vezes, pois a impressão pode ser apagada quando exposta a temperaturas maiores do que 120º C. Devido a oxidação, o texto desaparece naturalmente em cinco dias caso não seja feito o aquecimento.

O grupo de pesquisadores se dedica agora a construir uma impressora a laser, para que torne o processo mais rápido, além de buscar por métodos eficazes para realizar a impressão em cores. “Acreditamos que nosso trabalho tem méritos econômicos e ambientais enormes para a sociedade moderna”, declarou Yin ao site Phys. Se poupar as árvores, colaborar com a redução dos aterros e de todos os efeitos prejudiciais da indústria, podemos concordar com ele.

Fotos: reprodução

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,761,430SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Pedreiro de SC encontra carteira com R$ 12 mil, devolve para o dono e se recusa a receber recompensa

Para o pedreiro José Adilson, 42 anos, a honestidade deve sempre prevalecer sobre a necessidade. Olha só! No caminho para buscar uma cesta básica na...

Pague o quanto puder: uma nova forma de pensar a medicina alternativa no Brasil

A Rafaela Rocha tem um projeto mega bacana (desses que te dá orgulho por ser de uma brasileira) de popularização da medicina alternativa: o...

Cliente perde celular em loja e faz relato sobre atendimento que recebeu

“Amo ver essas notícias boas... O mundo ainda tem tanta gente do bem’’, as palavras otimistas saíram da boca da baiana, Quesia Moreira, a...

Cão herói! Bull terrier acorda dono durante incêndio nos EUA para salvar sua vida

Ok, já sabemos que o cachorro é o melhor amigo do homem. Mas neste caso o bull terrier Rocky levou essa máxima a um...

Cearense será a primeira modelo trans da Victoria’s Secret

A modelo brasileira Valentina Sampaio, 22 anos, foi escalada para ser a primeira representante transexual da marca de lingeries Victoria's Secret. Para se ter uma...

Instagram