Estudante mexicana cria plástico de casca de laranja que se decompõe em 90 dias

A estudante mexicana Giselle Mendonza venceu um concurso nacional apresentando um bioplástico que ela criou da casca de laranja.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Giselle disse que sua ideia surgiu a partir de estatísticas que mostram o quanto o Oceano Pacífico acumula lixo plástico. “Há um grande acúmulo do tamanho da França. Por outro lado, as projeções apontam para o fato de que, em 2050, haverá mais resíduos plásticos no mar do que peixes”, disse a estudante.

Como o México é o quinto maior produtor de laranja do mundo, Giselle Mendoza pensou em como reaproveitar esse resíduo para criar um material muito útil para diversas finalidades, que é o plástico.

Produção

Para a produção do bioplástico funcionar Giselle fez parcerias com produtores de laranjas, garantindo que ela teria a matéria-prima do projeto sem investir nada. Hoje o México produz cerca de 4,5 milhões de toneladas de laranja, onde 40% a 65% se transformam em lixo.

Ela também considerou que a fruta é abundante em diversos países, o que facilita a fabricação do bioplástico.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Pesquisadora de Manaus desenvolve plástico biodegradável a partir do cará

Giselle disse que além da abundância, a laranja foi escolhida por outros fatores. É uma fruta com propriedade curativa e rica em celulose. Essas características permitem o uso do plástico em diversos setores, como agricultura, setor de embalagens e biomedicina.

O objetivo principal de Giselle é criar o bioplástico de casca de laranja para substituir as garrafas PET que são grandes poluentes em todo o planeta.

Para que você entenda melhor, uma garrafa PET leva cerca de 100 anos para se decompor. No caso do bioplástico criado por Giselle, o material precisa apenas de 90 dias para desaparecer completamente da natureza.

Leia Também: Embalagem 100% biodegradável feita de arroz, café e coco vem para brigar com o plástico

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Giselle é aluna do Instituto Tecnológico de Monterrey e tirou o terceiro lugar no Prêmio Santander de Inovação Empresarial de 2019, além do primeiro lugar no Global Student Entrepreneur Awards (GSEA) no México.

Hoje a pesquisa do bioplástico é feita pela startup Geco, criada pela própria estudante, em 2018.

Sabe outra história muito bacana para você conhecer? É das estudantes de SP que criam absorvente 100% biodegradável que se decompõe em 6 meses

FONTE: Ciclovivo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,444,158SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mãe realiza pedágio para venda de bonecas da filha com síndrome rara e ninguém aparece

Ela teve um prejuízo grande, voltando para casa com todas as bonecas, cerca de 200 delas.

Preso injustamente perdoa mãe que o acusou de assassinato

Um ato de grandeza e humildade de um jovem preso injustamente, acusado de assassinato, emocionou pessoas de todo o país neste último domingo, 27. Leonardo...

Com 44% de ateus, Holanda transforma igrejas em livrarias, cafés e casas de shows

A falta de recursos das instituições religiosas para manter essas construções fez com que muitas se transformassem em pubs, cafés, livrarias e casas de...

A web amou a foto de Joaquin Phoenix e namorada comendo lanche na calçada após o Oscar

Gente como a gente! rs Depois de ter vencido na categoria de Melhor Ator no Oscar 2020, Joaquin Phoenix dispensou as badaladas festas de...

A vida tentou nocauteá-lo várias vezes, mas ele se esquivou com o boxe

Joel sofreu desde criança com extrema pobreza, bullying, vício da mãe com o álcool, uso de drogas, e superou tudo isso com o boxe.

Instagram