Estudante mexicana cria plástico de casca de laranja que se decompõe em 90 dias

A estudante mexicana Giselle Mendonza venceu um concurso nacional apresentando um bioplástico que ela criou da casca de laranja.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Giselle disse que sua ideia surgiu a partir de estatísticas que mostram o quanto o Oceano Pacífico acumula lixo plástico. “Há um grande acúmulo do tamanho da França. Por outro lado, as projeções apontam para o fato de que, em 2050, haverá mais resíduos plásticos no mar do que peixes”, disse a estudante.

Como o México é o quinto maior produtor de laranja do mundo, Giselle Mendoza pensou em como reaproveitar esse resíduo para criar um material muito útil para diversas finalidades, que é o plástico.

Produção

Para a produção do bioplástico funcionar Giselle fez parcerias com produtores de laranjas, garantindo que ela teria a matéria-prima do projeto sem investir nada. Hoje o México produz cerca de 4,5 milhões de toneladas de laranja, onde 40% a 65% se transformam em lixo.

Ela também considerou que a fruta é abundante em diversos países, o que facilita a fabricação do bioplástico.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Pesquisadora de Manaus desenvolve plástico biodegradável a partir do cará

Giselle disse que além da abundância, a laranja foi escolhida por outros fatores. É uma fruta com propriedade curativa e rica em celulose. Essas características permitem o uso do plástico em diversos setores, como agricultura, setor de embalagens e biomedicina.

O objetivo principal de Giselle é criar o bioplástico de casca de laranja para substituir as garrafas PET que são grandes poluentes em todo o planeta.

Para que você entenda melhor, uma garrafa PET leva cerca de 100 anos para se decompor. No caso do bioplástico criado por Giselle, o material precisa apenas de 90 dias para desaparecer completamente da natureza.

Leia Também: Embalagem 100% biodegradável feita de arroz, café e coco vem para brigar com o plástico

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Giselle é aluna do Instituto Tecnológico de Monterrey e tirou o terceiro lugar no Prêmio Santander de Inovação Empresarial de 2019, além do primeiro lugar no Global Student Entrepreneur Awards (GSEA) no México.

Hoje a pesquisa do bioplástico é feita pela startup Geco, criada pela própria estudante, em 2018.

Sabe outra história muito bacana para você conhecer? É das estudantes de SP que criam absorvente 100% biodegradável que se decompõe em 6 meses

FONTE: Ciclovivo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,839,934SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em vídeo, menino descalço ganha sapatos de policiais militares e se emociona

Ao abordar um garoto descalço na rua, em Eldorado, no interior de São Paulo, a policial militar Evellyn descobriu que ele não estava indo...

Depois de ler, não jogue fora! Plante este jornal japonês que ele irá florescer

Isso é possível porque o papel do jornal possui sementes de plantas.

Homens barbudos posam para calendário de sereias pra apoiar organização sem fins lucrativos

O lucro das vendas será revertido para organização que utiliza a terapia com cavalos no tratamento de jovens e adultos com problemas mentais.

Refugiada nadou três horas para salvar a vida de 18 pessoas um ano antes da Olimpíada

A nadadora síria Yusra Mardini não conseguiu se classificar para a semifinal dos 100m borboleta na Olimpíada Rio 2016. O tempo de 1:09.21 só...

Coletor de lixo salva vida de criança de 5 anos que seria atropelada no Paraná [VIDEO]

Uma câmera de segurança registrou o momento heroico em que um coletor de lixo de Rolândia, no norte do Paraná, salva a vida de...

Instagram