Marca de moda brasileira abriga ex-detentos como funcionários e usa 100% de algodão orgânico

Em meio às crises políticas no nosso país, é importante ficar ciente de projetos bons no lugar em que vivemos. A PanoSocial é, além de uma marca, um projeto social: seus produtos (camisetas, ecobags e aventais) são feitos de algodão orgânico e a maioria de seus funcionários são ex- detentos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • O livro Seu Sonho tem Futuro veio para que você viva seu sonho e crie renda extra, sem gastar dinheiro próprio!

Os sócios tiveram a ideia no fim de 2015. Natacha Lopes Barros, 39, produtora executiva de moda, e o designer Gerfried Gaulhofer, 44, já contrataram entre seus funcionários, seis ex-detentos e pretendem aumentar o número de matérias primas orgânicas ainda não produzidas no Brasil.

Eles vêm do Projeto Segunda Chance, da ONG AfroReggae, que visa inserir egressos do sistema prisional no mercado de trabalho, a partir da Funap, órgão que desenvolve programas sociais para presos e ex-detentos e também através da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), por meio da SERT. Natacha e Gerfried também já anunciaram e divulgaram através do Facebook.

Em agosto de 2016, Paulo Tadeu Silva, 64, foi o primeiro funcionário contratado pela PanoSocial. Ex-detento, passou 29 anos em reclusão, somando seus dois períodos de prisão. Ele já possuía experiência em corte e costura e costuma chamar a equipe de “família”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“A gente não se trata como empregado, patrão, nós somos iguais em todos os sentidos. Me sinto mais valorizado como pessoa”, diz ele para o Projeto Draft.

Com o emprego fixo, Paulo já tem casa própria e uma chácara, (onde começou a plantar produtos orgânicos), além de poder aprimorar diariamente seu talento em costura e modelagem.

Foto: Danilo Mantovani

O início

Há 15 anos, Gerfried, que é austríaco, resolveu conhecer o Brasil. Acabou ficando de vez e se  impressionou com nossos problemas sociais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Vindo de um país de primeiro mundo, o choque das diferenças foi muito grande. “Ele foi morar na baixo Augusta, onde precisava se desviar dos mendigos para atravessar a rua”, conta Natacha, sócia e parceira de vida.

Foi um padre austríaco, que servia como mediador de conflitos na penitenciária do Carandiru, que apresentou o sistema prisional brasileiro a Gerfried.

E ele sentiu que deveria, de alguma forma, contribuir para que ex-detentos pudessem voltar a uma profissão com mais dignidade.  O designer nunca havia empreendido ou trabalhado na área antes, mas durante as análises de setores de mercado, o casal descobriu que a moda é o setor com maior impacto ambiental, apenas perdendo para o petróleo. Com isso, resolveram descobrir matérias-primas orgânicas para produzir camisetas e outros produtos. O principal é o algodão 100% orgânico, seguido do algodão desfibrado e 100% de PET reciclado. Nos dois casos eles utilizam pigmentos e corantes naturais.

Foto: Pablo Saborido

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já o interesse da Natacha surgiu quando ela percebeu que o seu trabalho na época contribuía para o aumento do desejo pelo consumo. Ela trabalhava com campanha de grandes marcas e com editoriais de grandes revistas.“No ramo da confecção tem muita bagunça, pessoas trabalhando em regimes análogos à escravidão, um sistema muito injusto onde uma marca vende camiseta a 120 reais enquanto o costureiro está ganhando entre 70 centavos e dois reais por peça”, disse. “Uma pessoa, com trabalho digno, que tem orgulho de sair de manhã e voltar à noite empregado podendo mostrar isso por seus filhos é um grande avanço social”.

Fotos: Blog

A Pano trabalha, hoje, com a produção da própria grife e também confecciona produtos para marcas e instituições — como o Greenpeace, Korin e C&A. Para a atender a estes pedidos maiores, a empresa ainda contrata costureiros terceirizados.As camisetas da Pano podem ser compradas online, no site da empresa, por preços que partem de 66 reais e vão até 150 reais.

Fotos ©Pablo Saborido e Danilo Mantovani / Com informações de Projeto Draft.

E se você também tem um sonho, este livro te ajudará a dar o próximo passo.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,429,587SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mãe cria aparelhos auditivos divertidos para ajudar filho que sofria bullying

Milhões de pessoas no mundo utilizam aparelhos auditivos, porém, quando se é criança, o uso de certos acessórios pode não ser tão simples e...

Que tal estourar plástico-bolha enquanto espera o ônibus?

Todos nós, (pelo menos quase todos) quando vemos plástico bolha, dá uma vontade incontrolável de estourá-las. Pensando nisso, o artista italiano Biancoshock instalou folhas de plástico...

Tatuador dá cara nova a andador de criança com doença rara e alegra seus dias

O pequeno Henri Kai Grabill, 2 anos, sofre de uma doença rara que deixa seus músculos enfraquecidos. Ele precisa da ajuda de um andador...

Adeus ao canudo de plástico: conheça o canudo comestível com sabor de fruta

Três alunos da faculdade de Química da ETEC Amim Jundi, em Osvaldo Cruz, no interior paulista, desenvolveram um canudo que além de biodegradável, é também...

Empresa constrói parque eólico para movimentar fábricas sem a emissão de C02 nos EUA

A P&G (Procter & Gamble) anunciou nessa segunda-feira, 19/10, que as fábricas nos Estados Unidos onde são produzidos seus produtos para cuidados com o...

Instagram