USP descobre molécula que reduz tumor e evita metástase do câncer de ovário

Um grupo de pesquisadores brasileiros e norte-americanos descobriu uma molécula capaz de reduzir o tamanho do tumor e interromper o processo de metástase do câncer de ovário.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mais testes precisam ser feitos em animais para atestar a segurança do composto. Segundo os pesquisadores, o tratamento estará disponível para seres humanos em até 20 anos.

A pesquisa foi feita pelo Centro de Terapia Celular do Hemocentro da Universidade de São Paulo (USP) em parceria com o Laboratório de Células-Tronco Musculares e Regulação de Genes dos Institutos Nacionais de Saúde, nos Estados Unidos.

Foto: Chico Escolano/EPTV

molécula reduz tumor evita metástase câncer de ovário
Foto: Chico Escolano/EPTV

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Menina de 2 anos vence câncer de ovário raríssimo

Molécula capaz de reduzir o tumor causado pelo câncer de ovário

Constatou-se que a molécula RNA MIR-450A é pouco eficaz em tumores. No entanto, quando superexpressa (aumentada) em testes in vitro e em camundongos, ela se torna potente no tratamento contra o câncer de ovário.

Para Wilson Araújo da Silva Júnior, professor do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina da USP, a molécula MIR-450A, presente no corpo humano e que pode ser produzida no laboratório, ‘é capaz de silenciar genes envolvidos na migração celular e no metabolismo do tumor. Isso bloqueia o tamanho do tumor e bloqueia o processo de metástase’.

molécula reduz tumor evita metástase câncer de ovário
Foto: Reprodução/Diário MS

Na esteira de novidades, cientistas da USP também descobriram que a molécula microRNA-367 pode reduzir a agressividade de tumores embrionários do sistema nervoso central, responsáveis pelo câncer infantil.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Paciente terminal está curado do câncer graças a método 100% brasileiro

O próximo passo é desenvolver um medicamento utilizando a molécula MIR-450A que auxilie no tratamento da doença, muitas vezes, identificada quando já está em um estágio avançado.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Jornal de Brasília e G1

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,434,652SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Emoções positivas podem ajudar a diminuir problemas de memória ao longo do envelhecimento

"Toda positividade, eu desejo a você", porque como revelou um novo estudo, isso pode ajudar a diminuir os problemas de memória à medida em...

Escola substitui detenção de alunos por meditação e os resultados são incríveis

Se você fosse professor de uma escola por um dia e seus alunos começassem a se comportar mal, o que você faria? Em geral,...

Casal ajuda mãe humilhada após pedir bolo de aniversário para o filho de 2 anos

A mãe queria muito um bolinho de aniversário para o filho de dois anos, ao invés de empatia, recebeu críticas e julgamentos.

Mãe dá à luz a bebê de 6 kg e viraliza na internet

A norte-americana Chrissy Corbitt já era mãe de quatro filhos, quando deu entrada em um hospital da Flórida com fortes contrações, no dia 15...

Menino de 5 anos vende limonada para ajudar animais vítimas de maus tratos

Mais uma da série: crianças que nos dão esperança!

Instagram