Morador de rua encontra nos estudos uma chance para recomeçar no Paraná

Daniel Lima de Melo está se esforçando. Seus olhos estão atentos em busca de uma nova vida. Em situação de rua na Capital há quase três meses, Daniel encontrou em uma turma de Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJA) a possibilidade de trilhar um caminho diferente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Natural de Barra do Quaraí, Rio Grande do Sul, ele conta que ouvia falar que Florianópolis era uma terra de oportunidades e que por isso decidiu sair da cidade onde morava. “Quando eu cheguei em Florianópolis, procurei ajuda na secretaria de Assistência Social. Fui encaminhado para a passarela, onde vi um cartaz que anunciava a criação de uma turma da EJA. Estou adorando estudar. Não conheço ninguém aqui e não podia confiar em ninguém. Foi uma luz no fim do túnel’, declarou.

Antes, Daniel estava sempre de mãos vazias. Agora, com um caderno, caneta, lápis, borracha e o livro da EJA nos braços, ele pode correr atrás de um futuro melhor para si. Aos 31 anos, ele só pensa em seguir em frente. Atualmente, ele está aprendendo sobre metodologia de pesquisa.

O tema escolhido reflete uma de suas paixões: a música. “Canto um pouco, mas eu gosto é de tocar violão. Gosto de rock”, conta. “. Na aula eu esqueço da minha realidade. Hoje não bebo e nem fumo mais. Por isso prefiro estudar do que ficar por aí, na praça, sem fazer nada. É uma vitória”, acrescenta.

Morador de rua encontra nos estudos uma chance para recomeçar no Paraná
Foto: Divulgação / Prefeitura Municipal de Florianópolis

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele conta que vendeu balas para poder retirar uma nova certidão de nascimento. “A minha antiga estragou. Agora eu quero arrumar todos os documentos para conseguir um trabalho, continuar estudando e alugar uma casa. Tem que ter uma meta né. Ficar vagando por aí e reclamando das dificuldades não adianta nada”, afirmou, determinado.

Leia também: Ex-morador de rua que virou empresário só contrata desabrigados

As aulas da EJA para pessoas em situação de rua na capital acontecem todas às segundas e terças-feiras, das 18h30 às 20h30, no Instituto Arco-Íris, localizado na região central da Capital. Todo o material escolar, lanche e itens de higiene são fornecidos pela Prefeitura de Florianópolis.

O projeto é uma realização da Prefeitura de Florianópolis, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação, com o apoio do Movimento da População de Rua de Santa Catarina, Instituto Arco-íris e Rede Rua.

“Para eles, tem sido muito significativo. É um resgate da autoestima deles e resignificação da vida. É uma porta de entrada para a garantia de direitos deles”, declarou o psicólogo do Instituto Arco-íris, Gabriel Amado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“O lado positivo é que com os estudos eles estão resgatando o passado deles. Aqui não tem ninguém olhando torto para eles. Educação é algo que o ‘povo da rua’ também quer. É um resgate de valores”, finaliza o coordenador do movimento de População de Rua, André Shaffer.

Para o secretário de Educação de Florianópolis, Maurício Fernandes Pereira, a Prefeitura quer cada vez mais universalizar o ensino. “Fazendo isso, estaremos oferecendo condições para que as pessoas, como as de situação de rua, possam ter novos sonhos, novos caminhos para trilhar, uma nova razão para viver”.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,268,037SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Covid-19: Alemanha adapta unidades de saúde móveis para Brasil com investimento de R$ 31 milhões

Em um bonito gesto de solidariedade diante da falta de leitos e UTIs no seu limite de ocupação no Brasil, a Alemanha, através do...

Pílulas contra Covid-19: Empresa de Israel testa eficácia de novo método

A empresa israelense Oramed Pharmaceuticals iniciou seus testes em uma nova vacina contra a Covid-19. Mas, desta vez, ela será um pouco diferente: em...

Projeto social ensina programação e ajuda integrar refugiados ao mercado de trabalho brasileiro (RJ)

Conheça o projeto Toti, escola de programação que promove educação e inserção profissional na área de Tecnologia da Informação para comunidades de refugiados.

Corrente do bem faz homem que foi expulso do show do Coldplay em SP assistir a banda em POA

Como vocês devem saber, a banda britânica Coldplay está no Brasil fazendo shows de sua turnê de sucesso e que, entre um show e...

Com doações de vaquinha da VOAA, bailarina de 9 anos que vivia em barraco realiza sonho de construir sua casa

Quem lembra da linda Raíssa? Essa garotinha de 9 anos, lá de Campina Grande, ganhou os nossos corações ano passado. Ela sonha em se...

Instagram