Após 30 anos, morador de rua reencontra família graças à ajuda de desconhecidos

No ano passado, enquanto passava pelo Largo do Cambuci, em São Paulo (SP), a ativista Maria Fernanda Prado Orsini ‘flagrou’ um momento de puro amor e amizade entre um morador de rua e sua cachorrinha: eles estavam dormindo juntos, esquentando um ao outro. Encantada pela cena, Maria tirou uma foto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No dia seguinte, pela manhã, voltou a encontrá-los no mesmo local, agora acordados. Foi até o morador de rua, um senhor de idade, e mostrou a ele a fotografia. Ele adorou o registro e, sorridente, passou um bom tempo conversando com Maria.

A ativista logo descobriu seu nome – Ivanildo – e da sua fiel escudeira, Tullyy.

Morador de rua e cachorrinha reencontram família

Situação do morador de rua

O homem estava naquela situação por conta de um alcoolismo crônico, que drenou sua vida em família e seu trabalho. Durante a conversa, Ivanildo também contou que tinha sérios problemas na coluna e era completamente cego de um olho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sensibilizada por sua história e condição de vida, Maria começou a levar algumas vezes por semana ovos cozidos e sal para lanchar ao lado de Ivanildo e de Tullyy.

Em um esforço contínuo para se manter sóbrio, o morador de rua confeccionava panelinhas e cinzeiros artesanais, feitos com latas de refrigerante, para vender na rua e tentar tirar algum sustento. Entre uma venda e outra, conseguia continuar subsistindo, ao mesmo tempo que alimentava sua cachorrinha.

Morador de rua e cachorrinha reencontram família

Reviravolta

Maria Fernanda conta que há cerca de seis meses, repentinamente, Ivanildo perdeu a visão de um olho, ficando completamente cego. “Ficou complicado incentivá-lo a manter-se sóbrio e ele caiu com fé na cachaça. Só se via este homem caído, completamente bêbado, com a Tullyy deitada em cima pra protegê-lo. E ai de quem se aproximasse! Muito pouco se podia esperar dessa situação. Ou quase nada, mas não perdemos a esperança”, relata.

Leia também:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Eventualmente, um morador das redondezas resolveu procurar a família de Ivanildo pela internet. E a encontrou! Com sorte, eles ainda moravam em Olinda, Pernambuco. Uma irmã e um sobrinho vieram de surpresa ao encontro dele.

Morador de rua e cachorrinha reencontram família

Estavam há mais de 30 anos sem notícias e sem saber o paradeiro do morador de rua. “Achavam que ele estava morto”, conta Maria Fernanda. “Eles chegaram aqui no início do mês e conseguiram o dinheiro necessário para o retorno dos quatro – Tullyy incluída, é claro.”

Na segunda-feira passada (16), houve despedida. Maria Fernanda conversou com Ivanildo uma última vez, desejou-lhe sorte, abraçou-lhe e pela madrugada, Ivanildo embarcou rumo à Pernambuco – de avião.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Milagres acontecem! Fé, meu povo! O amor move montanhas!”, finalizou.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fotos: Reprodução/Facebook

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,835,148SeguidoresSeguir
24,755SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Ele nasceu na zona de guerra, mas seu destino sempre foi cantar!

Conheçam a história de Emmanuel Kelly, um iraquiano, nascido durante a guerra, e que foi adotado por uma das voluntárias, e que conta sobre...

Atleta paralímpico Fernando Fernandes debate inclusão de pessoas com deficiência nos esportes

No dia 22 de novembro (quarta-feira), das 19h às 20h30, o Red Bull Station recebe o atleta paralímpico e campeão mundial de paracanoagem Fernando Fernandes para...

Mecânico faz brinquedos de papelão nas horas vagas e doa a crianças e adultos

O mecânico William César Martins, 41 anos, usa a sua criatividade e empatia pelas pessoas para produzir brinquedos feitos a partir de materiais recicláveis...

Designer cria máquina que serve remédios na hora marcada

Chamado de DORA, o dispensador eletrônico foi pensado para evitar a repetição de ingestão de medicamentos.

Pais eternizam momentos vividos com filha recém-nascida diagnosticada com um tumor inoperável no cérebro

Os pais da pequena Abigail se prepararam com muito amor para receber a filhota. Antes de nascer, Abigail foi diagnosticada com Síndrome de Down....

Instagram

Após 30 anos, morador de rua reencontra família graças à ajuda de desconhecidos 3